segunda-feira, agosto 14, 2017



Eu fui uma criança muito mimada pelos outros e protegida deste mundo mal, daí eu cresci e vocês podem imaginar o que a vida adulta faz com uma criança dessa: continuaram me mimando e me protegendo ¯\_(ツ)_/¯

Deve ser um desses bagulhos de patriarcado, privilégio branco ou, quem sabe, DEUS e meu brilho natural. Eu só sei que as pessoas amam cuidar de mim e eu acabei me acostumando com isso. Eu até deixo. Claro que é maravilhoso ser mimado aqui e ali, mas isso contribuiu para o fato de eu ser meio ingênuo e simplesmente não saber das Coisas Da Vida. Eu perdi um monte de lições importantes que só a vida pode nos ensinar, porque sempre teve outra pessoa cuidando das coisas pra mim. Eu me enxergo como uma criança lerda na maior parte do tempo. Agora, você joga a assexualidade na receita, e eu sou praticamente um BEBÊ VIRGINAL. Eu até poderia me acostumar com isso também, mas...

Eu tenho 26 anos. Eu sou um homem de VINTE E SEIS ANOS DE IDADE. Está cada dia mais difícil encarnar o bebê puro demais para este mundo, porque agora eu sou velho e fica meio complicado que pessoas mais novas do que eu cuidem de mim. Antes eu era sempre a pessoa mais nova em todos os lugares, meus amigos eram todos mais velhos e/ou sábios do que eu, eu trabalhava com gente de 50 anos, mas agora os tempos são outros. O menino que me ensina tudo na Firma é dois anos mais novo que eu. Meus sobrinhos são as crianças da casa. Todo mundo na internet tem 20-25 anos. Está cada vez mais raro me mandarem tapar os ouvidos quando querem falar safadezas comigo no recinto.

MAS EU SOU O MESMO. O mesmo ursinho de pelúcia assexual de sempre, mas as pessoas não enxergam mais e isso faz com que eu me sinta ultrajado em muitas situações sociais.

Um dia eu estava conversando sobre séries com um colega meu, e eu estava super empolgando falando de The 100.

- Cara, é MUITO legal. Daí eles vieram do espaço como adolescentes comuns, mas agora eles foram, tipo, endurecidos por decisões morais muito complicadas!
- Ah, sei qual é essa série, aquela que tem umas gostosas, né?
- QUÊ
- Com uns peitão e tal
- O.O
- É sim, cara, umas bem gostosas mesmo.

Quando as pessoas usam as coisas que gosto para falar de sexo

Gente, The 100 é a série com menos conteúdo sexual que já assisti na minha vida, eu não sei do que este homem está falando, PARA DE ESTRAGAR ESSA CONVERSA SOBRE SÉRIES FALANDO DE PEITOS. ESSA CONVERSA FOI PROFANADA.

Mas, agora realmente falando sobre peitos, teve um dia que um colega falou "Olha que legal isso aqui, Felipe" e eu fui ver achando que era um meme, uma matéria engraçada, um vídeo, sei lá, e eram PEITOS PULANDO.

- Não é maneiro? heheheh
- .....

(na minha cabeça: POR QUE ME CHAMOU PRA VER ISSO? EU SOU UMA CRIANÇA. Não, pera)

Teve uma vez no Tinder (ok, minha culpa ter ido até lá procurar amizade com ambos os gêneros) que um fulano perguntou o que eu curtia, e eu fui todo empolgado respondendo que adorava passeios de aventura, tipo trilhas e tal, que gostava de ler e escrever, que amava comédias etc etc, daí, após um minuto de silêncio, veio a outra pergunta dele. "O que você curte na cama?".


Amigo, na cama eu curto dormir e de vez em quando acessar minhas redes sociais pelo celular.

As pessoas estão tentando matar minha criança interior com muito afinco. Eu fico constrangido e às vezes em choque, mas sei que isso meio que é o comportamento padrão dos homens de 26 anos e eu que sou o atrasado do rolê. Sexo é natural, homens de 26 anos são muito naturais, talvez eu tenha que me adaptar. Mas ainda prefiro conversar sobre séries e passeios de aventura, e também gosto de acreditar que, quando alguém me convida para assistir um filme em sua casa, a única intenção é que a gente realmente assista um filme.

Posted on segunda-feira, agosto 14, 2017 by Felipe Fagundes

No comments

***

quinta-feira, agosto 10, 2017

Cada vez que eu digo em voz alta que sou um escritor independente, imagino meia multidão de pessoas sem rosto rindo e apontando pra mim. Esse cara não se enxerga? Como que é escritor se não tem um livro publicado que a gente pode tocar nele? Também não sei, gente, fica  aí o mistério pra vocês. Enquanto vocês ficam aí tentando decifrar, eu continuo escrevendo e publicando coisas na internet. Eu escrevo histórias, pessoas param para ler e eventualmente gostam. Acho que configura escritor, sim.



Daí que eu resolvi dedicar esse último final de semana a hibernar e ser um escritor independente em tempo integral e, eita, rendeu. Vocês estão acompanhando? Porque eu não paro.

***

Não Sei Lidar com Malas finalmente foi postado por completo no Wattpad e me rendeu novos leitores para minhas outras histórias. Dei uma revisada, montei o ebook e, tcharam, está lá na Amazon por R$ 2,48 (Eu sei que é um preço estranho, mas eu ganho o mesmo valor com ele custando R$ 2,49, então já economizei a vocês 1 centavo. Não precisam agradecer).

Me disseram que certos personagens (não disse quais) merecem uma história própria e, humn, quem sabe? Apesar de eu já ter ideias para a próxima história da série, nunca se sabe quem vai retornar (Nem eu sei, sinceramente).

***

NS1 não para de me encher de orgulho no Wattpad. MEU BEBÊ. EU QUE ESCREVI. Ai, mas livro é um produto, não é seu filho, é um trabalho. MEU BEBÊ SIM, NINGUÉM SAI. E pensar que eu quase não publiquei a história por achar que era ultrapassada e, sei lá, estranha. Foi a primeira história completa que escrevi e todo mundo sabe que primeiras histórias geralmente são aquele saco de cocô mesmo, MAS: Quase 8 mil leituras e mais de mil estrelinhas nos capítulos, além da ENXURRADA de comentários, que é a coisa que mais me faz feliz. Eu passo horas lendo sempre que posso. Muito obrigado mesmo a todo mundo que está apoiando o livro!

Chegando tão longe no ranking! :'-)


Aproveitei que Malas virou ebook e diminuí o preço de NS1 na Amazon, foi de R$ 8 para R$ 4,99.

***

Acho que vou desistir da Kobo Store e da Saraiva. Eu vendi 0 livros para Kobo e acho que 1 para LEV, não compensa o desgraçamento que é usar os sistemas de autopublicação deles, além de ter que atualizar em 200 lugares toda vez que fizer alguma alteração nas histórias. Vida de escritor independente não é só escrever, infelizmente, então estou optando pela praticidade para ganhar mais tempo para escrever.

***

Ah! Criei minha página de autor no Skoob! Quem usa o site agora pode marcar meus livros por lá :)



***

Enquanto tudo isso acontece, estou experimentando escrever meu livro novo. Sei que vai ser sobre tudo o que eu já venho falando nesse último ano de blog e quero tratar alguns assuntos que são muito íntimos para mim. Espero que alguém se conecte. No momento, estou discutindo comigo mesmo se arrisco escrever com aqueles capítulos curtinhos de no máximo 2 páginas ou se continuo nos meus calhamaços de 10 páginas. Mas está indo! Minha meta é terminar em dezembro, mas não vamos focar muito nisso.

Obrigado pelo apoio! Continuem torcendo por mim :)

Posted on quinta-feira, agosto 10, 2017 by Felipe Fagundes

No comments

***

terça-feira, agosto 08, 2017

Eu tenho certeza de que o mundo seria um lugar melhor se os cristãos soubessem quem são. Essas cagadas todas que a gente vê sobre crentes e igrejas são, em grande parte das vezes, gente que esqueceu o que exatamente um cristão é.

Tanto quem está de fora quanto quem está dentro fica com aquela imagem de que o cristão é a pessoa pura e do bem do rolê, talvez aquele ser iluminado que merece ir para o céu enquanto os outros tem mesmo que é que serem punidos e arder pra sempre no fogo do inferno. Vocês são todos malucos, gente.

Naquele livro maravilhoso que me salvou quando eu mais precisava e que dessa vez não é o da Amanda Palmer, mas, sim, o Alma Sobrevivente (do Philip Yancey), tem uma passagem que o Philip conta sobre um amigão dele, o Mel White.

Meu deus, o Mel White, gente.


O Mel White era cristão como o Philip Yancey, e eles eram amigos de longa data e tal. O Yancey até escreveu um livro sobre a amizade dele com o Mel White. Se não é pra escrever um livro sobre nossa amizade, nem quero. Aí Mel White se descobriu gay e todo mundo ficou sabendo. Não apenas isso, Mel White se tornou um ativista das causas LGBT. Aí sabe o que aconteceu com a amizade deles? Nada, continuou a mesma. Mas as pessoas ficaram chocadas que o Philip Yancey continuasse sendo amigo de um homem como aquele. Gente, pra vocês verem, as pessoas perdiam tempo escrevendo cartas pro Yancey exigindo explicações. Daí ele deu a resposta padrão dele:

"As pessoas ficam me perguntando como ainda posso ser amigo de um homem como o Mel White. A verdade é que eu que me pergunto como o Mel White continua sendo amigo de um pecador como eu"


Eu quando li isso pela primeira vez

Porque ESSA é a realidade que parece que nós cristãos esquecemos. Não somos melhor do que ninguém. Eu já expliquei isso, mas talvez eu tenha que continuar falando até morrer. Crente não tem nenhum direito de se achar superior, de se achar melhor ou mais merecedor de qualquer coisa. Estamos no mesmo barco. O cristão é só alguém que escolheu fazer algo a respeito dessa danação toda que é a nossa vida. O cristão aceitou um convite carinhoso, mas sofre, erra, fica triste, perde, tem falhas de caráter, comete deslizes... Ou seja, como qualquer um.

A gente pode no máximo querer ajudar as pessoas, mas condenar? Punir? Apreciar o sofrimento delas? É realmente um mistério como Mel White continua falando com a gente.

Posted on terça-feira, agosto 08, 2017 by Felipe Fagundes

No comments

***

terça-feira, agosto 01, 2017

Assim que o Big Brother Rio começou, eu fui abduzido para uma realidade paralela onde pessoas legais se juntam para criar versões de reality shows famosos e todo mundo, pasmem, TODO MUNDO ama Survivor. Quase que eu não volto para a realidade, gente. Foi por muito pouco. Eu estou há séculos querendo escrever como foi passar meu aniversário no meio de um Real Life (é como chamam esse tipo de evento. Nossa, aprendi tanto), mas daí foi um HINO, depois emendaram outro e eu simplesmente não tive tempo e paz interior pra escrever. Esses jogos desgraçam a gente, mas de um jeito que eu quero ser desgraçado pra sempre.

Vou ter que comentar em tópicos, porque MUITAS EMOÇÕES. Parece que o jogo durou 3 meses.



1) Eu não contei pra ninguém que era meu aniversário. Ia mesmo usar como arma numa remota chance de chegar na final (Ou se fosse para o primeiro paredão, né, ninguém merece sair de NOVA IGUAÇU ÀS CINCO DA MANHÃ pra rodar na primeira meia hora)

2) Fui o primeiro a chegar. Risos. Tipo, antes dos organizadores! Daí chegaram dois garotos (que só depois eu descobri que eram um casal), eu tentei me enturmar um pouquinho e deu certo. Eu já estava ali tentando fazer minha aliança pré-jogo Hahahahah Fui logo perguntando se eles conheciam quem ia jogar, quem era perigoso, como foram os jogos passados, mas tudo bem casualmente.

Eu conversando casualmente com as pessoas que chegavam

3) Quando todo mundo chegou, foi ASSUSTADOR. Eu não conhecia ninguém, mas praticamente todo mundo conhecia todo mundo. Tinha todo um passado ali. Amigos, colegas, parceiros de jogos, até ex tinha. Também notei que tinha um ou outro desafeto, já pensei em me aproveitar disso. O jogo já estava me possuindo, e eu nem tava percebendo.

4) O casal lá do começo fez a caveira de um dos participantes. Que o fulano era um DEMÔNIO DO JOGO, que manipulava todo mundo, que fazia terror psicológico, que num Real Life passado ele jogou junto com o ficante e tacou o terror dizendo que ia terminar com o garoto se ele não o salvasse no jogo, coisa e tal. Eu fiquei "Gente??? Que perigo". Aí me chega o DEMÔNIO de patinete.

Às vezes, o demônio surpreende

5) Só um fato: Eu não vou saber explicar o motivo, mas 80% ou mais da comunidade brasileira de Survivor são homens gays. Realmente não vejo o motivo. Não é como se Survivor fosse RuPaul's Drag Race, mas é o que é. No Big Brother Rio, todos eram homens e, de 14 participantes, acho que mais de 10 beijavam rapazes. Tenho pra mim que deixou tudo mais divertido, homens gays geralmente sabem fazer um bom barraco.

6) O BBRIO funciona assim: Uma prova do líder, o líder indica duas pessoas para o paredão, tem a prova do veto, quem ganhar o veto pode salvar ou não uma pessoa do paredão (aí o líder indica outra pessoa) e, depois, o grupo vota para eliminar um dos emparedados. Parece com Survivor, mas é muito mais sobre ganhar provas do que fazer alianças. Uma pessoa sozinha consegue, com um pouco de sorte, derrotar os demais. Uma prova MUDA TUDO. É bem difícil se sentir seguro.

7) Que nem eu, novato, tinham mais dois. Eu fiquei "Humn... Talvez se a gente se aliar... Já seremos três votos, podemos derrotar os outros..."

8) Venci a primeira prova do líder HAHAHAHAHAH QUEM DIRIA. Era em dupla. Imagina duas pessoas sentadas num daqueles banquinhos redondos, de costas uma para a outra, meio que uma se apoiando na outra. Agora removam o banquinho da cena. Não durou nem cinco minutos. Risos. Todo mundo foi caindo que nem banana podre, teve gente que nem na posição conseguiu entrar. Minhas pernas tremendo como nunca, mas eu queria estar imune na primeira rodada e meu parceiro não me decepcionou. Um seria o líder, o outro ficaria apenas imune. Escolhi a imunidade. Deus me livre arrumar treta com gente que nem conheço.

9) Gente, eu estava imune, mas que cagaço mesmo assim. Entre uma prova e outra tinha uns 10 minutos para conversar e montar planos, daí você ficava num lugar com 14 pessoas montando grupinhos, sussurrando umas com as outras, puxando outras num canto, falando no ouvido, planos sendo feitos e desfeitos, promessas, mentiras, armações, AAAAHHHHHHH E você nunca sabe se é seu nome que tá circulando. Você tem que ser ativo e se meter nas conversas, que cansaço mental. Não fica bem traçado quem é seu aliado e seu inimigo, eu tava indo com qualquer um. Só sabia que não queria mesmo jogar com o DEMÔNIO.

Todo mundo conversando com todo mundo, menos comigo

10) Eliminaram um novato na primeira rodada. Mesmo ele tendo ido ao paredão contra um fulano que era uma grande ameaça, segundo muitos me contaram.

- Mas, gente, se ele é ameaça, por que não eliminá-lo agora? (Eu tentando salvar os novatos a todo custo, porque poderia ser eu o próximo)
- Não é bom arrumar problema com ele agora, senão virão atrás da gente

SOCORRO.

12) O menino que venceu a prova de resistência comigo acabou se tornando por osmose meu principal aliado. Aí teve uma twist doida na quarta rodada que as provas e as votações eram todas ao contrário. Tivemos que votar em secreto em duas pessoas que gostaríamos de ver no paredão. DUAS. Mas eu já fui rato de Big Brother, né, gente? Sempre tem essas brincadeiras da discórdia. Todo mundo vota numa pessoa odiada, aí acaba que essa pessoa ganha algum poder especial. Como eu não tinha certeza, votei no DEMÔNIO e no meu aliado., só pra balancear. Os dois foram para o paredão de verdade. RISOS.

Eu nem tive coragem de confessar isso pra ninguém Hahahahah

13) Eu: "QUE BOSTA EU FIZ". E piorou. DEMÔNIO venceu a prova do veto, tirou a si mesmo do paredão, o grupo votou numa pessoa e advinha quem foi para o paredão com o meu maior aliado que eu mesmo ajudei a colocar lá? EU MESMO.



14) Fiquei chocado que minha aliança votou em mim sem nem me dizer nada, foi um voto unânime. Meu mundo caiu. Como eu disse, era uma rodada doida. A prova do líder veio por último, e o líder, somente ele, escolheria quem seria o eliminado, eu ou meu aliado. Desnecessário dizer que eu já estava abraçado com Murphy e quem venceu a prova do líder foi DEMÔNIO. A única pessoa do jogo com a qual eu definitivamente não queria jogar era a única que podia me salvar. Eu quase ri.

Qualquer semelhança é mera coincidência


15) Já tinham me informado que DEMÔNIO, em todo Real Life que participa, escolhe um novato para ser seu "projeto" e o arrasta até a final só para então destruí-lo lá. Eu, com todo meu brilho natural, tinha que usar essa info ao meu favor. Melhor ainda, quem voltasse desse paredão ganharia um poder especial secreto. Foi realmente uma rodada BEM DOIDA.

16) Fiz um pacto com o DEMÔNIO. Aquela criatura realmente tem uma lábia muito boa. MEU DEUS. Não que eu tivesse opção, né. Prometi que contaria a ele qual seria o meu poder, que eu seria 100% fiel, que jogaria com ele, faria tudo por ele e blábláblá. O engraçado é que, naquele momento, eu não estava mentindo. Minha aliança tinha mesmo me jogado no fogo, eu não tinha mais ninguém, só o DEMÔNIO mesmo. Ele me deixou no jogo. Meu aliado foi embora, doeu, mas antes ele do que eu.

17) Meu poder especial era que, mesmo que eu não fosse o líder, poderia indicar uma pessoa extra para o paredão, formando um paredão triplo. Contei para DEMÔNIO.

18) DEMÔNIO foi eliminado logo depois e não movi um dedo para ajudá-lo. Não usei meu poder, não contei pra ele que estavam mirando nele (eu sabia) e ainda votei nele pra fechar o caixão e vez. Ele era o único que sabia do meu poder, vieram me falar que ele estava dizendo pra todo mundo que eu era perigoso e eu via ele cochichando com realmente TODO MUNDO. Que bicho social. Ele me salvou, fiquei realmente grato, mas jogo é jogo. Bjs. Vai com Deus.

19) Em certo ponto do jogo, um menino bem gente boa veio falar comigo: "Ô, amigo, se envolve mais, fala mais. Você está se divertindo? Estou te vendo muito no canto e tal, sempre calado. Nem estou falando de jogo, mas só te dando um toque mesmo". Eu estava realmente isolado depois de ter sido traído pela minha "aliança" e por ter eliminado DEMÔNIO. Então resolvi curtir mais. Foi um bom conselho.

Foi exatamente assim

20) Com 9 pessoas no jogo, o bagulho ficou tenso. Eu realmente consegui me cercar de pessoas razoavelmente confiáveis. Éramos 5, maioria. Os 4 restantes eram meio que duas duplas. O casal que eu conheci lá no começo e por isso tinha certo afeto por eles e uma dupla de melhores amigos, segundo me contaram. 5 X 2 X 2. Mas essas duplas se juntaram. 5 X 4. Só sei que, num paredão importante, em que os votos da minha aliança eram maioria e poderíamos facilmente fazer um 5 X 3, eu pensei melhor. Éramos 5 X 4, mas onde eu estava na hierarquia desses 5? Quando restássemos só nós 5, eu seria o primeiro a rodar? O segundo? Quem sabe? Aí comecei a nos enxergar como 4 X 1 X 4. Eu poderia escolher o meu lado naquela votação e... TROQUEI DE GRUPO. Meus aliados ficaram chocados Hahahahah

21) O fato é que eu era mais valioso num jogo de duplas. Quando ficássemos nós 5, as duplas iriam precisar de uma terceira pessoa para eliminar a dupla rival. E lá estaria eu. Pelo menos o terceiro lugar garantido, se tudo desse certo.

22) Gente, eu joguei muito. Usei meu poder pra ferrar ainda mais minha aliança antiga, ganhei várias provas, ganhei OUTRO PODER quando não aguentava mais ficar em evidência (o melhor jogo é ficar arquitetando dos bastidores enquanto os outros se matam), salvei o casal duas vezes com mentiras que contei para os adversários. QUE GAME CHANGER, BICHO. Eu quase dizimei minha antiga aliança mudando de lado, só sobrou o menino gente boa que me deu o conselho.

Eu perto do final do jogo

23) E lá estávamos nós no TOP 5, eu e o gente boa no paredão. O TOP 5: eu, o casal, gente boa e a ameaça lá do começo com a qual ninguém queria se meter tão cedo. Só o casal votava, então eu fiquei "Bom, eu salvei vocês tantas vezes, pelo amor de Deus, hora de retribuir". E eles:

- Então, Felipe... Não dá não. Você é um perigo. Se a gente te deixar passar daqui, você vai acabar vencendo. Você ganhou poderes especiais, trocou de lado, comandou jogadas. Você precisa ir embora.

QUE TRAIDOREEEEEEEEEEEEEEES. Eu fiquei todo MAS EU QUE CRIEI VOCÊS, QUE INGRATIDÃO. Mas faria o mesmo que eles. Risos. Dá pra acreditar nisso? Eu, esse amor de pessoa, virei A MAIOR AMEAÇA DO JOGO. Fiquei puto, mas apreciei. Foi justo.

24) Fiquei em quinto e, gente. ser eliminado é a melhor coisa depois de tanta decisão difícil que tive que tomar. Contei que era meu aniversário quando me colocaram no Júri e todo mundo soltou um "Aaaaaahhhhhh Tadinho!". Mas fiquei feliz de estar ali. Sério. Não poderia imaginar um jeito melhor de passar meu aniversário.

25) O casal rodou logo depois. Bem feito.

26) A final ficou entre menino gente boa e ameaça-mor. Eu tinha que dar meu voto de Júri para consagrar um vencedor. Acho que os dois tiveram seus méritos. Ameaça-mor durou até o fim, mesmo tendo sido alvo na primeira rodada e eu colocando ele no paredão 200 vezes (Na primeira vez que ele me colocou no paredão, eu saí. Risos). Menino gente boa foi o único da aliança que traí que sobrou, também foi ao paredão várias vezes, mas nunca foi alvo de ninguém. Ele de fato era gente boa, um social perfeito. No discurso de Júri, ele revelou que tinha feito VÁRIAS JOGADAS que a gente nem sabia, mas que lá no começo deixou a gente doido tentando adivinhar quem que tinha feito. Não foi difícil votar.

27) Menino gente boa venceu por 5 votos a 4, foi bem acirrado. Meu voto inclusive foi o último a ser lido, foi o decisivo. MUITO GAME CHANGER MESMO. Foram DOZE HORAS de jogo. A gente chegou na Quinta da Boa Vista de manhã, tivemos que sair num breu quando ela fechou, terminamos o jogo num POSTO DE GASOLINA. Eu fiquei muito satisfeito, muito mesmo.

***

A conclusão é que, CARAMBA, GENTE, esses jogos são muito difíceis. Nunca mais vou julgar quem faz burrada em Survivor, BBB e derivados. Com 1 dia de jogo, eu quase enlouqueci. Imagina passar 3 meses enfurnado nisso. Eu não daria conta. Agora eu entendo quem protege casal em jogo, coisa que sempre achei burra. Entendo quem faz aliança com os jogadores mais perigosos, entendo quem larga a aliança "do bem" e se alia com gente que ninguém gosta, entendo tudo. Toda jogada é válida e, na hora, nosso cérebro vira uma geleia. No fim das contas, todo mundo levou tudo numa boa, bons jogadores, gente muito legal, foi perfeito.

Meu primeiro jogo, fiquei ENTRE OS CINCO, fui considerado ameaça. Sinceramente, foi um grande feito. Eu mesmo estou me dando os parabéns, fui incrível, ainda mais na pilha de nervos que eu estava.


AMEI jogar, amei participar. Acho que, de todas as experiências que vivi nesse ano, essa foi a mais divertida de todas. Eu saí de lá 200% exausto. Feliz, mas morto. Imagina eu indo para um Survivor da vida... Na verdade, isso meio que aconteceu NA SEMANA SEGUINTE. Survivor Paquetá! Mas isso eu conto em outro post, porque esse está enorme.

JAMAIS DEIXEM O MAL DOMINAR VOCÊS (no jogo pode)

Posted on terça-feira, agosto 01, 2017 by Felipe Fagundes

No comments

***
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...