Continuando o diário da viagem para São Paulo em busca da Tirolesa Voadora! Parte 1 aqui, caso não tenha lido.

12) Não morremos na ida [Eu até sou um pouco desencanado com avião, mas não consigo não pensar que a qualquer momento pode explodir, principalmente na partida. Eu relembro aquela estatística de que é mais seguro viajar de avião e fico bem, até acho graça de quem visivelmente está tendo um piripaque. Mas é puxado sentar do meu lado (Jonas sabe) porque eu fico "Já pensou se explode agora?", "Vamos treinar a posição de impacto?", "Ignore o aviso e coloque a máscara de emergência primeiro em mim, ok?"]

13) São Paulo!!! Saímos do aeroporto, pisamos na rua e, gente, as casas são sutilmente diferentes. Quer dizer, dá para saber que não é o Rio de Janeiro, mas não sei dizer o porquê. Elisa diz que estranha não ter as montanhas em volta. Realmente. A cidade se estende pra sempre como se a Terra fosse plana.

14) Eu fiquei todo: Uma calçada paulistana! Um ponto de ônibus! Um ciclista real e oficial com capacete de SP! Ônibus com mais de 4 rodas! Essa árvore! Ar poluído!

15) Meu Bilhete Único está MORTO. Tens o necessário para me fazer embarcar no transporte público?

Sua luta acabou.
Eu com meu Bilhete Único.


16) Jonas e Elisa queriam ver SP inteira assim que nos acomodamos no hotel, mas meu estado de espírito era esse:



17) Um pequeno adendo: fui novamente vítima de UM BANHEIRO SEM BOX.

18) Fica evidente que jamais poderei viajar sozinho, pois, se depender de mim, fico trancado no quarto do hotel o dia todo. E qual é o ponto de viajar, não é mesmo? Pessoas gostam de ver LUGARES e não dou muito bola para lugares, mas amo pessoas, então todo mundo ganha. Um beijo para Jonas e Elisa que me arrastaram para todos os cantos e não desistiram de mim.

19) Exite meio que um jeito de criança em mim que eu não consigo matar e isso torna automaticamente qualquer pessoa que passa mais de 3 horas comigo em meus pais adotivos.

20) "Quer ir no banheiro, Felipe?", "Já se hidratou?", "Pegou o casaco?", "Está com fome? Já vamos parar para comer, ok?". Eu, na verdade, aprecio, pois sou mimado. E, sério, é mais forte do que vocês. Meu superpoder é fazer as pessoas quererem cuidar de mim.

Papai, eu e mamai <3


21) Gente, A AVENIDA PAULISTA!!! É a rua mais bonita que já vi em toda minha vida. ainda mais quando fecha nos feriados e nos domingos e a gente pode andar no meio da pista.



22) As pessoas da Paulista são um caso à parte, quero ser amigo delas. Que roupas são aquelas??? Num primeiro momento, fiquei fascinado. Incrível que TODO MUNDO tem um estilo ou quer chegar lá. Tipo, acho que em todos nossos círculos sociais existe aquela 1 (UMA) pessoa que se destaca por ter um estilo maneiro, mas na Paulista todo mundo é essa 1 pessoa.



23) Ainda sem entender o fulano com um casaco amarrado na cintura e outro nos ombros. Todo mundo usa echarpe/cachecol, mas nem estava ESSE frio. Muitas calças rasgadas, chapéus, xadrez, cabelos doidos, looks pseudo-rock... Em 1 mês SP me faria hipster.

24) No dia seguinte, eu já estava achando aquelas roupas insuportáveis.

25) Sobre o Ibirapuera: É um lugar verde.

26) Também tem essa estátua que eu talvez tenha achado horrorosa porque Jonas disse que Papa Francisco a considera uma ofensa aos índios. Não consegui mais apreciar depois disso. Assim... Uma homenagem é que não é.

Os índios tudo sendo arrastado, tem um ali desmaiado


27) Parece aqueles quadros de Pawnee o.o



28) Fui informado de que feijão preto não é uma comida diária aqui e estou COMO ASSIM??? Gente, vocês não tem medo de anemia? Será que o Rio de Janeiro terá que se separar do Brasil tal qual sul. EU QUERO MEU FEIJÃO PRETO AGORA. Make feijão preto great again, ia ser meu slogan pra concorrer à presidência do Brasil.

29) Fiquei meio traumatizado com o metrô. Na estação que a gente pegou (Santa Cecília), uns caras provavelmente drogados, ficavam tentando catar nosso troco e pediam dinheiro. Dentro do metrô, um cara vomitou um vômito de cerveja que empesteou o vagão inteiro, eu nunca tinha visto um trem desse acontecer. Todo mundo saiu de perto e o cara ficou com metade do vagão só pra ele. Eu ia morrer de vergonha.

30) Mais uma noite chega e com ela a depressão meu cansaço. Meus horários de sono foram todos desconfigurados, foi um dorme tarde, acorda cedo que, GENTE, 20h e eu já estava um lixo. Ainda bem que Jonas e Elisa podiam conversar um com o outro. Alugamos um carro, talvez a coisa mais adulta da qual participei na vida, porque no dia seguinte a gente ia finalmente atrás da Tirolesa Voadora lá nos cafundós de SP. 

31) Comemos pizza na janta (tinha ketchup).





~CONTINUA~