A Lorde divulgou Liability dia desses, e eu parei para ouvir... Daí eu ouvi de novo, prestei atenção na letra, ouvi mais, procurei a tradução, fiquei obcecado ouvindo, li textos sobre e até hoje não superei o quanto essa música é boa em acertar alvos que quase nenhuma outra acerta. A Lorde é alguém que a gente simplesmente respeita.



Eu nunca estive no lugar da menina sobre qual a letra canta, mas, gente, a Lorde joga a gente LÁ DENTRO da dor. A historinha é até bem básica. A menina está voltando pra casa, bem triste, depois de levar um pé na bunda, mas não um pé na bunda qualquer, mas aquele SENHOR pé na bunda.

He don't wanna know me
Says he made the big mistake
Of dancing in my storm
Says it was poison

Ele não quer me conhecer
Diz que cometeu o grande erro
De dançar na minha tempestade
Diz que foi veneno

Não foi só um "Então, amor, não está dando certo pra gente". Não. Ele diz que o relacionamento deles foi um VENENO, que ela é uma TEMPESTADE e, acho que o pior, diz que ela é um FARDO, que é o que dá nome à música.

They say: You're a little much for me
You're a liability
You're a little much for me
So they pull back, make other plans
I understand, I'm a liability
Get you wild, make you leave
I'm a little much for
E-a-na-na-na, everyone

Eles dizem: Você é um pouco demais para mim
Você é um fardo
Você é um pouco demais para mim
Então eles recuam, fazem outros planos
Eu entendo, sou um fardo
Te deixo louco, te faço ir embora
Sou um pouco demais para
E-a-na-na-na, todo mundo

Assim, eu nem conheço o casal, não sei do passado deles, vai ver Lorde aprontou mesmo todas, mas sei que o cara bagunçou com ela todinha, tanto que ela enxerga um padrão das pessoas a abandonando por ela ser difícil demais de lidar. Nem vou entrar nesse mérito, até porque acho que a conclusão fica no ar, ela denuncia que as pessoas a tratam como um objeto, mas também diz que entende o peso que é. Fica aí o suspense.

Mas o que me deixou orgulhoso pela menina, pela Lorde, pela música é que, ok, ela volta triste pra casa, mas para abraçar a si mesma. Doeu, mas ela não se vê como um lixo, ela sabe que é complicada, mas sabe apreciar a si mesma.

So I guess I'll go home
Into the arms of the girl that I love
The only love I haven't screwed up
She's so hard to please
But she's a forest fire
I do my best to meet her demands
Play it romance, we slow dance
In the living room, but all that a stranger would see
Is one girl swaying alone
Stroking her cheek

Então acho que vou pra casa
Para os braços da garota que amo
O único amor que eu não arruinei
Ela é tão difícil de agradar
Mas é um incêndio florestal
Dou o meu melhor para atender às suas exigências
Romantizo, dançamos lentamente
Na sala de estar, mas tudo o que um estranho veria
Seria uma garota balançando sozinha
Acariciando seu próprio rosto

Lorde é THE SUN, O SOL. Ela sabe que é. Quando tudo vai embora, ela é quem fica. Não importa o que aconteça, a vida dela continua. A vida é DELA, e ela existe até morrer. O sol não pode viver em função dos outros planetas. Tem muita coisa importante nas nossas vidas, eu sei. Família, trabalho, estudos, relacionamentos, finanças, religião, imagens... Mas tudo isso pode desmoronar e, AINDA ASSIM, você vai ser você e sua vida continua. Sua família pode te abandonar, você pode ser demitido, pode ser jubilado, pode ouvir que é um FARDO de todos os relacionamentos que teve, podem arrancar de você tudo de bom ao seu redor ou você mesmo pode abrir mão de todas essas estruturas que parecem super importantes agora... Mas não são tanto assim, porque você vive além delas.

No fim do dia, aquela catástrofe que parece ser perder alguma coisa ou a opinião negativa de uma pessoa que você considera tanto não acaba com a sua vida. Claro que dói. Mas, querendo ou não, a vida segue, e acho que o mais importante é fazer que nem a Lorde e desaparecer dentro do sol, essa coisa que você nunca vai perder.