Eu nunca dei muita bola pra comida. Eu sei, isso é motivo para vocês soltarem um NOOOOOSSA. As pessoas tendem a ser muito apaixonadas por comida, e eu nunca pude participar do rolê. Às vezes, sinto que como apenas para sobreviver. Tem dias que eu nem janto por pura preguiça. Quando eu invento de almoçar com os colegas de trabalho e eles ficam naquela indecisão para escolher o restaurante, eu vou falando na ordem do mais perto para o mais longe. Porque, pra mim, realmente tanto faz.

Acho até engraçado quando surgem aquelas conversas sobre comida, e as pessoas ficam “Humn, eu faço um canelone que, olha, QUE CANELONE” (nem sei o que é canelone), “E aquela costelinha do restaurante X? Deliciosa”, “Nossa, teve uma vez que eu comi um ensopado de peixe que foi o melhor de toda minha vida”. Eu fico mudo, porque, gente, é só comida. Galera fala como se fosse uma EXPERIÊNCIA TRANSCENDENTAL e até brigam sobre se fica melhor com bacon ou sem bacon. Nem sei identificar direito um bacon.

Claro que eu sinto o gosto das coisas (risos) e tenho lá minhas preferências, mas tá aí um assunto com o qual eu pouco me importo.

Quer dizer, que eu pouco me importava. Vocês sabem que, quando eu entro no recinto, as pessoas falam “chegou o viciado nas experiências” (mentira) , então fiquei curioso para ter minha própria EXPERIÊNCIA TRANSCENDENTAL. Vai que eu estava perdendo alguma coisa? Foi aí que fui no Twitter e gritei GENTE, QUERO COMER COMIDAS BOAS. ME SALVEM. Terminei com uma lista com mais de 10 restaurantes/lanchonetes e agora é minha missão na Terra comer de tudo de bom que há no mundo. Chamo pretensiosamente de Tour Gastronômico.

***

Quando a Ju sugeriu comida japonesa, eu achei meio ARGH. Meio que nunca comi nenhuma dessas comidas de outros países, nenhuma mesmo, elas sempre me pareceram super estranhas, mas, se estamos na chuva... Fomos.

Dizem que comida japonesa é algo difícil de amar de primeira, o preço salgadinho também não ajuda muito, então elas, Ju e Rute, pediram o trem pequeno para eu experimentar. Gente, você olha assim e, apesar de ser visualmente bonito, nada parece de comer.



Leigos falando aqui, não sei o nome de nada, e a primeira coisa que mordi (Ju disse ser um Hot Philadelphia) (cadê o nome japonês?) tinha um gosto de HAMBÚRGUER PODRÃO DA ESQUINA. Posso estar equivocado, mas acho que os cozinheiros não estavam esperando essa reação. Meu paladar refinado etc. Uma delícia Hahahahah Nossa, se não é o podrão, não faço ideia do que tem naquele troço.

Eu nem gosto de peixe, mas aparentemente tudo ali tem peixe e cru ainda por cima. Bate aquele nojo quando a gente pensa a respeito, mas na real? Nem senti peixe ali. Deve ser muito temperado, tem o molho shoyo e o wasabi para ficar ainda com mais sabor, não senti mesmo o peixe.

Tem muita coisinha com arroz, tem aquelas peçonas gordas de sushi de salmão, camarão e atum (basicamente é um bolinho de arroz com um salmão/camarão/atum jogado em cima, achei preguiçoso) que você tem que enfiar tudo na boca. Só o camarão que achei meio ~incomum~ porque vai com rabinho e tudo pra dentro da nossa boca.

Tinha um trem de alga também, que foi o único momento que parei e fiquei “Ai, gente…”. É uma comida PRETA. Não marrom, tipo feijão, mas PRETA mesmo. Deve ser criada em laboratório. Acabou que tinha o mesmo gosto delicinha de todo o resto.

Daí chegou o momento em que mordi o bolinho de salmão, que parece um salgadinho comum até você morder, e, gente, ele é o que eu vou ficar dizendo nas conversas sobre comidas “Menina, comi uma vez um BOLINHO DE SALMÃO”. Jesus Cristo, como uma comida pode ser tão boa? Custa os olhos da cara uma porção pequena, e a gente fica refletindo “Imagina uma coxinha disso”. Ele nem tem cara de comida japonesa, mas foi o que ganhou meu coração. Vai ver existe mesmo essa coisa de EXPERIÊNCIA TRANSCENDENTAL.

Já faz mais de dois meses que fui nesse restaurante e ainda estou falando dele. Mestre Kami fica na Lapa, é meio apertadinho e todos os pratos têm nome de personagens do Dragon Ball Z. Achei sucesso e recomendo. Mas não saiam de lá sem provar o bolinho de salmão.

***

Se você conhece algum lugar no Rio de Janeiro que tem AQUELE prato especial que é o melhor do estado, favor indicar que agora eu tô doido pra conhecer.