Uma das minhas crises recorrentes é sentir que, daqui a alguns anos, eu vou sofrer um acidente fatal em casa e só vão encontrar meu corpo 5 dias depois, quando o gato ou o cachorro já tiverem comido dois terços da minha cara. E olha que eu tenho evidências, porque teve um final de semana que minha mãe foi viajar e ocorreu aquele fatídico dia em que eu APAGUEI de meio-dia até o dia seguinte. Alguém notou minha falta? Tinha alguma ligação ou mensagem de preocupação no meu celular quando acordei? Nadica. Isso, meus amigos, chama-se SOLIDÃO. Eu não sou o whatsapp de ninguém e isso me mata por dentro às vezes. Mas eu supero até não superar mais.

 Superando!

Eu não sei que mágica de sucesso eu fiz, mas eu realmente tenho muitas pessoas AGORA e sou grato por cada uma delas. Cara, não sei o que eu faria sem as minhas pessoas. Algumas eu cultivei, outras Amanda Palmer e Jesus trouxeram pra mim nos últimos dois anos. Não tenho muito do que reclamar, é bem mais do que eu esperava com a minha personalidade fechada e meio ogra.

Mas eu não consigo parar de pensar no futuro. A festa está muito boa, está todo mundo aqui, mas e daqui a dez anos? Como será? Estou vendo meus amigos iniciando namoro e desaparecendo. Tô vendo todo mundo casando e tendo filhos e ficando quase que indisponível. É como se minha rapeize fosse morrendo aos pouquinhos. Acontece que o ciclo da vida é esse mesmo, eu acho. Seus amigos te sustentam por um tempo, até que cada um encontra sua pessoa, aí a vida já é outra. Não há necessidade mais daquela atenção especial que havia antes, porque já tem uma pessoa cuidando carinhosamente de você e seus amigos já tem as pessoas deles. Organizando direitinho, todo mundo fica feliz.

Eu tô dizendo isso agora, né, porque, por mim, todo mundo ficava solteiro pra sempre. Risos. Eu desorganizei o rolê todinho tendo 25 anos na cara e 0 relacionamentos no currículo. ZERO. Então, o que acontece é que eles seguem com a vida e eu fico aqui inventando o que fazer.

Inventando!

Foi tentando ignorar as verdades aí de cima que eu tomei algumas bandas. 100% dos meus amigos mais próximos está namorando ou casando ou tendo bebês, e eu estava querendo fingir que estava tudo igual. Chamando para sair, puxando conversa, estando disponível para eles, aconselhando, cancelando minhas coisas quando eles precisavam de mim... Me doando bem, sabe? Mas quando eu que precisei...

A penúltima banda foi quando chamei um deles para montar um grupo e ir ao cinema. Eu queria muito falar com ele. É um dos meus melhores amigos e eu tava sentindo faltar de passar tempo com ele. Ao que ele respondeu (depois de ter ignorado a mensagem e eu ter insistido numa resposta, mas enfim):

- Poxa, não vai dar por agora, tá tudo muito corrido, mas um dia vamos sim :-/

Fiquei triste, mas ok. A vida de todo mundo fica corrida e nem eu tenho todo tempo do mundo. Juro que perguntei o que ele andava fazendo não para que ele justificasse a falta de tempo, mas para eu saber mesmo o que esse amigo do qual eu não tinha muita notícia estava fazendo da vida. Um curso novo? Estudando para alguma prova? Um projeto especial?

- Ah, você sabe, trabalho, igreja, academia, namoro...
- ............................................... Sua vida normal, no caso
- Sim! Hahahah
- Eu estava chamando sua namorada pra ir também
- AH, EU POSSO, SIM, QUANDO VAI SER?

Ele só podia sair se fosse com ela. Tempo ele tinha, né, então tirem aí suas conclusões, porque eu não aguento mais pensar nisso, só sei que não me senti bem.

Fui convidar outro amigo excelente para jogar xadrez, comer pizza, alguma coisa, eu só queria pessoas. Conversamos pelo whatsapp, marcamos para o dia seguinte, eu bem feliz, tudo certo. Cancelei alguns compromissos que poderiam ser adiados para dar lugar a esse rolêzinho e fui confirmar pela manhã.

- E, aí, tudo ok pra hoje? Onde a gente vai?
- Ih, cara, não tô disponível não
- Ué. Mas ontem vc disse que estava.
- Foi minha namorada que tava mexendo no celular e falou contigo kkk Não dá pra mim não

GENTE. 

Essa banda simplesmente LIBERTOU MEU DRAGÃO INTERIOR de um jeito que nunca vi antes, fiquei REVOLTADO, quis cabeças rolando, explodir alguma coisa, sentar numa wrecking ball, INDIGNADO. Então respondi:

- Ah, ok. Valeu. Tchau :)

17 horas depois (que é o tempo que levo para digerir minhas emoções), eu cheguei à conclusão de que essas coisas todas não foram mesmo legais. Foi como se carimbassem um DESCARTÁVEL no meio da minha cara. Também não vou pensar muito mais sobre isso.

O fato é que também não farei nenhuma performance dramática. Cansei. Não é a primeira vez que acontece, tanto que já estou até acostumado e acreditando que a coisa toda é assim mesmo. Quando se começa a namorar, os amigos perdem um pouco da relevância. Quer dizer, eles continuam importantes, mas de um jeito diferente. O foco de quem entra num relacionamento romântico está em outra pessoa agora.

 Ok, no Twitter eu fiz drama, sim, ninguém é de ferro

Cortei a rapeize todinha da minha lista de Viver Pessoas. Se eles quiserem, eles podem me chamar para os rolês, pra conversar, para o que estiverem querendo de mim no momento. São meus amigos, estarei lá. Mas não vejo mais sentido em investir tanto assim no laço. Só vou tomar tocos, bolos e passar por essas cenas lamentáveis. Acho que estou investindo meu tempo em pessoas ótimas, mas erradas. Enquanto todo mundo está seguindo com a vida, eu estou ali observando, apoiando, ajudando... Mas e a minha vida? Como os meus relacionamentos evoluem?

A Lilian me marcou nesse texto e, gente, a Idade Decisiva É REAL

Eu sei que quero conhecer gente nova. Quero investir meu tempo em pessoas solteiras, que sei que vão ter mais tempo e estarão no mesmo barco que eu. Eu nem estou dizendo que quero NAMORAR, a menos que isso seja a única coisa que me garanta ter pessoas por perto pra sempre. Caso não seja, estou aí para fazer novos amigos, desses que não vão desaparecer tão cedo. Talvez, TALVEZ, seja um pouco de desespero da minha parte, mas vou saber que pelo menos tentei.

VAMOS ACOMPANHAR.