segunda-feira, setembro 18, 2017

Às vezes eu sou sugado para dentro do Youtube e, quando percebo, já assisti várias compilações aleatórias naipe "Os 16 tombos mais feios do futebol feminino", "As 25 piores batidas de carro 2017" e "Os comerciais de creme dental mais esquisitos do mundo". Pois é. Faz parte da vida.

Daí que, na minha cabeça, existem vídeos que eu adoraria assistir, mas que, infelizmente, são compilações impossíveis, a menos que eu realmente viva num reality show filmado por Deus e que ele edite para me mostrar no pós-vida. Veja se você concorda comigo.



1) X vezes em que tudo quase deu errado

Eu amo ver essas compilações de pessoas mais sortudas do mundo que mostram situações em que, POR UM MILAGRE, uma desgraceira não aconteceu. Tipo criança cair na rua, um carro passar por cima e nada acontecer, a criança levanta e está tudo de boa. Ou quando uma pessoa QUASE é atropelada ou uma árvore QUASE cai em cima de alguém. AMO.

Tipo esse

Queria ver uma versão minha, com desgraças que quase me ocorreram. Pessoas que QUASE me assaltaram, mas eu sem saber saí do recinto, ônibus que eu deixei de pegar e se envolveram num acidente, animais hostis que me atacariam, mas eu desviei meu caminho de última hora... Cara, eu ia gritar muito assistindo isso.

2) Pessoas se pegando

NÃO ESTOU FALANDO DE PORNÔ.

Uma coisa que Grey's Anatomy me ensinou é que TODO MUNDO se pega no elevador e, bom, eu uso elevadores todos os dias e nunca suspeitei de nada. Ou seja, as pessoas disfarçam MUITO BEM. Eu gargalharia com esse vídeo com pessoas se pegando em elevadores, salas, vestiários, banheiros públicos e retiros e parando e se ajeitando imediatamente ao notarem minha aproximação. Daí eu abro a porta e digo "Oi, gente, tudo bem aqui? Tá um calor, né?". BERRO.

Do jeito que a galera é, não é difícil acreditar em pessoas fornicando embaixo do nosso nariz.

Aquela vez que você foi pegar uma pepsi e encontrou uma moça gentil se afastando da máquina.

3) Gente falando bem de você

Eu adoro receber elogios, mas nem sempre pessoas que gostam de você falam isso para VOCÊ. Por timidez, vergonha, falta de oportunidade, sei lá. Os motivos são muitos. Mas elas geralmente não possuem freios para te elogiarem para outras pessoas. Tá aí um vídeo do bem que todo mundo mereceria assistir: Pessoas falando bem de você para outras pessoas sem você estar presente. QUE HINO, GENTE. Sua mãe te elogiando exageradamente para as amigas dela, seus amigos falando do amigo incrível que eles têm, seus ex-colegas de trabalho falando daquela pessoal legal que trabalhava lá, pessoas da internet falando sobre você no privado, gente que curte as artes que você faz indicando para outras pessoas, AAHHHHHHH. Talvez seja o meu vídeo impossível favorito.

A gente vendo pessoas que nem imaginávamos falando bem da gente

(Uma outra versão impossível seria gente falando MAL de você, mas aí não sei se teria um impacto tão positivo assim. Deus me livre de assistir isso)

4) Tinha um conhecido bem ali

O mundo não é tão grande quanto a gente imagina e tem aquela regra universal dos seis graus que separam a gente de qualquer outra pessoa no planeta Terra, então imagina essas verdades sobre a sua cidade? Simplesmente que TODO MUNDO se conhece, mas você não sabe.

Eu daria meu reino por um vídeo que mostrasse que já dividi recintos com conhecidos ou semi-conhecidos ou pessoas que na época eu nem conhecia, mas agora conheço!

Sabe aquele tio da sua melhor amiga que você nem sabe que ela tem? Então! Ele é aquele cara que tava sentado do seu lado no ônibus ouvindo funk sem fones de ouvido! Sabe sua nova professora na faculdade? Ela estava no mesmo vagão do metrô que você quando peidaram lá! Na verdade, o peido veio dela! Você provavelmente já passou mil vezes na rua por várias pessoas que só depois veio a conhecer. Vocês estavam tão perto!

Você! 
E aquela pessoa que te segue no Instagram! 
E sua futura sogra! 
E o presidente do Brasil de 2045!

Eu ficaria abismado com todas as coincidências e assistiria esse vídeo mais de 17 vezes.

***

Fica aqui a torcida para que Deus manje dos paranauês da edição de vídeos.

Posted on segunda-feira, setembro 18, 2017 by Felipe Fagundes

No comments

***

segunda-feira, setembro 11, 2017

Teve uma vez que fui na casa de um amigo meu, e a mãe dele me ofereceu um pedaço de bolo. Eu comi desavisado de que aquele seria o início da minha ruína. Era um bolo comum, bolo de bolo, mas, de alguma forma, tinha recheio de leite condensado nele.

RECHEIO DE LEITE CONDENSADO NUM BOLO COMUM???

Foi tão inesperado que eu declarei aquele como o melhor bolo que eu já havia comido na minha vida e nunca mais vi bolos com os mesmos olhos. Que bolo, gente. A mãe do meu amigo contou onde tinha comprado, eu não gravei o nome, mas, beleza, vida que segue.



Aí surgiu uma lojinha num lugar que passo sempre. Depois outra. E outra. Eu dava uns rolês e esbarrava em mais uma lojinha. Eu pegava trem, metrô, ônibus e encontrava uma lojinha. Eram pequenas, apertadinhas, cabiam em qualquer lugar. Cadê aquela pastelaria que tava aqui? Virou lojinha. E aquele cara que consertava sapatos? Sumiu e apareceu uma lojinha no lugar. Comecei a ficar curioso com aquela logomarca aparecendo em todo lugar. Abriu uma lojinha do lado do meu trabalho. Aí eu reparei no nome.

Fábrica de Bolo Vó Alzira.

Lembrei. Foi Vó Alzira quem pariu aquele bolo de bolo com leite condensado.

Gente, eu nunca comi tanto bolo na minha vida. Bolo de churros, de laranja, de maçã, de banana, de nozes, tradicionais, com recheio, de prestígio, sequinhos, melequentos, de festa, de fubá, a variedade é enorme. Eu não consigo parar de comprar até experimentar TODOS ELES. E parece que todo dia inventam um sabor novo, eu já estou HÁ DOIS ANOS com essa meta de comer de tudo.

As lojas não param de aparecer, cada vez menores e inesperadas. Eu quase posso apostar que, se você entrar na cozinha de uma Fábrica de Bolo Vó Alzira, você vai encontrar outra Fábrica de Bolo Vó Alzira operando lá dentro. Vó Alzira, que eu até googlei e descobri que é realmente uma avó chamada Alzira, está quase ultrapassando em número de franquias a Igreja Universal. Aparentemente, está muito mais próxima da dominação mundial do que a Hinode e os Illuminati.

SERÁ QUE NINGUÉM ESTÁ VENDO?

Enquanto a humanidade está preocupada com problemas menores como Trump e Bolsoçauros, eu estou DE OLHO nessa senhora. Meu plano para impedir a expansão deste reino hostil é comer todos os bolos das lojas até eles ficarem sem. Estou bem engajado porque todo santo dia compro uma fatia de R$ 3,50 de bolo de chocolate com bastante calda. Ainda não senti a loja definhando, mas sigo firme no propósito. Eu de fato estou pensando seriamente em parar de comprar fatias avulsas e comprar logo um bolo inteiro e fatiar eu mesmo. Sai mais barato e Vó Alzira não espera essa jogada de mestre minha. Eu ganho mais bolo e, ela, menos dinheiro. SOU UM GÊNIO.

O mínimo que espero é que, agora que os alertei, vocês se juntem a mim nessa luta e fiquem ATENTOS. Qualquer dia vocês estarão chegando em casa e verão que ela foi substituída por uma Fábrica de Bolo.

Posted on segunda-feira, setembro 11, 2017 by Felipe Fagundes

No comments

***

segunda-feira, setembro 04, 2017

Depois do meu sucesso no Big Brother Rio, eu não estava querendo manchar minha reputação me arriscando em outros jogos Real Life tão cedo, então concordei em ir apenas para assistir o Survivor Paquetá. Sim, existe uma franquia chamada SURVIVOR PAQUETÁ, onde pessoas legais recriam o melhor reality show do mundo na ilhazinha de A Moreninha. E lá fui eu pra Paquetá acompanhar o jogo.

Gente, assim como o BBRIO, foram muitas emoções, só que eu estava muito mais tranquilo porque, né, eu só ia ficar de boas assistindo do ladinho da minha Roberta favorita, que ia moderar o jogo. O que pode acontecer com alguém na torcida, não é mesmo?

1) Pois faltou uma pessoa do cast e, antes que eu percebesse, eu já estava numa tribo. RISOS.



2) Eu não estava preparado para jogar e ainda podia recusar, mas, gente, ERA MEU SONHO. O BBRIO tem um formato ligeiramente parecido com Survivor, mas não é a mesma coisa. Survivor é Survivor. Tem tribos, tem conselho tribal, tem a merge, tem ídolos de imunidade, é um jogo diferente. Eu também estava diferente, já conhecia algumas pessoas, tinha meus próprios relacionamentos passados, já não era mais tão inocente. ACEITEI COM GOSTO.

3) Me senti no Survivor real. DEZOITO participantes indo num barco para um lugar remoto, um monte de gente desconhecida, os moderadores entregando as bandanas das tribos e tal. Dividiram o povo em 3 tribos: Os estratégicos, as ameaças físicas e os mais sociais. Eu não sei se fui realmente alocado na tribo dos sociais ou se apenas ocupei o lugar da pessoa que faltou (Roberta, favor confirmar), mas lá estava eu numa tribo cheia de gente conversadeira, engraçada e FOFA. Eu de fato amei minha tribo, não gostaria de estar em nenhuma das outras, sabia que a gente ia se dar bem.

Pessoas que saem fazendo careta nas fotos, me add
Tínhamos até 1 (UMA) mulher nessa temporada!!!

3) Fui o primeiro eliminado da minha tribo.




4) Mas era uma eliminação de mentirinha. Cada tribo teve que enxotar uma pessoa e, depois, todos os participantes juntos iam DE FATO eliminar uma pessoa. ALI NA BARCA MESMO. Cara, 15 minutos no jogo e eu já tive que fazer um discurso para SALVAR MINHA VIDA. E eu estava numa BARCA PÚBLICA.

5) Realmente tinha gente na barca olhando pra galera do jogo meio assim, "Gente??? Que isso???". Até tinha pessoas perguntando o que estava havendo Hahahahah "Nossa, que legal, vocês organizam jogos! Tipo uma gincana!". Sim, querida, tipo uma gincana, MAS DE DESGRAÇAMENTO MENTAL.

Eu rindo pra galera da barca fascinada com o jogo 
enquanto pensava no meu discurso

6) O menino enxotado da tribo dos estratégicos quase chorou no discurso dele, até eu fiquei com pena. Tava quase falando "Ok, gente, me mandem embora agora, nem era pra eu estar aqui". O da tribo das ameaças físicas disse assim "Ah, caguei, tanto faz". Belo discurso. Eu fui o último e tentei usar meu brilho natural para ficar no jogo e, no final, todo mundo bateu palma e cantou parabéns pra mim (?) porque contei como foi passar meu aniversário no BBRIO. Achei sucesso.

7) As pessoas são horríveis e o primeiro eliminado foi o fulano que quase chorou dizendo que amava o jogo e queria muito ficar. COITADO. Mas, de quebra, eu ainda ganhei secretamente um ídolo de imunidade por ter ficado. Minha tribo que me aguardasse.

8) Minha tribo jurou de pé junto que me amava e que só me "eliminaram" porque tinham mesmo que escolher alguém e não me conheciam, mas fizeram de tudo pra me salvar. Eu acreditei pois sou bestinha assim. Foi muito legal passar um tempinho com eles na barca, todo mundo rindo, conversando, tirando foto, dizendo que amou a tribo... Éramos seis. Foi 3 se separarem na hora de descer da barca por causa da multidão para o jogo começar. Já me puxaram num canto e "Eu confio em fulano e fulana, se juntar nós 4 já somos a maioria, podemos eliminar ciclano de cara e OI, CICLANO, NOSSA, VOCÊ ACHOU A GENTE, QUE BOM". Risos.


9) Paquetá é uma graça. Não tem carros lá (é uma ilha, gente), é tudo muito calmo, é outro tipo de vida pra quem mora lá. Tem pedalinhos na lagoa, tem gente sentada na calçada, podemos andar no meio da rua... O parque onde ficamos para jogar parece que foi feito para Survivor. Muito bonito, muito verde, espaço para as provas, uma arquibancada para o conselho tribal, maravilhoso.





10) O primeiro conselho tribal da minha tribo foi um MERDELÊ, inclusive foi o primeiro de todos, pois aparentemente ser fofo não te garante vencer desafios. Minha tribo foi muito derrotada. Cara, eu não sabia em quem confiar. TODO MUNDO tinha planos de eliminar um ou outro, toda hora surgia um novo nome na roda. Acho que todos vieram dizer que confiavam muito em mim, que eu não era alvo, que o lance era eliminar fulano ou ciclana, MAS VAI QUE ERA EU?

11) Minha tribo era a única que tinha uma mulher e, gente, que experiência fascinante acompanhar Paula. Paula, pelo que entendi, já era uma jogadora experiente nos jogos virtuais. Me disseram que ela era muito esquentada e que chorava, fazia drama e sei lá mais o quê, mas ela me garantiu que já tinha mudado, que sabia separar as coisas e tal. Beleza.

12) Eu tava tanto me cagando de medo no conselho tribal que avisei todo mundo: VOU USAR MEU ÍDOLO, NÃO QUERO SABER, NEM ADIANTA VOTAR EM MIM. Eu poderia ter guardado, mas, ai, gente, nunca se sabe. Chatão ser o primeiro a cair fora (Mais um minuto de silêncio pelo menino eliminado na barca). Todos votaram, usei meu ídolo pra me livrar logo de tanto poder escondido no bolso e vi o cabaré pegar fogo.

Olaaaaar, tenho um ídolo
VOTEM EM MIM AGORA, SEUS DESGRAÇADOS

13) Todo mundo tinha combinado de eliminar um fulaninho, mas apareceu o nome da Paula num dos votos.

- QUEM FOI QUE VOTOU EM MIM? EU QUERO SABER. NÃO ACREDITO QUE VOCÊS FIZERAM ISSO. PODE FALANDO AGORA.

Berrei. A Paula teve 2 votos, o eliminado saiu com 4. Um dos que sobraram havia votado na Paula e graças a Deus não fui eu, pois Paula ficou PUTA. Amei. Pelo menos, não era comigo. Eu ia adorar assistir isso na minha TV.

Eu vendo os surtos da "nova" Paula com a tribo

14)  200 eliminações depois, chegou a hora de misturar as tribos e, gente, o cagaço que dá de ficar em minoria de repente. As 3 tribos iam virar 2. Pegamos as novas bandanas embrulhadas em papel de presente (toda uma super produção, respeitei). Havia bandanas amarelas e bandanas verdes, quem pegasse cores iguais ficava na mesma tribo. Peguei uma aleatoriamente, rasguei o papel e: BANDANA ROXA??? DEUS, POR QUE ME ABANDONASTE? Só tinha uma bandana roxa.

Todo mundo foi para uma nova tribo, menos eu

15) Mais uma twist: fui o único pobre coitado a ficar sem tribo. Fui enviado para o exílio. Em Survivor, o exílio é um lugar inóspito e hostil onde 1 participante fica lá amargando a solidão, mas que eventualmente pode encontrar um ídolo de imunidade. Me deram 3 dicas sobre o esconderijo dos 3 ídolos que tinham lá: Tronco, Rocha e Terra (algo assim). Tudo na área do exílio era tronco, rocha e terra, e eu fiquei "QUE RAIO DE PISTAS SÃO ESSAS???". Chegou uma hora que cansei e desisti de procurar.

16) Quando retornei ao jogo, JÁ ERA A MERGE. As duas tribos, que antes eram três, agora eram só uma. Minha tribo inicial ficou intacta enquanto eu estava no exílio (que orgulho dos meus bebês), mas eu estava desatualizado sobre o jogo. Quem votou em quem? Teve barraco enquanto estive fora? Novas alianças? Alguém mudou de lado? Paula era alvo? Os sociais ainda eram maioria e nosso plano desde a primeira hora era eliminar a Sonserina os estratégicos, porque NÉ.

Eu não sei nem o que comentar Hahahahah

17) Teve o famoso leilão de Survivor na merge e fiquei muito feliz. Cada um ganha 500 dinheiros de mentirinha e pode dar lances em itens secretos. Às vezes é comida, às vezes são poderes especiais, às vezes é nada que preste. Eu não tava conseguindo levar nada, aí vi que o item 8 seria o último, então fiquei É AGORA. Dei 500 reais numa coca quente. BERRO.

Eu nem bebi a coca, tá na minha geladeira até hoje

18) E não era o último item, me enganei. Vieram mais mil itens importantes depois, mas eu não tinha mais nenhum dinheiro ¯\_(ツ)_/¯

Cuidado com a burra

19) 9 pessoas no jogo e foi o tribal mais doido da minha vida. Minha aliança me soprou nomes diferentes, os nossos adversários também me sopraram nomes DELES MESMOS, tava todo mundo mirando no lado de lá (amém), mas eu não estava certo de em quem eu tinha que votar. Eu estava total indo no plano de alguém, o exílio quebrou meu controle do jogo. Na hora de votar, eu fiquei "Gente??? Será que é pra eu votar em pessoa A ou pessoa B? Esqueci??? Será que vou rodar?". Não rodei. Mas os votos ficaram MUITO divididos, tipo 2 x 2 x 2 x 3 (Levei 0 votos, bjs), e saiu uma pessoa que eu nem sabia que era alvo de ninguém.

O QUE ACONTECEU NESSE CONSELHO???

20) Teve prova de comida, e eu nem me esforcei pra comer meu dente de alho. QUE NOJO, GENTE. Mas galera comeu pimentinhas, orégano, alho, OVO CRU. Venceu um garoto da minha aliança, e ele tinha que mandar alguém para o exílio. ME ESCOLHEU. Eu fiquei "PLMDDS, ACABEI DE VOLTAR DE LÁ". Mas senti que ele estava meio puto comigo, não entendi o porquê. O legal do exílio é que você escapa da votação, mas qual é a graça de participar do jogo sem realmente jogar? Eu até dormi no exílio.

Minha aliança pra mim

21) Voltei do exílio montado no cavalo de fogo porque, caramba, JÁ ERA O F7. Só 7 pessoas no jogo, e eu ainda não tinha feito nada de bom para merecer votos do Júri na final. Estava sendo carregado. No BBRIO, eu venci provas, conquistei a confiança da galera, me safei dos paredões, armei contra pessoas, arruinei minha aliança para durar mais que eles no jogo... No Survivor Paquetá, eu não tinha feito nada. Falei: É AGORA.

22) Lembram do menino que cagou para o discurso lá no começo? Então, ele também ganhou um ídolo que nem eu. Outra coisa: Entre nós 7, também estava o namorado dele, um aliado meu. O cara com ídolo e casal no jogo, não tinha condições, gente. Só que ninguém estava com coragem de eliminá-lo com medo dele usar o ídolo e eliminar um de nós. Mas eu fiquei "Bom, vou arriscar. ESSA VAI SER MINHA JOGADA". Galera ia votar num fulano aleatório, mas eu armei um plano e fiz todo mundo mudar de ideia e votar no fulano com o ídolo. Eu fiz de tudo para o menino ficar seguro e jurei que ia votar com ele, que ele nem era alvo, que íamos eliminar o aleatório lá. Meu lindo plano era que ele saísse com o ídolo no bolso. E, se usasse o ídolo, o fulano aleatório ia sair com 1 voto do dono do ídolo. Antes ele do que eu.

Eu antes desse conselho tribal

23) A praga usou o ídolo. Eu jurando que ia ser um 6 x 1, mas foi um 5 X 1 X 1. Além do voto no menino aleatório, também teve um voto EM MIM.



24) Gente, que bala perdida. O menino aleatório tinha um aliado que sacou meu plano de deixar o amigo dele na mira e votou em mim pra garantir que empatasse caso o ídolo fosse usado. Quando dá empate, galera tem que revotar pra desempatar. Eu jurava que estava de boas com meus aliados.

- Vocês são a maioria, galera, me salvem!
- VOCÊ TRAIU A GENTE.
- COMO É QUE É??? EU FIZ RESIDÊNCIA NO EXÍLIO.

Lembra daquele voto que me atrapalhei e não sabia bem em quem votar? Então... Votei no errado e por isso fui considerado traidor HAHAHAHAHAHAH Por isso que o menino tava puto comigo. SOCORRO.

- Gente, eu fui fiel a vocês desde o início! Vocês vão deixar esse menino aleatório que vai trair vocês assim que puder?
- A GENTE CONFIA MAIS NELE DO QUE EM VOCÊ.



Nossa, essa doeu, Paula. Eu me considero a pessoa mais confiável do mundo e acho cansativo quando pessoas na vida real não acreditam em mim. Quando elas me conhecem melhor, elas entendem sem eu precisar dizer que podem confiar em mim absurdamente. Me senti OFENDIDO. Mas, bom, aquele do jogo não era eu mesmo, no jogo eu elimino até minha mãe se for preciso.

25) E foi assim, COM UMA BALA PERDIDA e uma coca quente no bolso, que fui eliminado do Survivor Paquetá. Grande jogada essa minha HAHAHAHAHAHAH Teria ido mais longe se ficasse na minha, mas ia perder na final de qualquer forma, então fiz o que tinha que fazer. Fiquei em sétimo dessa vez.



26) Fui rancoroso e aplaudi quando Paula foi eliminada em 5º lugar.

27) O jogo foi tão imprevisível depois que saí que os meninos que eram um casal FORAM OS FINALISTAS. Inclusive, eles também eram os organizadores do BBRIO. Acabou vencendo numa votação acirradíssima O GAROTO QUE CAGOU PARA O DISCURSO LÁ NO COMEÇO. "Ah, caguei, tanto faz". AS PALAVRAS DE UM VENCEDOR, quem diria. Bom, ele se livrou lindamente da armadilha que montei pra ele (e eu mesmo caí, risos), então respeitei como jogador.

28) Depois tiveram prêmios simbólicos de "melhor jogador", "melhor jogada", "melhor barraco", coisas assim, e vocês acreditam que ganhei o "Prêmio Sweet", amorzinho da edição? Quando eu tento jogar na paz, viro um demônio. Quando tento ser um ser frio e calculista, ganho prêmio de amorzinho da edição. FRANCAMENTE (mas amei <3). Eu nem sei por que ganhei, nem tive muitas oportunidades de mostrar meu brilho natural, então acho que Roberta que manipulou a moderação para me dar esse prêmio (Roberta, favor NÃO confirmar).

Como eu queria ser visto no jogo / Como fui visto


***

Gente, eu quero participar desses jogos PARA SEMPRE. Só facada nas costas o tempo todo, mas, quando a coisa toda acaba, o clima é tão bom! Todo mundo rindo, comentando empolgado como se fosse um programa de TV real! É uma experiência incrível e inesquecível (até porque depois você fica com uns traumas na alma, MAS ENFIM).

Confesso que o Survivor Paquetá foi uma experiência muito rica (barca, tribos, leilão...) e imersiva, mas meu coração bateu mais forte no BBRIO. Eu fui bem apagadinho em Paquetá, não consegui jogar bem, não fiquei no centro de nada. Eu fui aquele participante de Survivor que fica invisível durante a temporada inteira, daí ganha destaque do nada num episódio e é eliminado. Risos. Foi exatamente isso Hahahahahah

Sinto muito por decepcionar minha legião de fãs que imploraram tanto nas redes sociais para eu ser trazido de volta para um segundo jogo. Quem sabe me chamam para um terceiro por eu ser um amor de pessoa? Dessa água eu bebereis sim.

Posted on segunda-feira, setembro 04, 2017 by Felipe Fagundes

No comments

***

segunda-feira, agosto 14, 2017



Eu fui uma criança muito mimada pelos outros e protegida deste mundo mal, daí eu cresci e vocês podem imaginar o que a vida adulta faz com uma criança dessa: continuaram me mimando e me protegendo ¯\_(ツ)_/¯

Deve ser um desses bagulhos de patriarcado, privilégio branco ou, quem sabe, DEUS e meu brilho natural. Eu só sei que as pessoas amam cuidar de mim e eu acabei me acostumando com isso. Eu até deixo. Claro que é maravilhoso ser mimado aqui e ali, mas isso contribuiu para o fato de eu ser meio ingênuo e simplesmente não saber das Coisas Da Vida. Eu perdi um monte de lições importantes que só a vida pode nos ensinar, porque sempre teve outra pessoa cuidando das coisas pra mim. Eu me enxergo como uma criança lerda na maior parte do tempo. Agora, você joga a assexualidade na receita, e eu sou praticamente um BEBÊ VIRGINAL. Eu até poderia me acostumar com isso também, mas...

Eu tenho 26 anos. Eu sou um homem de VINTE E SEIS ANOS DE IDADE. Está cada dia mais difícil encarnar o bebê puro demais para este mundo, porque agora eu sou velho e fica meio complicado que pessoas mais novas do que eu cuidem de mim. Antes eu era sempre a pessoa mais nova em todos os lugares, meus amigos eram todos mais velhos e/ou sábios do que eu, eu trabalhava com gente de 50 anos, mas agora os tempos são outros. O menino que me ensina tudo na Firma é dois anos mais novo que eu. Meus sobrinhos são as crianças da casa. Todo mundo na internet tem 20-25 anos. Está cada vez mais raro me mandarem tapar os ouvidos quando querem falar safadezas comigo no recinto.

MAS EU SOU O MESMO. O mesmo ursinho de pelúcia assexual de sempre, mas as pessoas não enxergam mais e isso faz com que eu me sinta ultrajado em muitas situações sociais.

Um dia eu estava conversando sobre séries com um colega meu, e eu estava super empolgando falando de The 100.

- Cara, é MUITO legal. Daí eles vieram do espaço como adolescentes comuns, mas agora eles foram, tipo, endurecidos por decisões morais muito complicadas!
- Ah, sei qual é essa série, aquela que tem umas gostosas, né?
- QUÊ
- Com uns peitão e tal
- O.O
- É sim, cara, umas bem gostosas mesmo.

Quando as pessoas usam as coisas que gosto para falar de sexo

Gente, The 100 é a série com menos conteúdo sexual que já assisti na minha vida, eu não sei do que este homem está falando, PARA DE ESTRAGAR ESSA CONVERSA SOBRE SÉRIES FALANDO DE PEITOS. ESSA CONVERSA FOI PROFANADA.

Mas, agora realmente falando sobre peitos, teve um dia que um colega falou "Olha que legal isso aqui, Felipe" e eu fui ver achando que era um meme, uma matéria engraçada, um vídeo, sei lá, e eram PEITOS PULANDO.

- Não é maneiro? heheheh
- .....

(na minha cabeça: POR QUE ME CHAMOU PRA VER ISSO? EU SOU UMA CRIANÇA. Não, pera)

Teve uma vez no Tinder (ok, minha culpa ter ido até lá procurar amizade com ambos os gêneros) que um fulano perguntou o que eu curtia, e eu fui todo empolgado respondendo que adorava passeios de aventura, tipo trilhas e tal, que gostava de ler e escrever, que amava comédias etc etc, daí, após um minuto de silêncio, veio a outra pergunta dele. "O que você curte na cama?".


Amigo, na cama eu curto dormir e de vez em quando acessar minhas redes sociais pelo celular.

As pessoas estão tentando matar minha criança interior com muito afinco. Eu fico constrangido e às vezes em choque, mas sei que isso meio que é o comportamento padrão dos homens de 26 anos e eu que sou o atrasado do rolê. Sexo é natural, homens de 26 anos são muito naturais, talvez eu tenha que me adaptar. Mas ainda prefiro conversar sobre séries e passeios de aventura, e também gosto de acreditar que, quando alguém me convida para assistir um filme em sua casa, a única intenção é que a gente realmente assista um filme.

Posted on segunda-feira, agosto 14, 2017 by Felipe Fagundes

No comments

***

quinta-feira, agosto 10, 2017

Cada vez que eu digo em voz alta que sou um escritor independente, imagino meia multidão de pessoas sem rosto rindo e apontando pra mim. Esse cara não se enxerga? Como que é escritor se não tem um livro publicado que a gente pode tocar nele? Também não sei, gente, fica  aí o mistério pra vocês. Enquanto vocês ficam aí tentando decifrar, eu continuo escrevendo e publicando coisas na internet. Eu escrevo histórias, pessoas param para ler e eventualmente gostam. Acho que configura escritor, sim.



Daí que eu resolvi dedicar esse último final de semana a hibernar e ser um escritor independente em tempo integral e, eita, rendeu. Vocês estão acompanhando? Porque eu não paro.

***

Não Sei Lidar com Malas finalmente foi postado por completo no Wattpad e me rendeu novos leitores para minhas outras histórias. Dei uma revisada, montei o ebook e, tcharam, está lá na Amazon por R$ 2,48 (Eu sei que é um preço estranho, mas eu ganho o mesmo valor com ele custando R$ 2,49, então já economizei a vocês 1 centavo. Não precisam agradecer).

Me disseram que certos personagens (não disse quais) merecem uma história própria e, humn, quem sabe? Apesar de eu já ter ideias para a próxima história da série, nunca se sabe quem vai retornar (Nem eu sei, sinceramente).

***

NS1 não para de me encher de orgulho no Wattpad. MEU BEBÊ. EU QUE ESCREVI. Ai, mas livro é um produto, não é seu filho, é um trabalho. MEU BEBÊ SIM, NINGUÉM SAI. E pensar que eu quase não publiquei a história por achar que era ultrapassada e, sei lá, estranha. Foi a primeira história completa que escrevi e todo mundo sabe que primeiras histórias geralmente são aquele saco de cocô mesmo, MAS: Quase 8 mil leituras e mais de mil estrelinhas nos capítulos, além da ENXURRADA de comentários, que é a coisa que mais me faz feliz. Eu passo horas lendo sempre que posso. Muito obrigado mesmo a todo mundo que está apoiando o livro!

Chegando tão longe no ranking! :'-)


Aproveitei que Malas virou ebook e diminuí o preço de NS1 na Amazon, foi de R$ 8 para R$ 4,99.

***

Acho que vou desistir da Kobo Store e da Saraiva. Eu vendi 0 livros para Kobo e acho que 1 para LEV, não compensa o desgraçamento que é usar os sistemas de autopublicação deles, além de ter que atualizar em 200 lugares toda vez que fizer alguma alteração nas histórias. Vida de escritor independente não é só escrever, infelizmente, então estou optando pela praticidade para ganhar mais tempo para escrever.

***

Ah! Criei minha página de autor no Skoob! Quem usa o site agora pode marcar meus livros por lá :)



***

Enquanto tudo isso acontece, estou experimentando escrever meu livro novo. Sei que vai ser sobre tudo o que eu já venho falando nesse último ano de blog e quero tratar alguns assuntos que são muito íntimos para mim. Espero que alguém se conecte. No momento, estou discutindo comigo mesmo se arrisco escrever com aqueles capítulos curtinhos de no máximo 2 páginas ou se continuo nos meus calhamaços de 10 páginas. Mas está indo! Minha meta é terminar em dezembro, mas não vamos focar muito nisso.

Obrigado pelo apoio! Continuem torcendo por mim :)

Posted on quinta-feira, agosto 10, 2017 by Felipe Fagundes

No comments

***

terça-feira, agosto 08, 2017

Eu tenho certeza de que o mundo seria um lugar melhor se os cristãos soubessem quem são. Essas cagadas todas que a gente vê sobre crentes e igrejas são, em grande parte das vezes, gente que esqueceu o que exatamente um cristão é.

Tanto quem está de fora quanto quem está dentro fica com aquela imagem de que o cristão é a pessoa pura e do bem do rolê, talvez aquele ser iluminado que merece ir para o céu enquanto os outros tem mesmo que é que serem punidos e arder pra sempre no fogo do inferno. Vocês são todos malucos, gente.

Naquele livro maravilhoso que me salvou quando eu mais precisava e que dessa vez não é o da Amanda Palmer, mas, sim, o Alma Sobrevivente (do Philip Yancey), tem uma passagem que o Philip conta sobre um amigão dele, o Mel White.

Meu deus, o Mel White, gente.


O Mel White era cristão como o Philip Yancey, e eles eram amigos de longa data e tal. O Yancey até escreveu um livro sobre a amizade dele com o Mel White. Se não é pra escrever um livro sobre nossa amizade, nem quero. Aí Mel White se descobriu gay e todo mundo ficou sabendo. Não apenas isso, Mel White se tornou um ativista das causas LGBT. Aí sabe o que aconteceu com a amizade deles? Nada, continuou a mesma. Mas as pessoas ficaram chocadas que o Philip Yancey continuasse sendo amigo de um homem como aquele. Gente, pra vocês verem, as pessoas perdiam tempo escrevendo cartas pro Yancey exigindo explicações. Daí ele deu a resposta padrão dele:

"As pessoas ficam me perguntando como ainda posso ser amigo de um homem como o Mel White. A verdade é que eu que me pergunto como o Mel White continua sendo amigo de um pecador como eu"


Eu quando li isso pela primeira vez

Porque ESSA é a realidade que parece que nós cristãos esquecemos. Não somos melhor do que ninguém. Eu já expliquei isso, mas talvez eu tenha que continuar falando até morrer. Crente não tem nenhum direito de se achar superior, de se achar melhor ou mais merecedor de qualquer coisa. Estamos no mesmo barco. O cristão é só alguém que escolheu fazer algo a respeito dessa danação toda que é a nossa vida. O cristão aceitou um convite carinhoso, mas sofre, erra, fica triste, perde, tem falhas de caráter, comete deslizes... Ou seja, como qualquer um.

A gente pode no máximo querer ajudar as pessoas, mas condenar? Punir? Apreciar o sofrimento delas? É realmente um mistério como Mel White continua falando com a gente.

Posted on terça-feira, agosto 08, 2017 by Felipe Fagundes

No comments

***

terça-feira, agosto 01, 2017

Assim que o Big Brother Rio começou, eu fui abduzido para uma realidade paralela onde pessoas legais se juntam para criar versões de reality shows famosos e todo mundo, pasmem, TODO MUNDO ama Survivor. Quase que eu não volto para a realidade, gente. Foi por muito pouco. Eu estou há séculos querendo escrever como foi passar meu aniversário no meio de um Real Life (é como chamam esse tipo de evento. Nossa, aprendi tanto), mas daí foi um HINO, depois emendaram outro e eu simplesmente não tive tempo e paz interior pra escrever. Esses jogos desgraçam a gente, mas de um jeito que eu quero ser desgraçado pra sempre.

Vou ter que comentar em tópicos, porque MUITAS EMOÇÕES. Parece que o jogo durou 3 meses.



1) Eu não contei pra ninguém que era meu aniversário. Ia mesmo usar como arma numa remota chance de chegar na final (Ou se fosse para o primeiro paredão, né, ninguém merece sair de NOVA IGUAÇU ÀS CINCO DA MANHÃ pra rodar na primeira meia hora)

2) Fui o primeiro a chegar. Risos. Tipo, antes dos organizadores! Daí chegaram dois garotos (que só depois eu descobri que eram um casal), eu tentei me enturmar um pouquinho e deu certo. Eu já estava ali tentando fazer minha aliança pré-jogo Hahahahah Fui logo perguntando se eles conheciam quem ia jogar, quem era perigoso, como foram os jogos passados, mas tudo bem casualmente.

Eu conversando casualmente com as pessoas que chegavam

3) Quando todo mundo chegou, foi ASSUSTADOR. Eu não conhecia ninguém, mas praticamente todo mundo conhecia todo mundo. Tinha todo um passado ali. Amigos, colegas, parceiros de jogos, até ex tinha. Também notei que tinha um ou outro desafeto, já pensei em me aproveitar disso. O jogo já estava me possuindo, e eu nem tava percebendo.

4) O casal lá do começo fez a caveira de um dos participantes. Que o fulano era um DEMÔNIO DO JOGO, que manipulava todo mundo, que fazia terror psicológico, que num Real Life passado ele jogou junto com o ficante e tacou o terror dizendo que ia terminar com o garoto se ele não o salvasse no jogo, coisa e tal. Eu fiquei "Gente??? Que perigo". Aí me chega o DEMÔNIO de patinete.

Às vezes, o demônio surpreende

5) Só um fato: Eu não vou saber explicar o motivo, mas 80% ou mais da comunidade brasileira de Survivor são homens gays. Realmente não vejo o motivo. Não é como se Survivor fosse RuPaul's Drag Race, mas é o que é. No Big Brother Rio, todos eram homens e, de 14 participantes, acho que mais de 10 beijavam rapazes. Tenho pra mim que deixou tudo mais divertido, homens gays geralmente sabem fazer um bom barraco.

6) O BBRIO funciona assim: Uma prova do líder, o líder indica duas pessoas para o paredão, tem a prova do veto, quem ganhar o veto pode salvar ou não uma pessoa do paredão (aí o líder indica outra pessoa) e, depois, o grupo vota para eliminar um dos emparedados. Parece com Survivor, mas é muito mais sobre ganhar provas do que fazer alianças. Uma pessoa sozinha consegue, com um pouco de sorte, derrotar os demais. Uma prova MUDA TUDO. É bem difícil se sentir seguro.

7) Que nem eu, novato, tinham mais dois. Eu fiquei "Humn... Talvez se a gente se aliar... Já seremos três votos, podemos derrotar os outros..."

8) Venci a primeira prova do líder HAHAHAHAHAH QUEM DIRIA. Era em dupla. Imagina duas pessoas sentadas num daqueles banquinhos redondos, de costas uma para a outra, meio que uma se apoiando na outra. Agora removam o banquinho da cena. Não durou nem cinco minutos. Risos. Todo mundo foi caindo que nem banana podre, teve gente que nem na posição conseguiu entrar. Minhas pernas tremendo como nunca, mas eu queria estar imune na primeira rodada e meu parceiro não me decepcionou. Um seria o líder, o outro ficaria apenas imune. Escolhi a imunidade. Deus me livre arrumar treta com gente que nem conheço.

9) Gente, eu estava imune, mas que cagaço mesmo assim. Entre uma prova e outra tinha uns 10 minutos para conversar e montar planos, daí você ficava num lugar com 14 pessoas montando grupinhos, sussurrando umas com as outras, puxando outras num canto, falando no ouvido, planos sendo feitos e desfeitos, promessas, mentiras, armações, AAAAHHHHHHH E você nunca sabe se é seu nome que tá circulando. Você tem que ser ativo e se meter nas conversas, que cansaço mental. Não fica bem traçado quem é seu aliado e seu inimigo, eu tava indo com qualquer um. Só sabia que não queria mesmo jogar com o DEMÔNIO.

Todo mundo conversando com todo mundo, menos comigo

10) Eliminaram um novato na primeira rodada. Mesmo ele tendo ido ao paredão contra um fulano que era uma grande ameaça, segundo muitos me contaram.

- Mas, gente, se ele é ameaça, por que não eliminá-lo agora? (Eu tentando salvar os novatos a todo custo, porque poderia ser eu o próximo)
- Não é bom arrumar problema com ele agora, senão virão atrás da gente

SOCORRO.

12) O menino que venceu a prova de resistência comigo acabou se tornando por osmose meu principal aliado. Aí teve uma twist doida na quarta rodada que as provas e as votações eram todas ao contrário. Tivemos que votar em secreto em duas pessoas que gostaríamos de ver no paredão. DUAS. Mas eu já fui rato de Big Brother, né, gente? Sempre tem essas brincadeiras da discórdia. Todo mundo vota numa pessoa odiada, aí acaba que essa pessoa ganha algum poder especial. Como eu não tinha certeza, votei no DEMÔNIO e no meu aliado., só pra balancear. Os dois foram para o paredão de verdade. RISOS.

Eu nem tive coragem de confessar isso pra ninguém Hahahahah

13) Eu: "QUE BOSTA EU FIZ". E piorou. DEMÔNIO venceu a prova do veto, tirou a si mesmo do paredão, o grupo votou numa pessoa e advinha quem foi para o paredão com o meu maior aliado que eu mesmo ajudei a colocar lá? EU MESMO.



14) Fiquei chocado que minha aliança votou em mim sem nem me dizer nada, foi um voto unânime. Meu mundo caiu. Como eu disse, era uma rodada doida. A prova do líder veio por último, e o líder, somente ele, escolheria quem seria o eliminado, eu ou meu aliado. Desnecessário dizer que eu já estava abraçado com Murphy e quem venceu a prova do líder foi DEMÔNIO. A única pessoa do jogo com a qual eu definitivamente não queria jogar era a única que podia me salvar. Eu quase ri.

Qualquer semelhança é mera coincidência


15) Já tinham me informado que DEMÔNIO, em todo Real Life que participa, escolhe um novato para ser seu "projeto" e o arrasta até a final só para então destruí-lo lá. Eu, com todo meu brilho natural, tinha que usar essa info ao meu favor. Melhor ainda, quem voltasse desse paredão ganharia um poder especial secreto. Foi realmente uma rodada BEM DOIDA.

16) Fiz um pacto com o DEMÔNIO. Aquela criatura realmente tem uma lábia muito boa. MEU DEUS. Não que eu tivesse opção, né. Prometi que contaria a ele qual seria o meu poder, que eu seria 100% fiel, que jogaria com ele, faria tudo por ele e blábláblá. O engraçado é que, naquele momento, eu não estava mentindo. Minha aliança tinha mesmo me jogado no fogo, eu não tinha mais ninguém, só o DEMÔNIO mesmo. Ele me deixou no jogo. Meu aliado foi embora, doeu, mas antes ele do que eu.

17) Meu poder especial era que, mesmo que eu não fosse o líder, poderia indicar uma pessoa extra para o paredão, formando um paredão triplo. Contei para DEMÔNIO.

18) DEMÔNIO foi eliminado logo depois e não movi um dedo para ajudá-lo. Não usei meu poder, não contei pra ele que estavam mirando nele (eu sabia) e ainda votei nele pra fechar o caixão e vez. Ele era o único que sabia do meu poder, vieram me falar que ele estava dizendo pra todo mundo que eu era perigoso e eu via ele cochichando com realmente TODO MUNDO. Que bicho social. Ele me salvou, fiquei realmente grato, mas jogo é jogo. Bjs. Vai com Deus.

19) Em certo ponto do jogo, um menino bem gente boa veio falar comigo: "Ô, amigo, se envolve mais, fala mais. Você está se divertindo? Estou te vendo muito no canto e tal, sempre calado. Nem estou falando de jogo, mas só te dando um toque mesmo". Eu estava realmente isolado depois de ter sido traído pela minha "aliança" e por ter eliminado DEMÔNIO. Então resolvi curtir mais. Foi um bom conselho.

Foi exatamente assim

20) Com 9 pessoas no jogo, o bagulho ficou tenso. Eu realmente consegui me cercar de pessoas razoavelmente confiáveis. Éramos 5, maioria. Os 4 restantes eram meio que duas duplas. O casal que eu conheci lá no começo e por isso tinha certo afeto por eles e uma dupla de melhores amigos, segundo me contaram. 5 X 2 X 2. Mas essas duplas se juntaram. 5 X 4. Só sei que, num paredão importante, em que os votos da minha aliança eram maioria e poderíamos facilmente fazer um 5 X 3, eu pensei melhor. Éramos 5 X 4, mas onde eu estava na hierarquia desses 5? Quando restássemos só nós 5, eu seria o primeiro a rodar? O segundo? Quem sabe? Aí comecei a nos enxergar como 4 X 1 X 4. Eu poderia escolher o meu lado naquela votação e... TROQUEI DE GRUPO. Meus aliados ficaram chocados Hahahahah

21) O fato é que eu era mais valioso num jogo de duplas. Quando ficássemos nós 5, as duplas iriam precisar de uma terceira pessoa para eliminar a dupla rival. E lá estaria eu. Pelo menos o terceiro lugar garantido, se tudo desse certo.

22) Gente, eu joguei muito. Usei meu poder pra ferrar ainda mais minha aliança antiga, ganhei várias provas, ganhei OUTRO PODER quando não aguentava mais ficar em evidência (o melhor jogo é ficar arquitetando dos bastidores enquanto os outros se matam), salvei o casal duas vezes com mentiras que contei para os adversários. QUE GAME CHANGER, BICHO. Eu quase dizimei minha antiga aliança mudando de lado, só sobrou o menino gente boa que me deu o conselho.

Eu perto do final do jogo

23) E lá estávamos nós no TOP 5, eu e o gente boa no paredão. O TOP 5: eu, o casal, gente boa e a ameaça lá do começo com a qual ninguém queria se meter tão cedo. Só o casal votava, então eu fiquei "Bom, eu salvei vocês tantas vezes, pelo amor de Deus, hora de retribuir". E eles:

- Então, Felipe... Não dá não. Você é um perigo. Se a gente te deixar passar daqui, você vai acabar vencendo. Você ganhou poderes especiais, trocou de lado, comandou jogadas. Você precisa ir embora.

QUE TRAIDOREEEEEEEEEEEEEEES. Eu fiquei todo MAS EU QUE CRIEI VOCÊS, QUE INGRATIDÃO. Mas faria o mesmo que eles. Risos. Dá pra acreditar nisso? Eu, esse amor de pessoa, virei A MAIOR AMEAÇA DO JOGO. Fiquei puto, mas apreciei. Foi justo.

24) Fiquei em quinto e, gente. ser eliminado é a melhor coisa depois de tanta decisão difícil que tive que tomar. Contei que era meu aniversário quando me colocaram no Júri e todo mundo soltou um "Aaaaaahhhhhh Tadinho!". Mas fiquei feliz de estar ali. Sério. Não poderia imaginar um jeito melhor de passar meu aniversário.

25) O casal rodou logo depois. Bem feito.

26) A final ficou entre menino gente boa e ameaça-mor. Eu tinha que dar meu voto de Júri para consagrar um vencedor. Acho que os dois tiveram seus méritos. Ameaça-mor durou até o fim, mesmo tendo sido alvo na primeira rodada e eu colocando ele no paredão 200 vezes (Na primeira vez que ele me colocou no paredão, eu saí. Risos). Menino gente boa foi o único da aliança que traí que sobrou, também foi ao paredão várias vezes, mas nunca foi alvo de ninguém. Ele de fato era gente boa, um social perfeito. No discurso de Júri, ele revelou que tinha feito VÁRIAS JOGADAS que a gente nem sabia, mas que lá no começo deixou a gente doido tentando adivinhar quem que tinha feito. Não foi difícil votar.

27) Menino gente boa venceu por 5 votos a 4, foi bem acirrado. Meu voto inclusive foi o último a ser lido, foi o decisivo. MUITO GAME CHANGER MESMO. Foram DOZE HORAS de jogo. A gente chegou na Quinta da Boa Vista de manhã, tivemos que sair num breu quando ela fechou, terminamos o jogo num POSTO DE GASOLINA. Eu fiquei muito satisfeito, muito mesmo.

***

A conclusão é que, CARAMBA, GENTE, esses jogos são muito difíceis. Nunca mais vou julgar quem faz burrada em Survivor, BBB e derivados. Com 1 dia de jogo, eu quase enlouqueci. Imagina passar 3 meses enfurnado nisso. Eu não daria conta. Agora eu entendo quem protege casal em jogo, coisa que sempre achei burra. Entendo quem faz aliança com os jogadores mais perigosos, entendo quem larga a aliança "do bem" e se alia com gente que ninguém gosta, entendo tudo. Toda jogada é válida e, na hora, nosso cérebro vira uma geleia. No fim das contas, todo mundo levou tudo numa boa, bons jogadores, gente muito legal, foi perfeito.

Meu primeiro jogo, fiquei ENTRE OS CINCO, fui considerado ameaça. Sinceramente, foi um grande feito. Eu mesmo estou me dando os parabéns, fui incrível, ainda mais na pilha de nervos que eu estava.


AMEI jogar, amei participar. Acho que, de todas as experiências que vivi nesse ano, essa foi a mais divertida de todas. Eu saí de lá 200% exausto. Feliz, mas morto. Imagina eu indo para um Survivor da vida... Na verdade, isso meio que aconteceu NA SEMANA SEGUINTE. Survivor Paquetá! Mas isso eu conto em outro post, porque esse está enorme.

JAMAIS DEIXEM O MAL DOMINAR VOCÊS (no jogo pode)

Posted on terça-feira, agosto 01, 2017 by Felipe Fagundes

No comments

***

segunda-feira, julho 24, 2017

Uma amiga estava me contando sobre uma rejeição que sofreu. Ela chegou toda animada num grupo de pessoas pronta para fazer novas amizades, se enturmar e tal, mas o resultado foi que as pessoas deram um chega-pra-lá nela e ela ficou se sentindo um lixo depois disso. Fiquei meio besta com ela me contando isso, porque ela falava como se fosse um fato ela ser chata, insuportável e difícil de lidar.

Essa minha amiga é super legal e um amor de pessoa. Mas ela continuou falando:

- Eu sei que eu sou muito chata, eu não deveria falar certas coisas, às vezes eu insisto demais, tem opiniões que é melhor não contradizer. Eu falo alto, né? Tem gente que não gosta. E esse meu jeito maluquinho. Putz, eu sou insuportável de verdade, nunca fui de fazer muitos amigos e, né, tem motivo...

Cara, as pessoas são tão diferentes. Falei uma coisa pra ela que a fez rir.

- Algumas pessoas te rejeitam e você fica revoltada com você mesma. Quando alguém me rejeita, eu fico revoltado COM A PESSOA. Eu sou legal pra caramba, eu hein, vá rejeitar teu pai.





Não é questão de sempre se achar o bonzão do pedaço, eu sei reconhecer meus próprios erros e conserto sempre que posso. Às vezes, duas pessoas simplesmente não se dão e nem é um problema com nenhuma das duas. Eu já me afastei de pessoas que gosto, porque, apesar disso, a convivência não era boa. Nem sempre o problema está na gente. É questão de ouvir Liability e aprender com a Lorde.

Mas o que eu fiquei pensando nisso tudo é que, cara, o amor faz tanta diferença. Quer dizer, não apenas o amor, mas o fato de uma pessoa se sentir amada. Tem gente que nos ama, mas a gente nem sente. A pessoa demonstra numa linguagem que a gente não compreende. Mas, quando a gente entende, é só sucesso. Molda toda nossa personalidade.

Minha amiga foi me contando que sempre se sentiu assim rejeitada. Passou várias situações tensas com o pai, acha a família dela horrível... Em contrapartida, eu sempre me senti amado. SEMPRE. Não por todo mundo o tempo todo, mas sempre existiu uma base constante de amor na minha vida, sempre tive apoio de alguém, sempre ouvi o quanto eu sou querido, importante e capaz. Não é à toa que eu me abalo menos com rejeições.

Eu tenho pra mim que jamais serei pai, mas nunca digas um bebê não tereis, pois vai que tereis. Só sei que, se um dia eu tiver um, vou fazer de tudo para demonstrar amor de todas as formas. Se você é pai, mãe, tio, tia, avó, avô etc, pelo amor de Deus, faz seu papel direito e deixa essa criança se sentindo amada. Vai fazer toda diferença lá na frente e o mundo já tem gente gente quebrada demais.

Posted on segunda-feira, julho 24, 2017 by Felipe Fagundes

No comments

***

segunda-feira, julho 10, 2017

Todo dia 15 de julho, também conhecido como dia do meu aniversário, eu corro atrás de uma coisa especial para fazer. Eu tenho uma relação toda esquisita com datas comemorativas, e o meu aniversário é, tipo, MEU. Não me importo se as pessoas lembram ou não, não ligo pra festa, presentes dos outros, nada. Mas eu vou comemorar comigo mesmo e, nesse 2017, achei a coisa especial perfeita: vou participar do Big Brother.



Ok, não vou aparecer na Globo, mas o que vale é a intenção, né? Hahahahah Eu tava passeando pela página do Facebook de uma comunidade de Survivor e vi que estavam selecionando pessoas para participar desse BBRIO. Vi a data, 15/07, e soube que tinha que me inscrever.

Para quem não sabe acho que ninguém sabe hahahahah, o BBRIO é um evento inspirado por lendas urbanas (???) e organizado por fãs do Big Brother, mas das versões internacionais (BBUS e BBCAN). Eu descobri esse dias que elas são diferentes do BBB, não têm voto do público e aquela patacoada toda. São bem mais parecidas com Survivor, com os participantes eliminando os outros por votação e, no final, os eliminados escolhendo o vencedor. Claro que não teremos uma casa, será só 1 dia, como uma gincana. Mas: Provas! Votação! Alianças! Barracos! No meu coração, eu estarei jogando Survivor e esse será o mais perto que já cheguei do meu reality show favorito de todos os tempos, EU TÔ GRITANDO, ME SALVEM, AAAAAAHHHHH

Tem umas duas semanas que me informaram que fui selecionado e entrei para o ~cast~, desde então eu estou me tremendo todo e pensando em estratégias Hahahahah

Como eu acho que serei no jogo
Eliminando adversários com classe e sendo a maior lenda que esse jogo já viu

Como realmente serei
Chorando, sofrendo bullying e estragando os planos dos meus aliados

Ai, gente. Pra vencer Survivor, a gente precisa blefar, derrubar os adversários quando eles menos esperam, se livrar dos aliados quando eles estão se sobressaindo demais, saber o tempo certo de usar as vantagens especiais, lidar com os twists que te atropelam do nada, ir razoavelmente bem nas provas físicas... ESTOU NERVOSO. ANSIOSO. Eu mal sei mentir. Eu fico rindo de nervoso mesmo falando a verdade, SOCORRO. Meu cérebro vira uma geleia sob pressão.

Outra coisa é que, né, eu nem conheço ninguém da comunidade dos Big Brothers e de Survivor, mas existem vários jogos virtuais rolando toda semana, esse povo todo já deve ser amigo e vão chegar no BBRIO montados nas alianças pra eliminar os avulsos (eu).

A única arma que eu tenho é implorar por piedade quando eu for para o primeiro paredão. GENTE, EU VIM DE NOVA IGUAÇU, ACORDEI DE MADRUGADA PRA CHEGAR AQUI NO HORÁRIO, NÃO ME FAÇAM VOLTAR PRA CASA AGORA. Isso e o fato de ser meu aniversário, mas eu quero guardar essa informação e soltá-la só na final (se eu chegar lá, né, risos) para ganhar a compaixão do Júri. Talvez eles pensem "Nossa, esse garoto novo é um zero à esquerda, vamos eliminar os fortes e arrastar esse peixe morto até a final". É minha melhor chance Hahahahah

A verdade é que eu sou fraco de coração e vou sofrer pra enganar e eliminar essas pessoas que nem conheço, mas elas vão me comer com arroz e feijão.

Só sei que vai ser lindo se eu vencer, melhor presente de aniversário. Mas já saio satisfeito se eu conseguir fazer novas amizades e ser convidado para outros rolês desse naipe.

ME DESEJEM SORTE.

Aceito dicas de como me tornar uma pessoa sem coração, falsa, fria e calculista em menos de 7 dias. Grato.

Posted on segunda-feira, julho 10, 2017 by Felipe Fagundes

No comments

***

segunda-feira, julho 03, 2017

Existem poucas coisas que eu aprendo ou descubro e realmente levo pra vida toda, isso porque minha memória é bem ruim. Mas essa teoria das 5 linguagens do amor eu guardei pra sempre e uso todo dia. Sério, quando eu bati o olho nisso e entendi como funcionava, ficou mais fácil compreender as pessoas e até mediar conflitos. A gente briga quando não precisa, gente. Também não sou de acreditar em tudo cegamente, mas consigo ver as 5 linguagens do amor agindo todos os dias.



Chega a ser meio óbvio e não sei como a gente não percebeu antes, mas o conceito de amor é uma coisa que varia muito e de pessoa pra pessoa. Cada pessoa foi criada de uma forma, temos nossas particularidades, gostos diferentes, uns são introvertidos, outros são extrovertidos... Então por que entenderíamos o amor da mesma forma? O problema e a solução meio que vem disso.

As pessoas não são iguais. Eu posso me sentir muito amado quando alguém age de tal forma comigo, ao passo que você pode não dar a mínima para a mesma atitude e até se sentir ofendido. E vice-versa! Aprendemos a demonstrar amor da mesma forma que gostamos de receber, mas nem sempre dá certo. Não estamos nos relacionando com nós mesmos. E isso vale pra tudo: relacionamentos amorosos, amizade, pais e filhos, ambiente de trabalho, qualquer coisa.

***

Um caso clássico é aquele do pai que não deixa faltar nada em casa, que enche os filhos de presentes e tal, mas não passa tempo com as crianças, não é carinhosos e tal. Acontece em todo filme adolescente que tem uma família rica. As crianças ficam se sentindo pouco amadas e quem assiste até concorda que ama mais o trabalho que os próprios filhos. Engraçado que, se a gente assistisse o filme pela visão do pai, as crianças iam parecer ingratas, egoístas e exigentes. Aposto.

Outro caso clássico e que você provavelmente conhece é o da pessoa romântica que namora com uma não tão romântica assim. Chega aniversário de namoro, uma compra balões em formato de coração, presente, escreve carta, declaração no Facebook, faz surpresa romântica e o escambau, mas a outra... A outra nem curte a postagem no Facebook.

Às vezes, está faltando amor mesmo, mas nem sempre. As pessoas estão demonstrando amor, mas de um jeito que quem recebe não entende como tal. Aí elas não se entendem mesmo e o que era para ser um bom relacionamento acaba se transformando numa frustração sem fim.

***

TÁ, MAS QUAIS SÃO AS CINCO LINGUAGENS?


1) CONTATO FÍSICO:  É facinho de perceber. Tem gente que simplesmente PEGA na gente. A pessoa gosta de beijo, de abraço, de dar as mãos, de encostar. Põe a mão no nosso braço quando quer nossa atenção, puxa a gente pra mais perto quando quer proteger, faz massagem no nosso pescoço do nada, cafuné, deita na gente quando a gente não espera...



Tem gente que é assim e gente que simplesmente NÃO É. Tem pessoa que, se a gente for chegar pra abraçar, a pessoa trava. Eu mesmo fico pouco confortável com gente encostando em mim se não tenho intimidade. Tem gente que não gosta de ser tocada de forma alguma. Então você que é fã de contato físico e se sente rejeitado por aquela pessoa que te abraça meio seca, CALMA, não significa que ela não te ama. Ela só não fala essa linguagem.



2) ATOS DE SERVIÇO: É aquela demonstração de amor quando a pessoa te ajuda em alguma coisa, quando ela te serve. É o exemplo do pai ou mãe que passa pouco tempo com os filhos por conta do trabalho. A pessoa pode não ser carinhosa, mas ela está se esforçando a beça pra sustentar os filhos porque os ama.



Preparar uma refeição, ajudar a pessoa a resolver um problema difícil, oferecer ajuda quando alguém pede, dividir uma tarefa, notar que a pessoa está cansada e fazer de tudo para deixá-la mais confortável e descansada e apoiar os projetos das pessoas são exemplos de atos de serviço. Tem gente que se sente no céu quando recebe ajuda, mesmo que numa coisa bem simples. Um café que você pega para um colega de trabalho atarefado seu pode fazer muita diferença para ele se a linguagem principal dele for Atos de Serviço.


3) TEMPO DE QUALIDADE: É passar tempo junto. Eu sou muito passional com tempo de qualidade porque total é minha linguagem principal. Antes de verificar, eu já sabia. Sair com as pessoas, sentar pra conversar, passear, dividir tarefas, ir a algum lugar fazer alguma coisa, assistir um filme juntos... É uma linguagem bem democrática. Não importa muito o que exatamente será feito, mas tempo de qualidade é sobre compartilhar algum momento, mesmo que nada de especial esteja acontecendo.



Uma coisa que eu aprendi sobre essa linguagem é que não é necessariamente sobre estar junto fisicamente. Pode ser virtualmente também. Falando no telefone, passando tempo digitando groselha no whatsapp, num grupo de e-mails, redes sociais... Eu acho que aquilo de: Esta pessoa está usando o tempo dela para interagir comigo. Isso é amor, gente!


4) PALAVRAS DE AFIRMAÇÃO: Elogios, incentivos verbais, declarações de amor, textão no Facebook falando como a amizade de vocês é linda, seus colegas de trabalho dizendo que você fez um excelente trabalho... Também é amor!



Como todas as outras, tem gente que AMA receber esse tipo de elogio, mas tem gente que não dá a mínima. Tem aquela pessoa que nunca diz "eu te amo" porque, pra ela, simplesmente não significa nada. Mas outra pessoa pode ouvir um "eu te amo" e significar o mundo pra ela.


5) PRESENTES: Talvez a mais injustiçada de todas as linguagens, Dar e Receber Presentes também é uma forma de amar. Não pode confundir com interesse, gente. Aqui se enquadram as pessoas que gostam de saber que alguém pensou nelas para escolher um presente. Não precisa ser nada caro, pode ser uma bobeirinha, mas é o fato do presente ter algum significado ou ter sido escolhido porque a pessoa te conhece e sabia que você ia gostar.

Quando você dá um presente nada a ver pra alguém que ama com Presentes

***

A gente geralmente pensa que todo mundo morre de amores por uma declaração de amor cheia de palavras bonitas, mas, gente, talvez não. Pode ser uma pessoa que a vida toda acreditou nas palavras dos outros e levou uma rasteira depois. Não dá pra querer que aquela sua namorada que cresceu numa família onde as pessoas não se abracem com frequência chegue abraçando todo mundo da sua família.

Não é você querer agradar alguém do jeito que você se sente agradado, mas é entender o jeito que a outra pessoa gosta, mesmo que não faça muito sentido pra você. E é legal entender também como a pessoa demonstra amor, porque pode parecer que ela não se importa com você quando, na verdade, ela te ama.

Doido, né? Mas gente é assim.

O autor da teoria é o Gary Chapman e vocês podem descobrir mais sobre isso no site dele (em inglês) e até fazer um teste para identificar sua linguagem do amor principal, caso você não tenha certeza lendo as descrições.

AGORA ESPALHEM AMOR. Obrigado.

Posted on segunda-feira, julho 03, 2017 by Felipe Fagundes

No comments

***
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...