Estava eu calculando minhas chances de passar pela Bravus Race com graça e glória e o resultado foi um só: zero. Disappointed but not surprised. Gente, é corda pra subir, plataforma pra pular, peso pra carregar, dignidade para perder, muita coisa num dia só! Era capa de eu entrar naquele monte de lama e nunca mais me encontrarem. Daí conversando com minha guru espiritual e veterana da Bravus Raquel, chegamos a conclusão de que seria bom pra mim ~treinar~ crossfit antes do grande evento.

(Vou dar uma explicação de leigo aqui. Se você for um profissional do crossfit, pode aparecer pra corrigir. O crossfit é um treinamento que trabalha tudo. Força, equilíbrio, flexibilidade, coordenação, velocidade etc. É uma série de exercícios variados juntos num treino só. Pular corda, arrastar pneus, levantar barras, correr e outras coisas que eu jamais imaginaria)

A minha primeira reação foi: HAHAHAHAHAHAH. Mas a segunda foi reconhecer aquela sensação que QUEIMA NA MINHA ALMA quando estou prestes a me meter numa cilada do bem e é impossível escapar dela. Eu ia mesma entrar numa academia.

EU FUI, E vou deixar esse vídeo aqui só para vocês terem uma ideia do que passei.

Spoiler: eu no final do treino

Entrei na academia meio acuado. Tava esperando gente hostil, sei lá, aqueles caras bombadões, atletas, turma do whey e da batata doce, as gatas negras antipáticas, mas só tinha gente comum. Gente magra, gente gorda, gente de todas as idades, gostei assim. Ninguém riu da minha cara ou tacou um balde de sangue na minha cabeça, então eu acho que preciso atualizar minhas definições sobre os seres que habitam academia.

Avisaram ao professor que seria minha aula experimental, daí ele teve mais cuidado comigo e tentou me explicar as coisas todas.

- Nós vamos começar com vinte squats, depois fazemos dez sit up e aí é só encarar o TRX
- WHAT
- Tudo bem pra você fazer jumping jacks?
- Eu não faço ideia do que você está falando. Moço, eu sou um desastre humano, você vai ter que ir devagar
- HAHAHAHAHAH Não existe isso de desastre humano

Talvez a opinião dele tenha mudado depois a aula. Gente, ele anota uma série imensa cheia de nomes que nunca ouvi falar, mas que aparentemente todo mundo entende e a gente tem que sofrer das mais variadas formas. É divertido Hahahahah Mas ninguém me disse que tinha que ser fluente em inglês para praticar exercícios. Vocês tinham que ver minha cara quando descobri que o tal sit up é ABDOMINAL e o jumping jack são os famigerados POLICHINELOS. Tem uns que me fazem rir, tipo o jumping over the box que é literalmente isso mesmo. Pular sobre a caixa. POR QUE NÃO FALA EM PORTUGUÊS, CARAMBA?

- Depois você vai pro wall ball e termina com um Schwarzenegger
- Q

Tem um espelho gigante no recinto que dá pra ver todas as posições ridículas as quais me submeti. Às vezes, eu tenho que parar pra rir.

REFLITAM


Por incrível que pareça o meu problema não é o condicionamento físico. Quer dizer, é também, não sou nenhum atleta, mas a vergonha e a falta de coordenação motora são o que mais me quebra. O professor me mostra os movimentos e eu fico séculos tentando fazer igual, mas sou incapaz.

- Empina mais esse quadril, Felipe
- *acha que está empinando o quadril*
- Não, Felipe, o QUADRIL. Como se vc fosse sentar.
- Mas
- Joga o bumbum mais pra trás
- Gente

"Como se vc fosse sentar", "Empina mais o peito", "Põe acima dos joelhos". São comandos que meu cérebro aparentemente não sabe interpretar. E todo mundo faz bonitinho. Eu fico que nem aquelas pessoas perdidonas no meio de um flash mob.

(Esse lance da bunda também me constrange um pouco. Aliás, se você gosta de bundas, se você tem uma bunda ou se você é uma bunda, capaz de se sentir muito à vontade no crossfit, pois sempre tem uma bunda apontada para você, não importa para onde você olhe)

- Tenta girar a corda, Felipe
- Assim?
- CUIDADO PRA NÃO ACERTAR O COLEGA DO LADO
- Ai, meu deus

Eu descobri que não sei pular corda. Eu fiquei travado com a barra na mão e professor veio me salvar (MOMENTOS...). Abdominal é coisa do demo. Mas quem diria que eu conseguiria enfrentar a vergonha de CORRER NA RUA? Pelo menos isso eu sei fazer direito, dei 5 voltas na academia, me senti na São Silvestre.

***

Meus amigos fitness disseram que no começo é assim mesmo, você se sente destruído, mas logo vem o barato, o prazer, a endorfina e sei lá mais o quê. Bom, acho que já estou na metade do caminho, pois com 2 aulas já me sinto DEBILITADO. Quem foi o príncipe que quase saiu rolando do ônibus porque não sentia as pernas na hora de descer? EU. Os braços doem, as pernas, JESUS, uma performance dramática cada vez que preciso sentar.

Apesar disso, eu tô achando bem legal. Todo dia os exercícios mudam, há um mundo de possibilidades, a hora passa voando. Acho que todo mundo é capaz de fazer. É cansativo PRA CARAMBA. Mas nada impeditivo. Claro que eu estou encarando isso só pela Bravus, não é meu tipo de atividade favorita, mas recomendo. Nem que seja para tirar sarro da própria cara. Talvez o professor esteja certo e essa coisa de desastre humano não seja tão grave assim.