Vocês estão preparados para mais uma parte da minha saga com a igreja? Porque essa tem REVIRAVOLTAS. Se você está por fora e quer estar por dentro, recomendo os textos: Quando perdi minha fé na igreja, Como minha fé sobreviveu à igreja e Em busca do Jesus há muito perdido.

VAMOS LÁ.


 Aparentemente, o roteirista dessa minha jornada é Jesus e ele decide os plots no aleatório mesmo



***

Eu estava muito bem da vida, sabe? Sempre tem aquela história triste da pessoa que sai da igreja e fica loucona da cabeça até voltar acabadaça e arrependida, mas 10 meses depois e o desgraçamento mental não tinha me alcançado. Eu estava super bem. Na verdade, eu me sentia ÓTIMO. Inclusive, melhor do que quando frequentava minha antiga igreja. "Ah, mas isso é impossível, tem que ter a comunhão dos cultos". Fica aí o mistério pra vocês então, pois já cansei de me explicar.

Eu nunca deixei de frequentar a Escola Bíblica Dominical, que é minha reunião ~igrejal~ favorita. Para quem não sabe do que se trata, é uma aula sobre um assunto relacionado à Bíblia, que obviamente acontece em todos os domingos. Eu adoro. Você aprende, escuta, pode falar, pode debater, pode discordar etc. Recomendo a todos. Daí estava eu lá quietinho na minha até que o professor começa:

- Porque a igreja de Deus está se levantando! Estamos de pé fazendo a diferença no mundo! Isso mesmo! Temos que continuar! Impactar as pessoas! Trazendo salvação! Olham para a gente e nos dão respeito pelo que fazemos!

Eu

E aí todo mundo concordando, aquele sentimento de orgulho, de "Isso aí", "Somos maravilhosos!", etc. Esperei todo mundo falar o que queria e levantei minha mão.

- Então, gente... Sem querer ofender, mas, honestamente, eu já passei por umas 3 igrejas e em nenhuma delas, nem mesmo nessa, eu vi um impacto significativo na sociedade. Na verdade, aqui só fazem cultos. Essa igreja canta. Até é legal e tal, mas, na maior parte do tempo, está todo mundo sentado e de braços cruzados. A gente nunca fez nada realmente relevante.

¯\_(ツ)_/¯

Porque, pelo amor de Deus, gente, a igreja não tem nenhuma obra social, não apoia nenhum trabalho missionário, não faz muita coisa pelos membros além de mal ou bem a parte espiritual, mal falam de Jesus nos cultos, os ensinamentos estão há muito esquecidos ou distorcidos, só fazem vergonha na internet... Posso ter me excedido um pouco? Posso. Mas achei necessário. Até porque eu também me vi como parte do problema e só a partir daí que a coisa começou a mudar pra mim. É um longo processo.

Eu esperei alguma retaliação, mas me surpreendi. Ouvi coisas como:

- Nossa, Felipe, acho que você tem razão!
- Realmente precisamos de mudança!
- Eu estava mesmo querendo me doar mais!
- Felipe, você é a resposta das nossas orações! [gente] Eu e minha esposa estávamos orando por algo assim e agora você falou [socorro]
- A mudança podia começar POR VOCÊ, FELIPE. POR QUE VOCÊ NÃO LEVANTA E FAZ?

Então, eu acabei virando >>>O ESCOLHIDO<<< Hahahahahah Achei hilário no começo. Muito folgadas essas pessoas jogando tudo em cima de mim que nem estou lá, mas beleza.

Acontece que eu gostei do que vi. Quer dizer, não esse trem de RESPOSTA DA NOSSA ORAÇÃO, mas a boa vontade das pessoas. Pessoas querendo fazer coisas, querendo melhorar, conscientes de que existia um enorme problema para ser resolvido. Mas que aparentemente não sabiam muito o que fazer.

Fiquei num dilema gigante. Por um lado, eu tinha todo meu passado de desgosto com a igreja. Por outro, tinha essa nova VONTADE DE VIVER que eu tinha descoberto no Jesus há muito perdido. Eu sabia que não ia ser fácil, sabia que a igreja tinha mente fechada e cabeça duríssima, e todas aquelas picuinhas e falta de noções básicas sobre Jesus que dificultavam qualquer projeto bom. QUE TRABALHO ISSO VAI DAR. Era o que eu estava pensando. Eu ficava meio "Poxa, talvez eles realmente precisam de ajuda... Eles não sabem o que fazem..." e aí mudava para "Mas, caramba, FRANCAMENTE, será que eu, todo doidão, que vou ter que ir lá ensinar Jesus para os outros? Eles já não deveriam saber essas coisas todas, inclusive bem mais do que eu?". Como eu disse, um dilema, e durou meses.

Acho que enchi todos os meus amigos só falando disso (desculpa, gente), até tive que me afastar para não desgraçar as pessoas, mas só tomei uma decisão quando li o livro de Hebreus. Nele, Paulo diz:

"Depois de tanto tempo, vocês já deviam ser mestres, mas ainda precisam de alguém que lhes ensine as primeiras lições dos ensinamentos de Deus. Em vez de alimento sólido, vocês ainda precisam de leite. E quem precisa de leite ainda é criança e não tem nenhuma experiência para saber o que está certo ou errado"
(Hebreus 5.12,13)

Que é basicamente o que eu me questionava. Ele puxou a orelha do povo que não sabia nada e já deveria saber, mas o pulo do gato foi que ele não desistiu. Esse auê é no começo do livro. O resto do livro é Paulo explicando tim-tim por tim-tim os conceitos básicos da fé cristã.

Aí eu fiquei "Bom, se Paulo tentou uma vez, quem sou eu pra não tentar também, né?". Então, gente, comecei a pensar na minha volta. O RETORNO DO ESCOLHIDO. Não poderia ser voltar e continuar tudo do mesmo jeito. Não poderia ser voltar, sentar e cruzar os braços. Tinha que chegar CHEGANDO quebrando tudo logo, naipe Jesus no templo com os cambistas. Se eu fosse devagar, era capaz de desistir e nunca mais pisar lá de novo.

***

Fiquei meses pesquisando na Bíblia e na internet bons exemplos de como uma igreja deveria ser. Acho que nunca li tanto livro crente em toda minha vida. Assisti vídeos, li matérias sobre igrejas que eram bons exemplos para a sociedade, ouvi as críticas das pessoas, as principais acusações e, pelo menos para a minha futura ex-igreja, montei todo um plano de transformação.

Eu tinha que acertar o cabeça. Ou seja, JESUS. Não, pera, essa analogia não está boa. O PASTOR. Sabe, com a ajuda dele já seria difícil. Sem ele, praticamente impossível. Eu sabia que ele precisava concordar comigo, reconhecer que havia um problema e trabalhar junto comigo para resolver. Se você é cristão, deve imaginar que não é pouca coisa um pastor reconhecer que sua igreja é problemática, mas eu confiava que, à luz do evangelho de Jesus, é impossível negar os fatos. Então, o que eu fiz? Isso mesmo, montei uma ~palestra~ que no meu coração é intitulada "Olha como essa igreja é esquisita". Meu jeitinho. Marquei na CASA dele, fiz um roteiro da conversa, levei vídeos, versículos, relatos que coletei durante esses meses fora para convencê-lo de que os problemas de fato existiam e que a maioria deles poderíamos resolver com um pouco de boa vontade e conhecimento de Jesus.

Gente, foi A CONVERSA DA MINHA VIDA. Não vou entrar em detalhes agora porque esse post precisa ter fim, mas teve uma hora que a esposa dele (que também estava presente) levantou a bola:

- Mas, Felipe, é muito fácil as pessoas criticarem a igreja, que falta isso, que falta aquilo, que o pastor está errado etc, mas ninguém faz nada para mudar. Não adianta só falar e apontar o dedo. O que adianta ficar só criticando? Cadê a solução?

Minha cara teria ido no chão, se eu não tivesse levado UM ARSENAL para essa conversa:

- Então, se você esperar mais um minutinho, já vamos chegar na lista de VINTE E NOVE PROJETOS que eu planejei para a igreja.

 !!! FLAWLESS VICTORY !!!

Hahahahahah Só digo que a conversa foi TÃO BOA que no dia seguinte pessoas vieram me perguntar o que fiz com o Pastor, porque ele parecia outra pessoa. Naquele mesmo dia, iniciamos os preparativos de um novo projeto social (projeto 17, "Doação de Sangue") e não demorou muito para darmos o pontapé inicial nos projetos 11, 13, 18, 19 e 29. EU QUERO ESSA CAMBADA TODA TRABALHANDO.

Quando eu decidi finalmente ir no culto, foi praticamente um evento. Tive a oportunidade de pegar o microfone e falar Oi, pessoal, voltei pra irritar as pessoas que me irritam, vocês no caso sobre Jesus e a responsabilidade da igreja de divulgar o nome dele através de atos e palavras e nada mais. Eu estava quase ouvindo os pensamentos das pessoas "Gente, o que esse menino tá fazendo ali na frente ressuscitado dos mortos? Ele não virou cracudo ou, sei lá, satanista?". Risos.

***

Confesso que eu não acredito nessa bobagem de >>>ESCOLHIDO<<<. Eu tive um monte de ideia e já consegui causar algumas mudanças porque sentei um dia para olhar para o problema e tentar resolver. E isso é coisa que QUALQUER UM consegue fazer, sozinho ou em grupo, mesmo você que está lendo esse texto e acha que sua igreja está te matando. Ou talvez o escolhido seja quem olha para Jesus e de fato o enxerga, porque é IMPOSSÍVEL olhar para esse homem e não querer fazer alguma coisa.

Eu tinha chegado à conclusão nesses 10 meses fora de que não preciso da igreja-instituição para nada. Eu acho estranho afirmar isso, mas, gente, tô falando pela minha experiência e o que funciona para mim. Com alguns amigos, boa vontade e Jesus, eu poderia tocar de boa os vinte e nove projetos e causar, sim, impacto na sociedade e ajudar as pessoas a enxergarem Cristo. Mas a igreja tem potencial. E chega a ser um ABUSO não usar dele. Às vezes as pessoas de dentro da igreja estão piores que as de fora no quesito Jesus, porque acham que sabem, mas estão boiando, o que dificulta muito o aprendizado. Então eu acho que ainda tenho muito trabalho a fazer.

Está sendo um processo complicado esse meu de volta. Eu ainda tenho dificuldade em me sentir bem nos cultos e participar dessas reuniões "espirituais". Falam umas besteiras e palavras vazias que ainda me irritam. Fico lá sentado maquinando como poderíamos usar aquelas 2 horas de uma forma melhor. Estou mais interessado em fazer coisas do que ficar sentado ou em pé cantando. Às vezes eu vejo uns comportamentos que fico PELO AMOR DE DEUS, GENTE, mas respiro fundo e vejo mais uma oportunidade de trabalho. É mais engraçado que irritante, na verdade. Vocês sabem que amo crente.

No mais, a coisa toda está indo. Gente querendo ajudar, gente se doando, querendo trabalhar e aprender. Posso ver uma geração de fato se levantando para mudar as coisas. O próprio Pastor quer mudanças e me apoia 100% das vezes. Não sei pra onde esse carro vai, mas já gritei JESUS, TAKE THE WHEEL umas cinco vezes, então acho que vai bem. Eu estou o tempo todo lutando nesse "Epa, vai dar certo? Parece estar dando certo... AI, MEU DEUS, DEU CERTO. Opa, pera, talvez não dê... Mas tá dando".

Claro que voltarei aqui para comentar dos projetos e do que mais me acontecer nessa nova fase, a jornada nunca termina. Se você se sentiu inspirado a também fazer algo para mudar o quadro da sua igreja, podemos trocar figurinhas via e-mail (quem ainda não tem meu e-mail, pode usar o formulário de contato). Estou sempre procurando novas formas de ação. Se você já fez algo na sua igreja que deu muito certo, eu adoraria saber :)

VAMOS ACOMPANHAR.