Os textos do "No fundo, eu sou otimista" geralmente me fazem gargalhar (inclusive é uma JÓIA RARA para quem curte blogs pessoais, recomendo), mas um em específico me fez pensar pra caramba, montar uma teoria, criar uma apresentação de slides (mentira) e vir até aqui jogar minhoca na cabeça de vocês também.

Esse aqui. Vou resumir pra vocês, seus preguiçosos, mas nele a Beatriz conta que tem o costume de dizer "Obrigada, eu sei" quando comentam que ela está/é bonita. Meio que a acusaram de ser arrogante, ela ficou matutando e chegou à conclusão de que não é arrogância, é amor próprio.

Porque é um fato. Quer dizer, quando alguém diz "Nossa, você é tão alto", você não responde "Que isso, imagina rsrsr". É um fato, você é alto, pronto e acabou. Quando você é muito bom numa coisa e alguém te elogia, por que a modéstia é necessária? Por que soa esquisito responder "Verdade, sou mesmo"? Segundo a Beatriz, é a mesma lógica da beleza. Se você é bonito, você é, ué. Quando uma pessoa te elogia, ela está apenas constatando um fato.

***

Mesmo antes do texto dela, há anos que venho pensando nesse conceito de beleza. ANOS. Eu compreendi o que a Beatriz quis dizer sobre o amor próprio e eu sou fã de carteirinha dele (You are the sun, etc), mas eu não consigo considerar a beleza como um fato. Muito pelo contrário, acho um conceito altamente subjetivo.



A Angelina Jolie sempre foi pra mim um modelo de MULHER BONITA. Sabe, de olhar e ficar pensando COMO PODE SER TÃO LINDA? A minha escala de beleza sempre foi de 0 a Angelina Jolie. Daí um dia eu estava conversando com o Luiz e disse:

- Imagina se a Angelina Jolie aparece aqui e-
- Eu nem acho a Angelina bonita
- WHAT
- Ela tem um bocão
- MAS É EXATAMENTE IS-
- E um olhão, sei lá, acho desproporcional
- SAI DAQUI

Tipo, como assim, gente? Passado o choque, eu comecei a notar outras coisas que fogem da minha escala de beleza. O exemplo mais flagrante talvez seja esse homem:


Menina Cíntia e menina Annie acham Mark Ruffalo um ser fofo. OLHEM PRA ESSA CARA AMASSADA. Outro exemplo de pessoa esquisita:

(Billy Brown, ~galã~ de How to get away with murder)

A internet também não ajuda, porque, gente, vamos acompanhar os galãs do Twitter:





OU SEJA. Talvez vocês estejam ah, mas você só está citando homens na feiúra porque também é homem. Juro que não é o caso. Quer dizer, eu sou homem, mas não tenho nenhum problema em reconhecer que outro homem é bonito. Eu só acho esses aí feios mesmo. Vamos acompanhar pessoas bonitas:



(Essa talvez seja a foto mais bonita de toda internet)

Mas, ok, eu não estou ditando quem é bonito e quem não é. Fica evidente que estou dando a MINHA opinião sobre a aparência das pessoas. E você pode discordar e achar Scarlett Johansson e Chris Evans pessoas horrorosas (SAI DAQUI). O ponto é que até a internet que acha o Benedict Cumberbatch o rei da beleza ESTÁ CERTA. Ele é bonito para essas pessoas. O fato de eu achar uma pessoa feia não a torna feia. Só significa exatamente isso, que EU acho essa pessoa feia. Se ela quiser usar essa informação para alguma coisa, ok, mas duvido.

Por conta dessa subjetividade que o conceito de beleza sempre confunde minha cabeça. Não tem como dizer que uma pessoa é/está bonita. Porque isso não é um fato. Quando alguém diz "Nossa, você está tão bonita hoje", o que a pessoa está de fato informando é que "Eu estou te achando muito bonita hoje". E o que a gente faz com isso? Por que a opinião, essa coisa subjetiva, de uma pessoa diz algo sobre você?

Porque alguém dizer que você está bonito não significa que você está. Você pode dar uma volta na rua e, depois desse um que te elogiou, cinquenta outros te acharem esquisito. O mesmo vale para quando alguém critica sua aparência. No fim das contas, a opinião de 1 pessoa não vale de muita coisa, a menos que seja importante para você que essa pessoa te ache bonito, seja lá qual for o motivo.

***

O que eu acho que existe é uma especie de potencial de beleza, digamos assim. Algumas pessoas tendem a ser ditas bonitas por mais pessoas do que outras. E esse potencial varia muito dependendo do padrão de beleza vigente, da época, do lugar em que você está... Se você coloca, sei lá, o Marcius Melhem ao lado do Idris Elba, a maioria das pessoas hoje no Brasil vai dizer que o Idris é mais bonito. O potencial dele é maior. Mas outras vão achar o Marcius Melhem. E ele pode até ser considerado o mais bonito se mudarmos o país, a época etc.

Até a sua própria opinião entra nessa teoria sobre sua aparência. Você pode estar se achando horroroso, mas um monte de gente te acha bonito. Ou você pode estar se achando lindão, e a galera ficando toda "mas gente". No fim das contas, como eu disse, não importa muito. 

Se é importante para você se achar bonito, corra atrás (sem enlouquecer) de olhar no espelho e se sentir satisfeito. Se o objetivo é agradar o maior número de pessoas possível (e às vezes isso é mesmo necessário, pergunta para os modelos), eu até entendo, mas é arriscado. Só não considere como definitivo o veredito de uma, duas ou de todas as pessoas que você conhece, porque, se você se acha bonito, mas te acham feio, juro que EM ALGUM LUGAR vai ter gente fascinado pela sua aparência. Sempre tem.

Claro que eu sei que existe toda uma pressão da sociedade para nos encaixarmos no padrão de beleza vigente, mas, se a gente para realmente para pensar, a gente não deveria se importar tanto.

***

Voltando ao caso da Beatriz, acho que a resposta mais lógica para "Nossa, tá bonita hoje" seria concordar ou discordar da pessoa, de acordo com a sua opinião sobre sua própria aparência. "Também estou me achando bonita", "Jura? Estou me sentindo feia hoje", algo assim.

Vamos terminar esse post aleatório de uma forma aleatória, com essa imagem novamente porque sim.