Acho que o principal motivo que me fez desistir da igreja foi uma inquietação que, DO NADA, se apoderou da minha pessoa. Uma agonia que foi crescendo devagar, sabe? Uma coisa meio estranha aqui, um julgamento meio esquisito ali, um amor seletivo acolá e uma inércia disfarçada por toda parte. E, claro, toda hora aquele choque de "Ué, mas Jesus não disse X? Por que estamos fazendo Y e achando ok?". Mas eu fui praticamente criado dentro de uma igreja, então entendam que demorou muito tempo para minha ficha cair.

Depois, vocês sabem, eu parei de frequentar cultos, fiquei um tempo sem saber o que fazer, topei com esse livro necessário e encontrei uma direção, um caminho: Jesus. Não sei se vocês sabem, mas Jesus na Bíblia fica o tempo todo dizendo que é "o caminho, a verdade e a vida", então eu fiquei todo "Ah, meu querido, então você vai ter que ser o caminho mesmo. Tipo, AGORA. Porque eu já estou sem opção". 



Na verdade, me pareceu até bem lógico que, ao sair da igreja, ainda querendo ser um cristão, não existia outra opção a não ser seguir a Cristo. Jesus era o melhor caminho e único possível. Se você quer seguir os passos de uma pessoa e ser muito bom nisso, o mínimo que você precisa é saber quem essa pessoa é. E, logo depois, conhecer o que ela faz, o que ela fez, o que ela disse, o que ela gosta, não gosta, quais conselhos que ela dá. Foi aí que eu tive a >>>EPIFANIA<<< de que a inquietação e agonia que eu sentia era a constatação de que a igreja não conhece Jesus. Não sabe quem ele é, o que ele fez, o que ele disse etc. Foi um choque. E dos grandes, porque eu também constatei que eu era parte do problema.


Umas perguntas básicas para os amigos cristãos lendo o texto: Vocês DE FATO conhecem Jesus? Tem certeza? Vocês já leram tudo o que ele fez e disse? Vocês já pararam para refletir se estão tentando conscientemente ser como ele foi?

Porque eu acho que respondi NÃO para todas elas. Me senti na obrigação de ir atrás desse conhecimento, sabe? Chega a ser uma falha de caráter. Na igreja, eu sinto que ficamos anestesiados, porque de certa forma estamos ali consumindo toda essa cultura crente, então PARECE que a gente conhece, mas, se paramos para avaliar algumas atitudes, a gente vê que está bem longe do padrão de Jesus. E não está dando a mínima pra isso. Daí eu fui atrás.

***

Gente, foram semanas em que eu me foquei nos 4 evangelhos e fui catando tudo o que Jesus disse. Pra facilitar, eu fui separando em temas, porque, ao olhar para um tema específico, eu conseguiria enxergar melhor o ensinamento por completo. Salvação, união, não violência, oração, humildade, bens materiais... Eu reuni bastante coisa, deu 33 páginas essa brincadeira. E, nossa, cada vez que eu coletava uma palavra dele e comparava com o que eu já tinha achado, eu me sentia mais próximo. Foi muito interessante. E chocante, porque eu estava encontrando coisas que eu nem sabia que estavam ali! Tipo, mais de dez anos de crente que eu tenho!!!

Todo mundo conhece pelo menos ALGUMA COISA sobre Jesus. Nem que seja um fato ou dois. Mas, sendo cristão ou não, a visão das pessoas é um tanto limitada, porque, caramba, que homem profundo. A maioria das pessoas enxerga Jesus como "um cara bom", "ele fez o bem" ou, e esta usam muito para criticar a postura da igreja, "ele mandou amar a todos". São definições bem vagas. Gente, eu preciso contar pra vocês, Jesus é mais que isso.

Jesus não é só BOM. Quer dizer, ele até é bom, sim, mas não esse bom que a gente imagina. Não é só "ser legal e respeitar". Até quando as pessoas usam esse "Jesus mandou amar" dá pra ver que entendem esse amor como "Trate bem quem faz coisas boas, trate mal que faz coisas ruins". O nome disso é JUSTIÇA, gente, o amor de Jesus é outra coisa. Não é nem um sentimento, digamos assim. É muito mais forte, mais amplo e te desgraça a cabeça todinha, porque Jesus é muito revolucionário. MUITO, gente, acreditem. A gente tem que dar um passo de cada vez, tem que abrir mão de várias coisas que aprendemos ao longo da vida e acreditar e experimentar que o caminho dele é realmente melhor. Jesus inverte as nossas prioridades todas e acho que é esse pulo do gato que a igreja não pegou. Ficamos só no "Jesus é bom", mas não nos aprofundamos. A gente conhece (e inventa) muita coisa em volta de Jesus, mas sobre ele mesmo... fuén.

(Só para exemplificar, eu fui num culto dia desses e falaram de Jesus só duas vezes. DUAS VEZES. O resto mal tinha a ver com ele. Experimentem qualquer dia fazer essa contagem na igreja de vocês)

Daí que, nessa minha jornada em busca do Jesus há muito perdido, eu tomei vários tapas da cara, aconteceram vários queixos caídos e muito samba da parte da nossa divindade favorita. Teve momentos em que eu tive que parar pra respirar, em outros eu senti as lágrimas vindo. Confesso que gargalhei muito também. Foi esse desequilíbrio emocional todo mesmo.

Eu sei, e você deveria saber também, que texto sem contexto é uma praga, mas preciso deixar aqui algumas coisas que encontrei e que me deixaram um pouco embasbacado. Qualquer coisa vocês olhem direito numa Bíblia aí perto de vocês.

E se alguém ouvir as minhas palavras, e não crer, eu não o julgo; porque eu vim, não para julgar o mundo, mas para salvar o mundo.

GENTE. Eu nunca tinha lido isso, juro pra vocês. Nunca tinha nem ouvido falar desse versículo e tá ele aí na nossa cara. Isso aí é um discurso que saiu da boca de Jesus. Olha que postura. Jesus estava mais preocupado em ajudar e salvar as pessoas do que julgá-las e condená-las. Quer interferir na vida de alguém? Interfere fazendo algo de bom para elas.

Ao que te ferir numa face, oferece-lhe também a outra; e ao que te houver tirado a capa, nem a túnica recuses;
E dá a qualquer que te pedir; e ao que tomar o que é teu, não lho tornes a pedir.
E como vós quereis que os homens vos façam, da mesma maneira lhes fazei vós, também.
E se amardes aos que vos amam, que recompensa tereis? Também os pecadores amam aos que os amam.
E se fizerdes bem aos que vos fazem bem, que recompensa tereis? Também os pecadores fazem o mesmo.
E se emprestardes àqueles de quem esperais tornar a receber, que recompensa tereis? Também os pecadores emprestam aos pecadores, para tornarem a receber outro tanto.
Amai, pois, a vossos inimigos, e fazei bem, e emprestai, sem nada esperardes, e será grande o vosso galardão, e sereis filhos do Altíssimo; porque ele é benigno até para com os ingratos e maus.

Que desapego, minha gente, que nível de desapego! Essa é uma passagem até bem famosa, mas é daquele naipe que as pessoas falam "Não sou Jesus pra agir desse jeito", como se fosse algo impossível de alcançar. Nem tentam. É um pouco mais "bom" do que você imaginava, não é mesmo?

E dizia também ao que o tinha convidado: Quando deres um jantar, ou uma ceia, não chames os teus amigos, nem os teus irmãos, nem os teus parentes, nem vizinhos ricos, para que não suceda que também eles te tornem a convidar, e te seja isso recompensado.
Mas, quando fizeres convite, chama os pobres, aleijados, mancos e cegos,
E serás bem-aventurado; porque eles não têm com que te recompensar;

Quantas vezes eu já vi uma pessoa ou igreja fazendo isso? Zero.

***

Eu podia ficar aqui pra sempre mostrando os atos e palavras de Jesus. Baque atrás de baque. Estamos tão longe da realidade dele. É só ver o jeito que ele lidava com as pessoas, em como ele fazia questão de se sentar com as desprezadas e criticava exclusivamente os religiosos hipócritas, o modo com que ele tratava as mulheres numa sociedade ainda mais machista que a nossa, os discursos dele de amor e hospitalidade, de desapego das coisas materiais (enquanto as igrejas estão cada vez mais apegadas a dinheiro), de como a salvação é relacionamento e não regras opressoras... Jesus me fez ver que eu preciso praticar mais o amor dele.


Muita gente vê o cristão como alguém que NÃO FAZ coisas. Não bebe, não fuma, não transa, não vê TV, não escuta música, não faz tatuagem, não usa certas roupas, não vai à praia, não joga futebol, não xinga... Ok, ok, a maioria nem é verdade, mas o que o cristão faz? Se empenha em NÃO FAZER coisas.  A igreja fica parecendo um lugar em que, quando a pessoa se converte, ela apenas fica obrigada a cumprir uma série de proibições. Qual é a vantagem, não é mesmo?

Jesus mandou a gente FAZER. Amor é prática. Jesus disse Ide, Ame, Visite, Doe, Empreste, Alimente, Sacie, Agasalhe, Aprenda, Lave os pés alheios, Faça o bem, Seja. Como ouvi certa vez, fazer é a causa, não fazer é a consequência. Quanto mais amor você pratica, mais desamor você deixa pra trás. O que te faz mal você joga fora. Uma igreja parada só acumula coisas ruins.

ENFIM.

Eu sabia que não era maluco. Existe algo muito mais profundo do que essa religião superficial que só vacila hoje em dia, realmente existe um caminho em Jesus e eu quero caminhar mais nele. Vai ter Jesus, sim, e, se reclamar, vai ter mais.