GENTE. Não sou de me desculpar por nada que acontece aqui na minha ditadura no blog, mas preciso dizer que não foi minha intenção demorar tanto para contar o que aconteceu após o dilema. Eu ia postar já no dia seguinte, mas nossa maldita desgraçada miserável inseparável companheira sinusite me deixou DE UM JEITO que está difícil até viver.

***

Recapitulando, eu estava naquele conto ou não conto, vou ou não vou, prendo ou deixo voar etc. As opções eram:

A) Não contar nada para ninguém e ir doente mesmo.
B) Não contar nada para ninguém na véspera, mas, na hora de sair, dizer que não estou me sentindo bem.
C) Contar pra eles na véspera e deixar eles decidirem se querem adiar ou ir sem mim mesmo.
D) Contar pra eles na véspera e obrigar todo mundo a ficar, afinal, eu que organizei tudo e eles me devem o mínimo de consideração.

Gente, do fundo do meu coração, o que eu queria mesmo fazer era D), não vou mentir. Na verdade, no meu mundo ideal, eu nem precisaria me preocupar com isso, pois obviamente eles iam adiar. Como a Fernanda comentou no blog, "Se a situação fosse inversa, e um amigo meu ficasse doente, eu não me importaria de adiar (...) nem me passaria pela cabeça não adiar, ora, ainda mais sendo o amigo que inventou o passeio e obviamente um dos que mais queria ir, e já tendo sido adiado antes por outras pessoas...". Exatamente isso! Mas não se cobra consideração, então, pra eles terem a oportunidade de ficar, eu teria que ir de C) ou deixar todo mundo ser feliz e me sacrificar na B). Eu queria muito a C), na esperança de que pelo menos alguém ficaria pra ir comigo depois, mas sentia que a B) era mesmo uma coisa que um excelente amigo faria, colocando os outros acima de si próprio. Eu tinha certeza que a B) era a mais certa, mas estava morrendo de agonia de ter que ficar pra trás.

PORÉM me surpreendi demais com as respostas de vocês. Achei até engraçado. Gente, pessoas são tão complexas! Eu recebi 16 respostas no total, via blog/Twitter/e-mail e até whatsapp (obrigado <3), e cada uma delas apontou numa direção diferente. O que eu considerava certo era tido como um ultraje por outros. Todas as opções tiveram gente defendendo e criticando Hahahahah

A Larissa me disse "mano, é um parque aquático!!11!um!!onze!!1! Eu iria até com pneumonia!", enquanto a Laís respondeu que "A letra A é impraticável, como ir ao parque aquático doente? Muito sofrimento, você nem aproveitaria nada". A Tairine me sugeriu ir e ficar quetinho lá numa cadeira, lendo um livro e tal, mas a Lizzie disse pra eu não ir doente de jeito nenhum, porque já teve uma experiência de ter ido doente pra passeio e passou muito mal lá. OU SEJA.

A B), C) e D) foram ainda mais enroladas. "A letra B é jogar um balde de água fria na galera né?", disseram. "Certamente a B)", também disseram. Mais de uma pessoa disse que o ideal seria uma mistura entre C) e B). Mais Rute, Annie e Cíntia minhas gurus espirituais chamaram de "cenário perfeito" eu avisar antes, mas obrigar todo mundo a ir sem mim mesmo.

A lição que eu tirei disso tudo foi que: NÃO DÁ PARA AGRADAR A TODOS. Não há resposta óbvia. O que você quer ou acha correto não é necessariamente o que seus amigos esperam de você. E cada um vai esperar uma coisa, então LET IT GO.

***
Eu descartei A) e D). Se é pra ir, que eu vá direito e curta tudo o que tem lá. E Deus me livre cobrar consideração. Sério. Não faço isso com ninguém, não gosto quando fazem comigo, não seria agora que eu ia começar com esse ciclo de cobrança.

Na dúvida mortal entre B) e C) e, gente, mas nunca que eu ia obrigar todo mundo ir sem mim. Onde que isso é o cenário perfeito se eu não estou descendo num tobogã nele? Hahahahah Sem condições. Eu não conseguiria fazer isso, a menos que eu realmente quisesse que eles fossem sem mim. O QUE NÃO ERA O CASO. Se fosse, tipo, um show, um evento único que eles perderiam se não fossem por minha causa, eu com certeza obrigaria. Mas uma coisa adiável? Um parque aquático que sempre estará lá? JAMAIS.

O QUE ACONTECEU, FELIPE??? FALA LOGO, PARA DE ENROLAR!


Ok. Tomaram a decisão por mim! Uma amiga minha, que também é minha prima (ficou sabendo pela minha mãe), criou um grupo no whatsapp e contou pra todo mundo. FELIPE FICOU DOENTE.

¯\_(ツ)_/¯

Gente, eu quase morri. Ficou todo mundo "AI, MEU DEUS, NÃO", que era o que eu queria evitar, pessoas surtando. A essa altura do campeonato, eu já estava achando que não ia rolar parque aquático pra mim, estava malzão, apenas contando com um milagre de Holy Baby Jesus. Ficou todo mundo perguntando "E agora??? Vai ter???" e eu fui obrigado a comentar alguma coisa. Os ingressos estavam comigo, eu que sabia o caminho e estava vendo como chegar, eu tinha ficado de levar várias coisas pra eles, não dava para deixar todo mundo a ver navios (daí percebi que a B nunca tinha sido mesmo uma opção).

Expliquei a situação toda, disse que queria MUITO ir com eles, mas, se eles quisessem ir mesmo assim, tudo bem, era só pegar os ingressos comigo e tal.

Admito que ficou meio que um climão. Uns falaram "Você que marcou tudo, não faz nem sentido ir sem você" (<3), mas insisti: "Deixa cada um decidir por si, vai quem quiser". Aí aconteceu algo que não esperava:

O PESSOAL ESTAVA DOIDO PRA VER UM JOGO DE FUTEBOL.

No dia do parque aquático, ia ter a semi-final de sei lá que campeonato, só sei que era o que chamam de "clássico" (não me perguntem quem estava jogando). Só que ninguém queria falar isso pra não dar ruim comigo HAHAHAHAHAHAH E realmente daria, pelo amor de Deus. Cancelar parque aquático por causa de futebol, OLHA. Mas, enfim, Deus abençoe o país do futebol, porque isso atenuou a ira deles sobre a minha pessoa, ficou todo mundo DE BOA.

Ninguém foi. Ninguém quis, exceto minha prima que ficou meio revoltada com a desistência do pessoal, mas, sinceramente, ninguém mandou contar. Risos.

***

Só que, gente, a história não acabou. Eu não ia, ninguém mais ia, marcamos outro dia, beleza. Mas, aí, no domingo, no dia do passeio, eu acordei bem HAHAHAHAHAHAHAH Óbvio que já era tarde demais, mas que ironia.

PORÉM, um outro amigo meu passou mal NO DIA. Teve dor nos rins e foi pra emergência de um hospital oO IMAGINA SE ISSO ACONTECE NO MEIO DO CAMINHO. A gente ia ter que socorrer, trazê-lo de volta pra casa, sei lá. Ia dar um desencontro bem doido (não íamos todos juntos).

Foi um fim de semana muito cagado e marcado pelas desgraças, gente. Pra mim, não ia prestar ir nessas condições. Depois disso, todo mundo concordou que foi realmente melhor não termos ido.

***

Agradeço demais a participação de todo mundo e peço novamente desculpas pelo suspense que se prolongou mais do que deveria. A lição é essa mesmo: NÃO DÁ PARA AGRADAR TODO MUNDO.

Pra terminar, a Laís também comentou uma coisa que ainda está me fazendo pensar sobre amizade e relacionamentos no geral. "Só pra finalizar o textão, achei que tu ficou muito preocupado em decepcionar os migos. Vc tem direito de evitar decepções suas também. Vc tem direito de PEDIR". Amanda Palmer sempre entre nós.