Tem coisas maravilhosas que acontecem assim: a gente entra num ônibus que nunca pegamos antes e vê um anúncio prometendo O MAIOR TOBOÁGUA DO MUNDO! DIVERSÃO! AVENTURA! Daí a gente fica obcecado com a excursão, chama todos os amigos possíveis e torce para não ser uma cilada armada por ladrões de órgãos.

Mas, né, os roteiristas da minha vida não descansam. De última hora, os amigos que estavam garantidos de ir comigo furaram, depois de já terem pago o ingresso, e simplesmente iam deixar o dinheiro pra lá. "Felipe, não vai dar pra gente ir mesmo :-/ Então você pode chamar quem você quiser pra ir no nosso lugar, nem precisam pagar nada". Gente, eu não sei lidar com improviso, fiquei em choque. Era a véspera do passeio. O tempo estava feio, já passavam das 22h, a coisa toda parecia muito improvável. Quem ia topar a cilada que nem do bem eu tinha certeza que era? Escolhi uma abordagem direta:

- Oi, Fulano (a), desculpa estar ligando a essa hora da noite, mas VOCÊ TOPARIA IR NUM PARQUE AQUÁTICO DESCONHECIDO DE GRAÇA NUMA EXCURSÃO QUE PODE SER UMA CILADA?

Você tem que estar preparado para receber esse tipo de ligação à noite se for meu amigo, tem uma cláusula lá no nosso contrato de amizade que diz mais ou menos assim: "Não questione os roteiristas da vida do Felipe, isso está mesmo acontecendo, é assim que eles trabalham". Então, eu consegui um amigo sem muito apego à própria vida que aceitou na hora, segurei na mão do bom Deus e fui.

E QUE BOM QUE EU FUI.

Eu fui super descrente na previsão do tempo, mas o tempo abriu de uma forma que eu até sofri por não ter passado protetor solar adequadamente. Foi maravilhoso! Deixa eu fazer um merchan gratuito do Aldeia das Águas aqui: GENTE, QUE LUGAR. Um dos itens da minha lista de experiências para viver era "Ir num parque aquático decente" e foi muito bem riscado. O parque é bem grande, tem mesmo várias atrações (eu tive que optar entre algumas, porque não ia dar tempo de ir em tudo, isso porque eu passei 7 horas lá), é bonito e muito alto astral. Não tive problema algum, não rolou superlotação, valeu muito a pena pra mim. Recomendo a todos. Inclusive, quero voltar.

Lugar LINDÃO. Aconteceu!
Publicado por Felipe Fagundes em Domingo, 24 de janeiro de 2016

O Aldeia das Águas é lar de um dos maiores toboáguas do mundo (era o maior em 2013, estava no Guinness Book e tudo) e, obviamente, eu precisava experimentar, talvez uma das decisões mais equivocadas da minha vida. Risos. Ok, ok, todo mundo que escorrega pelos quase 50 metros diz QUE ADRENALINA! QUE IRADO! Mas vamos falar da experiência de quase morte? PORQUE, MEU JESUS, QUE CAGAÇO QUE BATE! Eu temi de fato pela minha vida, sem contar o cuecão que o toboágua dá, fazendo a gente chegar lá embaixo com as bandas de fora e a sunga enfiada no fiofó Hahahahahah DISSO NINGUÉM FALA, NÉ. Achei digno informar.

Engraçado que na foto obviamente não mostra que essa boia desce girando feito o capeta só porque o cara perguntou: - Posso girar com força? - Dê o seu melhor, moço.
Publicado por Felipe Fagundes em Domingo, 24 de janeiro de 2016


TRAUMAS À PARTE, eu descobri saunas no Aldeia e, gente, também estava na minha lista frequentar uma sauna! Quem poderia imaginar sauna num parque aquático? Eu tinha procurado por saunas no Rio de Janeiro e, aparentemente, as pessoas usam para transar nelas. Não era exatamente o que eu estava procurando, não é mesmo? Mas a sauna do Aldeia era uma sauna de família, risos. Sério, podia mesmo entrar família, com crianças e tal, que acho que é o jeito certo de usar mesmo. Eu achava sauna uma experiência meio bosta, porque imaginava que era só entrar e ficar sentado num lugar com vaporzinho. Amigos, não é só isso. Não é um vaporzinho. É QUENTE COMO UM INFERNO. Do naipe que você queima a buzanfa no assento (aconteceu com um amigo meu... um amigo...) e fica todo ardido por dentro quando respira. É como se o ar estivesse pegando fogo e, quanto mais você fala, se mexe ou respira, mais você se queima. Então o lance é mesmo fechar a boquinha e ficar na tua. O que eu não sabia é que a sensação é MUITO BOA! Saí de lá com o corpo completamente relaxado, querendo dormir ali no chão mesmo, dizendo PARECE O INFERNO, MAS ACHO QUE É O CÉU. Acho que é melhor do que se fosse uma sauna transona, fica aí a dica pra vocês.

Enfim, foi um dos melhores dias da minha vida, comigo deitado nas boias, boiando nas piscinas, absorvendo toda a descoladez do lugar na maior vibe Carolina Ferraz, EU SOU RYCAAAAAA, etc. Sério, aquele lugar, gente! Eu nunca me senti tão rico. Tinha horas que eu ficava esperando os seguranças do parque apontarem pra mim e OLHA, ACHAMOS UM POBRE NA PISCINA, EVACUEM ESSA AMEAÇA de tão surreal que a coisa toda parecia. Curti demais!