Aí você lê isso e pensa, nossa, que exagero. Quem não sabe como lidar com um refeitório? Que pessoa surtada põe na cabeça que vai passar o mês comendo barras de cereal só pra não ter que interagir? Que bobagem, só em livro YA mesmo, ai, ai.

MAS ENTÃO.

Deixa eu te contar um lance aqui. É uma cena de Fangirl (Rainbow Rowell), mas poderia ser um dia qualquer na minha vida. Às vezes, eu comento umas coisas doidas no Twitter, porque que sei que soam engraçadinhas, e fico meio que pensando que vocês acham um exagero da minha parte, drama demais. Eu também acho, verdade seja dita, mas...

Eu nunca tinha sido confrontado tão de frente, eu acho. Quando a maluquice vem, eu simplesmente faço que nem a Cath, dou meu jeito de contornar. Às vezes, me forço a superar, mas essas são poucas.

Daí que onde eu trabalho tem um refeitório/copa e, obviamente, eu não uso. Quer dizer, eu uso, almoço lá todo dia, mas jamais que vou no mesmo horário que todo mundo. O pessoal almoça em peso às 12h, logo eu só apareço por volta das 14h, 14h30, quando muito raramente tem alguma pessoa ainda zanzando por lá.

Ontem, eu me superei no horário e só fui dar as caras às 15h30. Cheguei, zero pessoas no recinto, nem o pessoal da limpeza. FELICIDADE SUPREMA! O refeitório tem dez mesas, com espaço para quatro pessoas cada uma. Escolhi a mesa mais distante da porta. Coloquei minha marmita no microondas, 3 minutos esperando.

Quando faltava só mais 1 minuto para terminar, me aparece um homem que eu nunca tinha visto, bem vestido, bem mais velho que eu, e pergunta... Quer dizer, não me perguntou nada, ele apenas me disse: "Vou sentar aqui com você ^^"

 Como eu realmente queria agir

Gente, aquele lugar tem DEZ mesas. NOVE mesas livres. TRINTA E SEIS lugares que aquele educado senhor podia escolher para sentar. POR QUÊ, MEU DEUS? POR QUÊ?

Acho que foi o 1 minuto mais longo da minha vida. Porque ele sentou com as coisas dele DE FRENTE para onde eu estava sentado, e eu só conseguia imaginar a cena: Eu tentando lembrar como se usa um garfo, errando a boca, deixando a comida cair, derramando o suco, sem saber o que fazer com as mãos, consciente de cada centímetro do meu corpo, atirando sem querer o garfo nele (já aconteceu), mastigando mil vezes porque não consigo engolir, não sentindo o gosto de nada, imaginando ele olhando pra minha comida...

NÃO DÁ, GENTE. Eu não sei lidar MESMO. Eu me saio melhor comendo com pessoas conhecidas, num lugar conhecido, num encontro premeditado. Mas, assim, TOMA UM DESCONHECIDO NA SUA MESA, a coisa não vai.

Ele já estava sentado, então eu tive que gentilmente dizer:

- Moço... O senhor se importa se eu for para aquela outra mesa ali? Tipo, não é nada pessoal, juro. Só um comportamento esquisito meu.
- ???
- ¯\_(ツ)_/¯

Essas foram as minhas exatas palavras. Eu peguei minha comida, fui para uma mesa bem longe, sentindo alívio imediato e um pouco de culpa, porque, né, coitado do senhor rejeitado. Mas ele ficou bem ok com a situação (eu acho). Se alguém faz isso comigo, eu, no mínimo, vou achar que estou fedendo. Mas, pra começo de conversa, eu nunca teria sentado naquela mesa.

Aí rolou só esse pequeno climão, beleza, porém: E se eu te dissesse que descobri depois que o senhor desconhecido É O FUCKING DONO DAQUELE LUGAR TODO? É O CHEFE DO CHEFE DO CHEFE DO MEU CHEFE.


Alguém vem dá uns tapas na minha cara pra ver se eu aprendo a ser gente, pelo amor do santo deus, seja lá em qual deus você acredita. Eu fico na dúvida se é apenas uma timidez muito atacada ou se já tô de corpo e alma com um pezinho na fobia social. Fica aí o suspense.