Estava eu ensaiando para minha performance no karaokê (experiências!), o que, de cara, já está completamente errado, pois não se ensaia para cantar em karaokê, apenas seguramos na mão de Deus e vamos como se não houvesse dignidade amanhã, quando cheguei na música do Renato Russo. Lembram que eu estava pedindo sugestões no Twitter, por motivos de ser uma negação em música?



Daí que no meio disso eu puxei o Renato Russo da cartola e fui ver se rolava cantar Mais Uma Vez. Eu gostava platonicamente dessa música. Acho a melodia gostosa, mas cadê que sei a letra? Fui ouvir com atenção, já sabendo das good vibes de Quem Acredita Sempre Alcança™, mas aí...


Tem gente que está do mesmo lado que você
Mas deveria estar do lado de lá
Tem gente que machuca os outros
Tem gente que não sabe amar
Tem gente enganando a gente
Veja a nossa vida como está
Mas eu sei que um dia a gente aprende
Se você quiser alguém em quem confiar
Confie em si mesmo 

Olha, Renato, sinceramente... Não poderia ter menos a ver comigo. Não causa exatamente o clima que a gente quer numa noite de karaokê também. Eu fiquei com vontade de voltar no tempo para o momento em que Renato Russo estava compondo esta música (se ele não é o compositor, finjam que é para esse texto poder prosseguir) apenas para dar um abraço e dizer: RENATO, PLMDDS, COMO SE VIVE ASSIM?

Porque eu não sei viver sem confiar nas pessoas. Eu preciso confiar nelas e torço muito pra que elas confiem em mim. 

Mas, aparentemente, esse não é o único caminho. Nem sempre as pessoas vivem confiando. Muito pelo contrário, tá aí Renato Russo fazendo escola desde 1987 (Agradeço Wikipédia por essa informação, mas cadê que dou dinheiro pra manter o site?). Eu, na verdade, sou da resistência. Meio triste até.

***

A equipe técnica responsável pelo webmail do trabalho agendou uma migração para um servidor melhor e avisou a todos dia/hora que ia acontecer. Todos os e-mails estariam seguros, salvos e disponibilizados na casa nova assim que a migração acabasse. Todos os meus colegas de trabalho ficaram uma hora fazendo backup do que eles consideravam importante, e eu fiquei: Gente? Eles disseram que vai estar tudo lá quando a migração terminar, vocês estão perdendo esse tempo pra quê? E eles: E você vai confiar nessas pessoas? E eu: VOU, NÉ? oO

Porque, gente, que mundo é esse que eu não posso confiar na equipe técnica especializada em webmail para mexer em coisas referentes ao webmail? Se eu não posso confiar neles, eu confio em quem?

***

Eu simplesmente me jogo. Muito se fala em conquistar a confiança de alguém, em ganhar a confiança. Eu dou. Eu conheço a pessoa e falo: "Toma aqui, ó, minha confiança, cuida bem". Se ela não quiser usar, se ela ignorar, aí já é problema dela. Se ela quebrar a confiança, é problema meu, mas daí eu cato os cacos e vai demorar um pouquinho pra restaurar a coisa toda.

Tem gente que machuca os outros? Tem. Tem gente que não sabe amar? Nem a si próprio, tem. Tem gente enganando a gente? Os Illuminati tão sempre aí, né. Mas chega um dia em que a gente aprende que... Bom, aí vai de cada pessoa. O Renato Russo escolheu ficar paranoico com quem tá do lado de cá, mas deveria estar do lado de lá. Eu escolhi confiar nas pessoas e ficar amigo delas.

Não estou dizendo que o meu jeito é melhor. Quer dizer, estou, sim. Dizendo que é melhor PRA MIM. Porque, se eu chego com desconfiança, além de um déficit na sanidade mental, do estresse, da solidão e de um tempo precioso investido em se armar contras as pessoas que estavam só ali de boas, eu gero mais desconfiança. Você não confia na pessoa, ela sente e retribui a desconfiança. Você não se dá, não se doa, o outro se retrai também, aí rola um ciclo. Acho um PORRE, porque podia estar todo mundo usando essa energia para, sei lá, ir à praia junto e tomar água de coco.

Eu sei o que o Team Renato diz: Já sofreram demais, a humanidade é um pedaço imenso de cocô, ninguém presta, todo mundo gira em torno do próprio umbigo, um bando de psicopata etc. E, olha, gente, não invalido essa opinião. É a vivência de vocês, a forma de ver o mundo e tal. Se está aí funcionando bem, quem sou eu?

Só queria dizer que, de certa forma, nós sempre confiamos cegamente em alguém. Eu, pelo menos, pego ônibus todo dia sem medo nenhum. Confio que o motorista saiba o caminho, confio que ele não vai saltar de um viaduto e matar todo mundo (nada impede, já aconteceu). Eu não verifico os antecedentes dele, não peço as credenciais, não procuro por recomendações... Imagina o trabalho e o atraso de vida? Eu só entro, dou bom dia, sento, vou vendo meus seriados, lendo meus livros, até durmo.

Com as outras pessoas que não estão atrás de um volante de ônibus, eu faço a mesma coisa.

***

Eu confio sempre que alguns vão compartilhar o texto e levá-lo até outras pessoas. É a parte que eu mais gosto, saber que um texto meu está alcançando pessoas que eu nem conheço, sendo guiado por vocês, que são as pessoas para quem eu escrevo.

Se foi bom pra você de alguma forma, me ajuda compartilhando?