Não sei se vocês perceberam que eu comecei a ler o livro da Amanda Palmer.






Ainda nem terminei, gente, mas tá aqui, ó, PULSANDO DENTRO DE MIM. Eu tô virado na Amanda Palmer. As minhas conversas estão todas começando com "Nossa, falando nisso, eu li no livro da Amanda Palmer que...". 5 minutos falando comigo, e a pessoa despreparada já fica de saco cheio da Amanda Palmer pelas próximas quinze reencarnações, assim como vocês já devem estar ficando agora devido a repetição incessante de nome e sobrenome da Amanda Palmer nesse texto que não tem nem dez linhas ainda.

É MAIS FORTE DO QUE EU.

Eu tentei escrever um texto sobre meu encontro com esse livro algumas vezes, mas não sabia como abordar o assunto aqui. Na primeira vez, meu texto saiu meio que assim:

AMANDA PALMER,  AMANDA PALMER,  AMANDA PALMER,  AMANDA PALMER,  AMANDA PALMER,  AMANDA PALMER,  AMANDA PALMER,  AMANDA PALMER.

Não estava ficando muito bom. E também tem várias referências recursivas. Eu já grifei o livro numa dúzia de trechos e, sempre que tento citar um para o mundo conhecer, eu fico Ah, mas preciso falar daquela outra parte primeiro, daí eu foco na outra parte e Ah, mas seria muito bom citar aquela outra. Daí eu vou e... Vocês entenderam. Vamos só no coração mesmo que o cérebro não está ajudando.

A Arte de Pedir, QUE EU NEM TERMINEI (preciso frisar novamente), já é meu livro favorito. Até Um Dia, que, caramba, me fez viver uma semana sem vergonha, tentar mudar o mundo um pouquinho ao meu redor E CONTA A HISTÓRIA DOS MEUS ANIVERSÁRIOS (!!!) parece desaplaudido perto do que eu estou sentindo com Amanda Palmer.

Nem consigo recomendar para vocês. Para gostar tanto quanto eu, vocês precisariam ser eu. A Arte de Pedir, apesar do título ~marketado~, não é sobre regras para pessoas aprenderem a pedir. Não é sobre ensinar manipulação ou algo assim.

A Arte de Pedir é sobre como a Amanda Palmer é muito mais influente e eloquente do que eu pregando a mensagem que eu tatuaria na cara de vocês se me permitissem: EMPATIA. AMOR GRATUITO. VOCÊ ESTÁ CERCADO POR PESSOAS. CONECTE-SE COM ELAS. Mande amor para o universo que ele vai te amar de alguma forma também APLAUDA O SOL PELA MANHÃ mentira, essa eu inventei

Eu estou me vendo todinho ali. A Amanda Gente, eu não consigo falar só Amanda Palmer é, sei lá, meu spirit animal. Estou vendo sair da boca de outra pessoa (que eu nem conhecia antes do livro), no formato de histórias reais e metáforas MARAVILHOSAS, coisa nas quais eu SEMPRE ACREDITEI. Eu acredito no poder de pessoas unidas fazendo coisas incríveis. Eu escolhi acreditar. A Arte de Pedir não está me contando nenhuma novidade, mas me mostrando com fatos e muita lindeza a força REAL que um ser humano gera quando fica perto de outro e diz sem palavras: Estou te vendo. Eu sei que você existe. Quando é recíproco então, aí é só festa. Empatia é quase amor uma ova, empatia É AMOR.