Preciso confessar que já era de se esperar que eu pagasse um mico real na natação. Quer dizer, eu seguia me preparando psicologicamente para, além da minha total falta de coordenação motora na água, a minha sunga sair quando eu pegasse um impulso na borda da piscina ou eu bater de cabeça na escada por nadar completamente cego e sem direção ou ainda, sei lá, fazer um xixi involuntário e um produto químico na água me denunciar. Eu me foquei muito em não passar vergonha na piscina. Mas adiantou para escapar dos roteiristas sádicos da minha vida? NÃO ADIANTOU.

Quando eu me matriculei na natação, achei que 40 min de aula eram bem pouca coisa para me custar noventa dinheiros. Por que não 1h? Mas, amigos, eu era inocente. Dá meia hora de aula e eu, pessoa com zero condicionamento físico, já estou ME DEIXEM SAIR DAQUI, PLMDDS, ALGUÉM ME CARREGA. Uma hora inteira na piscina e vocês já podiam me enterrar ali mesmo. Digo isso apenas para vocês entenderem o meu estado físico (queria estar morta) e mental (sério, gente, tem um desgaste emocional depois de um dia de 0% de progresso). Daí que eu fui para o vestiário.

Eu não conheço nenhum daqueles caras. Eu entro na piscina e falo exclusivamente com o professor. E, tipo, eu faço natação à noite. Todo mundo usa touca e óculos de natação. Se eu passo do lado daquelas pessoas na rua de dia, eu nem vou reconhecer. O Barack Obama podia estar nadando na raia ao lado da minha que eu não ia saber. E não é uma coisa só minha: Ninguém se fala no vestiário. Às vezes, rola um "boa noite", mas só, de modos que, apesar de zero roupas, a gente não tem intimidade. Favor não dar corda para o duplo sentido, mas a gente mostra as bundas antes de dizer os nomes, é um mundo complexo.

Mas enfim. Estava eu tomando banho já pensando na minha cama. Os chuveiros possuem divisórias, mas não há portas. Imagine vários chuveiros lado a lado e uns muros menores que uma pessoa entre eles. Na frente dos muros, ficam ganchos onde eu penduro a toalha. Eu estava num chuveiro do meio, entre dois muros, então coloquei minha toalha no gancho da esquerda. Ambos chuveiros ao meu lado estavam ocupados.

Gente, estava indo tudo bem, era só mais uma noite de nadar, tomar banho com desconhecidos e voar pra casa direto pra cama, porém, ACONTECEU.



Terminei o banho, desliguei o chuveiro, peguei a toalha, me sequei ainda no "box". Passei a toalha na cabeça, no rosto e, ué, que toalha esquisita... Estava meio que arranhando meu rosto. Assim, estava diferente, parecia um tecido diferente. Quando eu notei que raios era aquilo na minha mão... Era uma toalha. Beleza, né. 

Porém: NÃO ERA A MINHA TOALHA.

NÃO ERA A MINHA TOALHAAAAA!!!

EU ME SEQUEI COM TOALHA DOZOTRO. MEU DEUS, MEU DEUS, MEU DEUS. DE ONDE ISSO VEIO???

Sabe aquele momento em que você entra em contato com o seu interior e "PELO AMOR DO DEUS VIVO, QUAL É O SEU PROBLEMA?"? Então. Olhei imediatamente para os fulanos ao lado pra ver se alguém me encarava com sangue nos olhos, mas, não, estava todo mundo de boinha ainda tomando banho. O pior era que eu NÃO FAZIA IDEIA de onde eu tinha pegado a toalha. Gente, juro, pegar a toalha alheia foi um movimento tão automático do meu corpo que acho que meu cérebro nem sentiu. Eu queria devolver a toalha para seu lugar de origem, MAS EU NÃO SABIA DE ONDE ERA. O pânico batendo, a toalha podia ser de qualquer um dos dois do meu lado, eu quase olhei para o teto e gritei POR QUÊEEEEE???

Num ato completamente random, eu coloquei a toalha usada num gancho qualquer, fiz o ninja saindo dali e me vesti em tempo recorde, mas COM CUIDADO pra não vestir cueca de ninguém. Depois da toalha, eu me sentia capaz de todo tipo de gafe. Fiquei o tempo todo O DONO VIU, ALGUÉM VIU, ELE ESTÁ ME ENCARANDO, A MINHA CARA TÁ VERMELHA, EU QUERO PEDIR PERDÃO PELO MEU PECADO.

Alguém naquele vestiário se secou com uma toalha misteriosamente molhada. Eu descobri quem? Não descobri (MAS, CARA, ME DESCULPA, SÉRIÃO). Só sei que eu ainda estou vivo para confessar que, meu deus do céu, que desastre humano do caramba.