Para vocês entenderem que estamos diante de uma grande coisa aqui, preciso começar com este flashback: O ano é, bom, não faço ideia... Mas a ideia é que estamos no jardim de infância e, hoje, aparentemente, é dia de piscina. Professoras vigiam as crianças numa piscininha, e está todo mundo feliz. Todas as criancinhas estão dando mergulhos, na medida do possível de uma piscina rasa e de plástico, ou estão sentadas jogando água umas nas outras, exceto um menino ruivo e magrelo, que fica o tempo todo em pé. Uma das crianças:

- VAMOS BRINCAR DE FUNDO DO MAR!!!
- EU SOU O TUBARÃO!
- EU VOU SER A SEREIA, ENTÃO.
- SEREIA NÃO EXISTE.
- EXISTE SIM.
- VOU SER A ESTRELA-DO-MAR
- BALEIA!
- GOLFINHO!!!
- CAVALO-MARINHO!!!
- E O FELIPE?
- Eu não quero brincar de fundo do mar.
- VAI SER A ONDA ENTÃO, PORQUE SÓ FICA DE PÉ KKKKKKKKK

Daí, nesse dia, eu fui a onda. Me dá vontade de rir quando eu lembro do menino/tubarão correndo atrás dos outros, a sereia cantando, e eu apenas andando pela piscina. Eu não conseguia sentar. Aquela coisa de plástico, cheia de água e um monte de crianças pulando e gritando dentro me dava uma agonia que eu não sabia ainda como driblar.

O tempo passou, eu evitei piscinas ao máximo e, obviamente, não aprendi a nadar. Eu sou a pessoa que fica em pé na parte rasa num dos cantos da piscina. Eu sou a pessoa que não se afasta vinte passos da areia na praia. Eu certamente iria morrer assim se não fosse a lista. "Aprender a nadar", BUM, na minha cara.

Mas, gente, um conselho: Não deixe para vinte anos depois o que você pode fazer hoje.

Mesmo tendo saído vitorioso dos exames físicos, eu fui me cagando de medo pra primeira aula de natação, porque:


Tipo, o que uma pessoa que nada sabe faz numa primeira aula? NADA! kkk TURUM TSS Os professores de natação sabem da existência de pessoas com mais de vinte anos que ainda tampam o nariz para molhar a cabeça embaixo d'água? Eu estava com medo do professor me empurrar - VAI, MOSTRA O QUE VOCÊ SABE - e eu afundar para a morte que nem o Jack em Titanic. E tinha o ridículo de eu não saber usar a touca (é pra cobrir os ouvidos?) e nem os óculos de natação, além de ser uma aparência patética. Eu não errei muito.

- VAI, FELIPÃO, ENTRA NA ÁGUA.
- Mas meu senhor
- ESSA PARTE DO ÓCULOS É PRA CIMA.
- *desvira o óculos*
- VAI, DÁ UM MERGULHO.
- Um de nós dois já sabe que isso não vai acontecer hoje, mas esse um vai entrar na piscina para demonstrar a situação para o outro.

Quando eu entrei na piscina, juro, achei que fosse ali que o Titanic afundou PORQUE QUE GELO ERA AQUELE, ESSAS PESSOAS SÃO DOENTES. Eu acho que o professor entendeu o meu nível quando pediu para eu "conhecer a piscina" e eu fui e voltei tremendo andando.


Ele me ensinou uns paranauês de respiração, me fez arriscar tirar os pés do chão, me fez questionar onde eu estava com a cabeça quando me matricular naquele raio de aula e me respeitou como pessoa com probleminhas:

- Isso, Felipe, estica os braços, toma ar, se lança pra frente e bate os pés. Vai lá até o final e volta.
- Ok, mas vai pra lá.
- Oi?
- Vai ficar aqui me olhando?
- Vou?
- Jamais. Não deixa eu te ver. Fica me olhando de longe.

E não é que ele foi? Hahahahahahah Depois eu percebi que foi idiotice minha achar que eu ficaria reparando que todos estavam me olhando. Era noite, meus órgãos internos congelando, meus óculos embaçados por causa da água entrando, eu não enxergava um palmo na minha frente, todas as pessoas de óculos e touca também. Minhas memórias são apenas borrões. Eu estava cagando se tinha alguém me olhando, porque meu único pensamento era PRECISO TERMINAR ESSE EXERCÍCIO E NÃO MORRER CONGELADO NESSA PISCINA, EU AINDA QUERO SABER O FINAL DE BREAKING BAD E QUEM VAI GANHAR O SURVIVOR SECOND CHANCES, QUERO SENTIR MINHAS PERNAS OUTRA VEZ.

Aí acabou, e eu vi que ainda estava andando. O professor veio com um papo de que eu fui muito bem, que eu tinha mesmo que focar num objetivo, tipo aprender a nadar para passar num concurso (O meu: NÃO MORRER), e que tinha um aluno dez vezes pior do que eu (Nossa, valeu hein).

Moral da história: FACA NA CAVEIRA, É NÓIS, VAMO NADAR, RAPEIZE.



Quero ser sereio na próxima brincadeira.