Vamos falar sobre o último post? Vamos falar sobre eu querendo dizer uma coisa e dizendo outra? VAMOS.

Eu tinha colocado o título como "Minha vida é chata também" e, na minha cabeça, fazia todo o sentido. Daí Annie, nos comentários, disse "achei esse texto meio deprimente", e eu fiquei "Ué". Então, tivemos uma conversa legal lá mesmo, ela explicou o ponto dela, eu compreendi e está tudo lá ainda para vocês lerem se quiserem. Para não perder o post que eu tinha escrito, eu apenas editei o título e pequenos trechos onde a palavra "chata" aparecia e troquei por "comum".


Mas, Felipe, que dorgas você anda usando para querer dizer "comum" e escrever "chata"?

É que eu estava pensando assim: Blog engana. Sem querer, a gente que bloga acaba vendendo uma imagem irreal da nossa vida. Nós deixamos parecendo que tudo é aventura, diversão o tempo todo, só gente maravilhosa amando a gente sem interesse, nossa cabeça sempre boa e, POR CAUSA DISSO, as coisas boas que a gente posta acontecem.

"Ah, o Felipe foi patinar com os amigos? CLARO, NÉ. Ele ganha rios de dinheiro, os amigos estão sempre perto dele, a vida dele é legal, dá pra inventar essas coisas. Mas a minha vida é chata, nunca que eu vou patinar"

Tipo, NÃO, NÉ. Era isso que eu queria quebrar com o texto, queria dizer que a minha vida é, provavelmente, muito parecida com a de quem lê este blog. Tem rotina, tem momentos de solidão, tem uns abacaxis diários, tédio... Mas, MESMO ASSIM, eu gosto da vida, eu gosto de rir, eu vivo momentos que acho extraordinários.

E LONGE DE MIM achar que a rotina e as coisas ordinárias da vida são "chatas". Foi uma palavra muito equivocada da minha parte. Reclamar da vida, sendo ela do jeito que é, é justamente o oposto do que esse blog se propõe. Eu amo o que é simples, amo o que está sempre aí, amo quem aprecia isso também. Vai ver são as dorgas fazendo efeito mesmo, mas eu gosto de acordar cedo, gosto de pegar ônibus, ver gente no metrô, ouvir as conversas, gosto até de ficar sozinho... Se você não gosta, já é outra história, mas esse não é o ponto.

Minha vida é comum, sim, mas gosto tanto. Com ou sem os momentos de glória.

(Menti para vocês dizendo que era notinha, mas cheguei com um textão, desculpa)