Mas já adianto que não é fofoca, apenas surgiu a necessidade. 

Quer dizer, eu estou vendo gente levando pedrada na cabeça e também gente sendo impedida de existir, além de gente sendo mandada para lugares pouco amistosos e gente que não pode ser o que é.

Não está bonito. Pior ainda, tudo em nome de certa pessoa.

Eu já sou cristão desde antes dos meus blogs sequer serem uma ideia na minha cabeça, e isso não é vergonha para mim, nem motivo de orgulho. Eu apenas sou. Faz parte da minha pessoa. Você que está aqui desde o primeiro post do Não Sei Lidar nunca me viu falando ACEITEM JESUS, SEUS PECADORES, VENHAM PARA A LUZ porque 1) eu total acho esquisitão querer enfiar uma pessoa que vocês nem conhecem na vida de vocês e 2) gente, quem sou eu pra saber da vida alheia?

Mas precisamos falar sobre Jesus. Eu preciso para me posicionar na vida, talvez vocês precisem para entender melhor como as coisas realmente deveriam funcionar e saber que essa bagunça toda que está aí é bem sem sentido.

Resumindo bastante a mitologia cristã*: Deus criou as pessoas para viverem com ele para sempre. E era todo mundo bom, aquele clima de amor, amizade, todo mundo feliz. Deus é amor, e aquelas pessoas correspondiam a esse padrão tão elevado de bondade. Até o dia que deu ruim com aquela história de fruto proibido e serpente no Jardim do Éden, e Deus teve que "Gente, desculpa, não dá pra gente viver junto, o amor morreu aí em vocês".

E desde então o ser humano viveu separado de Deus. As pessoas ficaram tão contaminadas com elas mesmas que geraram maldade, violência e uma falta de amor arrasadora. E, assim, mesmo quando as pessoas não eram PÉSSIMAS, elas também não eram AMOR PURO, como eram quando estavam com Deus. Você já tentou ser 100% bom? Tipo, o tempo todo? É uma realidade: Mesmo quando queremos ser BONS, não conseguimos. Tá no corpo, no sangue, sei lá. Segundo o padrão de Deus, que é a bondade suprema, ninguém é bom. Ou seja, a gente nunca ia voltar para ele. Pior, seríamos condenados justamente pelas nossas más ações.

Enquanto as pessoas estavam aqui tentando ser boas sem nenhum sucesso, Deus meio que "Ok, já deu. Elas já entenderam que nunca vão conseguir, vamos lá fazer do jeito certo". E é aí que Jesus entrou na (nossa) história.


Jesus veio e foi condenado (na cruz) no lugar de todo mundo. Ele simplesmente pagou o pato por GERAL, porque ninguém tinha condições de se garantir. Ele não perguntou de onde a pessoa era, quem era, o que havia feito, nada. Ele mesmo não tinha nenhuma má ação no currículo, ele só sofreu a justiça pelas outras pessoas. Ele só foi lá e FEZ.

Agora, atenção nessa parte, ficou claro o que Jesus REALMENTE fez? Vocês notaram as consequências? Não? Eu conto.

Quando alguém fica se achando a última bolacha do pacote, querendo olhar os outros de cima, ou quando apontam para uma pessoa e dizem que ela não é boa, que não merece amor, perdão, que não merece viver, quando alguém se acha merecedor de alguma coisa, quando dizem "Eu sou bom, mas você é ruim", as pessoas estão simplesmente cagando para Jesus.


Amigo, desculpa te dizer, MAS ESTAMOS TODOS NO MESMO BARCO. Você não é 100% bom, eu também não sou. Num tribunal de Deus, eu seria condenado como qualquer outra pessoa. Você é o santão, que nunca faz mal, que nunca ofende, que nunca pensa em apenas si mesmo, que ama todo mundo, que ajuda todo mundo, jura? 

Ah, não? ¯\_(ツ)_/¯

Então que tal ficarmos quietinhos, aceitando nossa imperfeição e entendendo que, pra Deus, todo mundo é igual? Sim, exatamente, as pessoas que atacaram a menina do candomblé com pedradas, a própria menina, eu que estou escrevendo esse post, você que está lendo... TODO MUNDO. E só por causa de Jesus, que nivelou as pessoas, recebendo a condenação na cruz por todas.

Ninguém merece ir para o céu, porque, aqui na Terra, a gente nunca vai conseguir alcançar o padrão de Deus. Não tem mais a ver com o quanto você é bom, com o que você fez, faz ou deixou de fazer. É tudo sobre quem Jesus é.

Ele veio, pregou o amor, um amor que vai muito além de ser bonzinho, falou contra os religiosos da época que se achavam os donos da razão e eram super hipócritas (algo mudou?). Ele não mandou violentar ninguém, ele não mandou que julgássemos uns aos outros, ele não disse para montarmos uma lista de "Pode" e "Não Pode". Ele demonstrou empatia, honestidade, caridade e amizade. Só coisa boa. Como transformaram isso numa metralhadora de VOCÊS VÃO PRO INFERNO, FILHOS DE SATANÁS, eu realmente não sei. Eu, por mim mesmo, não garanto nem minha própria pessoa ao lado de Deus, imagina dizer quem vai e quem não vai para o céu?

Jesus só chamou as pessoas para um relacionamento com Deus. Uma ligação que já existia antes, mas que foi partida. Agora, Jesus deu a oportunidade de, quem quiser, retomar a conexão. A Bíblia diz que a vida eterna é que conheçam a Deus. Nada de regras, de julgamentos, nada de pedir dinheiro, nada de coerção, de violência, de insanidade... Só um relacionamento. Entre duas pessoas. Deus e eu, Deus e você.

Não adianta nada eu falar do quão bom Jesus é, eu sei, a gente só pode demonstrar e praticar as coisas do jeito que ele ensinou, vendo com nossa própria vivência que tudo o que ele disse realmente funciona e faz bem. Eu me sinto um ser humano menos destrutivo do que eu era ontem a cada dia. Eu amo esse relacionamento, mas, quem não quer, vida que segue.

(* Eu chamo de mitologia cristã porque, mesmo que pra mim seja uma verdade, eu prefiro falar de forma imparcial para favorecer o debate e respeitar outras crenças. Até porque o ponto aqui não é se Deus existe, se Jesus é real, etc. É só que, sendo Jesus real ou pura invenção, fazer o mal para outra pessoa não o representa de forma alguma)

***

Só lembre disso toda vez que uma pessoa cristã fizer você se sentir mal ou se você é cristão, mas está se sentindo o ser humano mais horrível do mundo por não ser "bom o suficiente".

Se foi bom pra você, eu ficaria muito grato se você apenas compartilhasse esse texto naquela sua timeline do Facebook, que, muitas vezes, chega a ser deprimente.

***

Estamos entendidos? Obrigado pela atenção :)