Não acredito em DESTINO, mas acredito na pessoa certa na hora certa. Muito tem se falado sobre qual o sentido da nossa vida ou qual o propósito de algumas pessoas surgirem só para sumirem depois (mentira, só conversei com duas pessoas sobre isso), então segue o relato:

Fonte
Estava eu indo fazer uma prova em Botafogo, lugar que conheço tão bem quanto a palma da SUA mão, quando notei o inevitável: estava perdido. Acho que andei o triplo do que deveria, passei por ruas desnecessárias, esbarrei numa Travessa e vi que estava indo na direção contrária da qual eu queria. Beleza, desfiz o percurso e fui para o lado certo. Felizmente, eu vou desbravar terras desconhecidas com 729 horas de antecedência.

Saí da prova junto com uma menina cujo nome jamais saberemos, batemos aquele papo da aflição de conferir respostas e só. Mas aí ela perguntou 

SE EU QUERIA CASAR COM ELA E TER TRÊS FILHOS RUIVOS, MESMO O CABELO DELA SENDO PINTADO

se eu conhecia Botafogo, e eu apenas "Dsclp". Aí perguntei o que ela estava procurando exatamente, mas só por educação, porque eu nunca sei de nada mesmo. Ela disse que queria comprar um livro, e eu "Ah, que pena, conheço nada por aqPERA A TRAVESSA". E daí fomos atrás da Travessa, que eu não fazia mais ideia de onde ficava, mas eu tinha passado por uma, não tinha? Tinha? Daí eu levei a menina por ruas erradas umas 3 vezes enquanto ela me contava com o que trabalhava, do que gostava, até que ela disse que

QUERIA ME FAZER FELIZ COMO NENHUMA OUTRA PESSOA PODERIA FAZER

tinha um noivo e que ele ia detestar se ela tivesse que viajar para outro estado. Eu já estava perdendo a fé na minha sanidade mental até que passou um moço com a bolsa da Travessa e, alguns passos depois, eu vi a livraria, que só descobri porque fiz o caminho todo errado da primeira vez. Foi um alívio. Aí eu disse que "Pronto, minha honra está restaurada", ela riu e falou

QUE ME AMARIA PARA O RESTO DE NOSSAS VIDAS, ELA NEM GOSTAVA DO NOIVO TANTO ASSIM

um obrigado e foi embora. Eu fiquei feliz por ter guiado às cegas uma pessoa até uma livraria. Ela não era a minha pessoa certa na hora certa, eu que fui a dela.