Mando tantas ordens desesperadas para o meu cérebro quando vejo um conhecido na rua ("ENTRA NA LOJA", "DÁ MEIA VOLTA", "SE JOGA NO BURACO") que acho que ele já aprendeu que deve ignorar certas pessoas. Mas daí que um conhecido parou bem na minha frente, meu cérebro não deixou eu ver o cara chegar, e disse: "Felipe! Você está parecendo o papai noel kkkkk Tira essa barba kkkkk". Assim, gratuitamente.


Depois perguntam por que eu estou sumido, mas beleza. A minha barba é um assunto delicado (já comentei aqui), porque eu só faço quando deixo de gostar dela. E, quanto mais criticam, mais eu gosto. Uma barba de "papai noel" me dá a oportunidade de tecer o discurso PESSOAS, PAREM. Mas elas não entendem bem.

"Já pensou em fazer um regime?". Meu querido e minha querida, É CLARO QUE A PESSOA GORDA JÁ PENSOU EM REGIME. Todo mundo sabe o que é dieta, academia, exercício físico. "Sabia que você pode depilar?". SABIA. Claro que a menina que não depila a perna ou o cara com cabelo pelo corpo sabe que existe essa opção. As pessoas tem TV em casa, internet, espelho. "Tira essa barba kkkk".
 
Mas por que, meu Brasil?
 
Porque tá feio, ué.
 
E daí, meu Brasil?

...

Viu? Não faz diferença ALGUMA na vida de ninguém, exceto na vida da pessoa que escolheu ficar na situação em questão. Tá gordo, tá magra, tá estranha, tá barango? TANTO FAZ. Percebam como é libertador.

Ficar "bonito", de acordo com o padrão atual, é uma coisa que exige esforço. E nem todo mundo está disposto a chegar lá. Vai ver a pessoa não quer chegar lá. Ou talvez ela até queira, mas vê que o trabalho que vai dar não vale a pena (vocês sabem como é chato fazer a barba todo dia?). Ou ela está tentando chegar lá, mas não é como se o mundo fosse acabar amanhã. Não é como se a pessoa fosse MORRER por estar feia de acordo com a sua concepção de beleza. Sabe, prioridades.

É chato a pessoa já estar na contramão do mundo e ainda ter que ouvir isso todo dia. Facilita pra gente, ok?

E não me façam voltar aqui para falar disso de novo.