Como eu disse no "Se vira aí, meu filho", tem gente que joga o jogo da vida com outras peças. A criação que a gente teve, a educação, a condição social, os genes que carregamos e as escolhas feitas também são tipos de peças que sempre mudam de pessoa para pessoa, mas longe de mim dizer que as pessoas são incapazes de alguma coisa. Só acho que tem peças que não encaixam bem.

Eu, por exemplo, já tive oportunidades de entrar num ramo profissional com empresas que pagam muitas dilmas. Estava eu lá ganhando X enquanto gente que começou comigo ou, pior, depois de mim ganhando 2X, até 3X! E isso me deixava com toda a sensação do mundo de estar fazendo a coisa errada. E olha que eu me achava completamente capaz, sabe? Só que sabe quando você olha pra uma coisa e pisca no seu cérebro NÃO É PRA VOCÊ? Era bem isso. Eu achava e ainda acho o emprego dos amigos bem chatos. Eu não acho graça na área. Acho o trabalho exaustivo, maçante e nada gratificante. Paga bem? Paga, mas a minha peça simplesmente não encaixa.


Nossa personalidade é nossa peça principal. Por isso que não dá muito certo ficar olhando para a grama do vizinho. Quer dizer, se fosse só questão de comparar a cor da grama, até rolava, mas as situações da vida são bem mais complexas. 

Fulana tem um trabalho muito melhor que o seu? Será que você se daria bem se estivesse no lugar dela? O quanto ela tem que se esforçar para estar ali? Você está disposto?

Ciclano está casado? Que vida maravilhosa a dele, né, uma esposa gente boa, umas crianças para brincar. Mas será que é tudo sempre bonito assim? Será que é fácil lidar com outra pessoa dentro de casa? Você sabe trocar falda de criança?

Não dá para saber. A gente só acha as coisas. Acho que a gente "mede a felicidade" com base nos filmes, na mídia, no que nossos pais nos passaram como informação. Daí tentamos nos encaixar nesses padrões sem nem perceber que a nossa peça da personalidade não entra bem.

O melhor jogo é fazer o seu próprio jogo, escolher o que te faz bem e correr atrás para alcançar. Claro que existe uma coisa chamada necessidade, e nem sempre a gente tem o luxo de fazer apenas o que queremos, mas, se a escolha existe, se depende de você, coloque suas peças onde encaixam melhor.