Se eu mentisse para vocês e inventasse situações que nunca aconteceram, vocês teriam causos novos toda semana, mas nenhum seria tão surreal quanto esse que, de fato, ocorreu. Não comigo, verdade, mas com minha mãe, o que é tão bom quanto. Minha mãe estava trabalhando quando recebeu uma ligação de número desconhecido:

- Alô?
- OI, DONA, A GENTE ASSALTOU UM BANCO, SUA FILHA ESTAVA NO LUGAR, ELA FICOU NERVOSA E REAGIU, PEGAMOS ELA.
- OI???
- MEU COLEGA FOI BALEADO, QUEREMOS 3 MIL REAIS. É A SUA FILHA! 

*uma menina chorando no fundo*

- CAROLINE, MINHA FILHA, CAROLINE.

[Pausa para uma dica especial para quando sequestrarem alguém da família de vocês: Não digam o nome da pessoa se o bandido não disse antes.]

- QUEREMOS 3 MIL REAIS, DONA. 3 MIL.
- ....
- ..........
- ..............
- .........................
- Moço, eu não tenho esse dinheiro. Onde vou arrumar 3 mil reais?
- É A SUA FILHA, DONA.
- OLHA AQUI, MEU SENHOR, eu vim trabalhar hoje porque estou devendo x reais e não tenho como pagar! [Devendo pra mim, inclusive] Tô aqui me matando pra conseguir esse dinheiro! TRABALHANDO. EU NÃO TENHO 3 MIL REAIS.
- ....
- ...............
- Moça, a senhora é doméstica?
- SOU.

[Pausa para minha reação: "Mãe, por que você disse que era empregada doméstica se nem é?", "Eu senti que era o certo"]

- Ô, dona, desculpa, isso aqui é um golpe. Não é sua filha não, é um golpe, pode ficar tranquila. Liga pra sua filha, vê se ela está bem. Desculpa aí.

*desliga*

Bandido bom é bandido que respeita nóis pobre.