Ainda não passei da fase de levar suquinho para tomar na hora do recreio. Minha mãe me entrega uma garrafa de suco quase todos os dias para eu levar para o trabalho. Pelo menos, existe geladeira, não é mais aquele suco quente de caju, estamos alcançando a maturidade.

Daí que estávamos em casa à noite, e ela fazendo o tal suco.

- Humn... Quando você for tomar, agita um pouco.
- Ok.

Achei esquisito, mas beleza, mãe sabe o que diz. Se ela diz pra levar guarda-chuva, leve o guarda-chuva. Se ela diz pra agitar, agite. Regras básicas da vida. Nem vi de que o suco era, só coloquei na mochila e fui brincar de ser gente grande.

Coloquei o suco no meu copo na hora do almoço. Gente. Era uma ÁGUA. Com pozinhos roxos flutuando. Lembrei do conselho, devolvi para a garrafa, agitei, devolvi ao copo. Água com pozinhos. Era até bonito, sabe, os pozinhos ali flutuando, girando, uma coisa meio estrelas no Universo, alguma metáfora pra vida que não entendi e tal. Até tentei ler meu futuro no suco, mas não vi nada.

- Gente, que suco alucinógeno é esse?

Passei a faculdade inteira sem me drogar, pra minha mãe querer me dar uma vibe com suco de cogumelo.
Bebi. Era de uva. Estava doce demais, mas, fora isso, normal.

Minha mãe me liga uma hora depois:

- FELIPE, NÃO BEBE AQUELE SUCO. Joga fora!
- Já bebi o.o
- Bem que eu estranhei ontem... (E mesmo assim me deu. BELEZA)
- O QUE ERA?
- ...
- Mãe?
- Gelatina.
- MÃE!
- Ai, filho, desculpa, eu...
- HAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAH
- Filho...
- HAHAHAHAHAHAHAH
- hihihihihihihi

Minha mãe tem menos de 60, mas já está ficando gagá. Envie forças, Brasil.