segunda-feira, dezembro 30, 2013



Nada melhor que a aula de Educação Sexual da 5º série para se aprender coisas novas. Se não me engano, era a primeira aula e todas as crianças de 11/12 anos estavam meio alvoroçadas. Sede de conhecimento e etc. E as crianças estavam mesmo necessitadas em aprender certas coisas, acho que jamais me esquecerei do menino que:

- Professora, o que é um pênis?

*silêncio no recinto*

- É O BIGULINHO, QUERIDO!

*risos no recinto*

Uma criança mais sábia perguntou para a professora o que era masturbação. Professores de Educação Sexual devem ter uma vida divertidíssima, eu nem sei por que vocês ficam lendo esse blog podendo ler os blogs deles, mas enfim. A professora, cheia de dedos, responde que masturbação é quando a pessoa ama muito a si próprio. Meu eu de 11 anos achou esse conceito muito bonito e profundo. Que lindo uma pessoa amar a si mesma.

Não sei quanto tempo passou, mas estava eu, ainda com 11 anos, me olhando no espelho e totalmente maravilhado com a cor meio avermelhada do meu cabelo e como eu parecia legal. E fiquei olhando o espelho por um tempão: Olhem como meu cabelo é legal! Ninguém tem um igual.
Minha irmã, na época com 18 anos, veio me perguntar o que eu estava fazendo durante tanto tempo, e a resposta mais completa e cheia de significado para aquele momento sublime que consegui formular foi:

- Me masturbando.
- O QUÊ?
- É, eu me masturbo.
- DO QUE VOCÊ TÁ FALANDO? VOU CONTAR PRA MINHA MÃE.
- Você deveria se masturbar também.
- AAARRRRRGGGHHH

Posted on segunda-feira, dezembro 30, 2013 by Felipe Fagundes

17 comments

***

quinta-feira, dezembro 26, 2013

Acho que, depois da minha performance troncha no NanoWrimo, eu engatei nessa coisa de escrever e levar as ideias até o fim embora vocês possam perceber que essa é uma constatação falha conferindo o número de histórias que terminei: zero. Ok, estou tentando terminar, e isso já é um avanço. Não me contradigam. Assim que Novembro se foi, eu tratei de organizar uma nova meta pra mim, mesmo tendo o fantasma do TCC ainda me assombrando. Fui modesto, 250 palavras por dia. O resultado?


Dá pra enxergar claramente no gráfico quando foi a semana de defesa do TCC e o quão LIBERTO me senti quanto o trabalho ACABOU ainda tenho 22 correções pra fazer SOCORRO. Como eu fui possuído pelo espírito da Nora Roberts na metade do mês, acabei aumentando minha meta ridícula para algo um pouco mais desafiador mas não tanto, ainda quero o sentimento de vitória no fim do mês.

E essa é a boa notícia: Estou indo. Não desisti. Falta pouco para o meu primeiro rascunho acabar. FALTA POUCO. Eu acho super besta da minha parte ficar comentando sobre uma história que nem tenho 100% de certeza se vai pra frente, então, não vou comentar nada sobre. Não mais.

Porém, eu não me contive e comecei a escrever uns mini contos avulsos, usando personagens da história principal. E - TCHARAM - sobre esses, eu posso falar. Um deles está publicado, inclusive, no WattPad (ninguém sabe o que é, ok). Querem me dar uma força? Façam isso lendo esse conto de 2 páginas e mandando amor pra mim em forma de comentários, votos, visualizações e boas vibrações. Também estou aceitando críticas. Mas foquem no amor.


Uma sinopse: "Conversas sobre bebês eram sempre entediantes e desnecessárias. Seguiam o mesmo protocolo: dizer que a criança era linda, que era um monstro de Frankenstein com partes do corpo de todas as pessoas da família e se maravilhar com as funções básicas do corpo humano, como respirar e babar."
Indo totalmente contra a cultura adoradora de bebês, Téo acha que todos os bebês são iguais e comuns. Mas, talvez, ele apenas não tenha conhecido um dos bebês realmente interessantes.

Vamos ignorar a capinha sofrível Fiz no paint (Desnecessário dizer) e saber abstrair. Bebê Interessante é uma brincadeirinha, apenas. Diz a lenda que, assim, conheço meus personagens melhor. Hipótese ainda não comprovada.

Isso é tudo :-)

Posted on quinta-feira, dezembro 26, 2013 by Felipe Fagundes

3 comments

***

segunda-feira, dezembro 16, 2013

Já estava conformado com meu fim de ano sabático e pensando em vender meus serviços de stalker profissional ou vendedor de lugar nos trens quando, de repente, BUM. CONSEGUI UM EMPREGO.

EU. CONSEGUI. UM. EMPREGO.

Honestamente, foi tudo muito engraçado e meio surreal. Fui chamado pra uma vaga que não me inscrevi, pra fazer uma entrevista. Fui, né, preparado psicologicamente para frases de efeito, sensatas e com minha melhor cara de bom funcionário. A moça do RH: Então, Felipe, espera nessa sala aqui que vou buscar sua prova.

PROVA? OI? 

Mas fiz. Nem fiquei sabendo da minha nota, mas, aparentemente, eu passei. Num dia eu estava fazendo prova, no outro estava sendo entrevistado no meu local de trabalho, no outro minha carteira estava sendo assinada e, de repente, estava eu acordando cedo pra ir trabalhar e fugir do TÉDIO que é o desemprego. 5 da manhã, metrô lotado e eu cantando Dog Days Are Over.

Assim, eu estou FELIZ. No primeiro dia, eu estava assim: AASDLSKJDHLEURHLAEWIO. No segundo também, no seguinte e etc. Agora, meus feelings estão mais controlados (até porque precisam acreditar na minha ~normalidade~), mas ainda me pego deslumbrado com algumas coisas* e em como me identifico e me encaixo nesse novo emprego. O lugar é bom, bonito, mas não é barato, tem sol, gente feliz e eu ganho dinheiro. É bom, né?

***

* algumas coisas:

1) Eu tenho TRÊS LIXEIRAS. TRÊS. Gigi, Mimi e Abigail. É BRINCADEIRA. No meu ex-emprego, eu pedi pra ter uma lixeira própria e não me deram. Risos. Agora, eu tenho 3. Particularmente, acho um exagero, mas é o universo me recompensando, quem sou eu pra reclamar?

2) A parte mais mágica: Assim que entrei pela primeira vez na minha sala de trabalho, me deram uma mesa, que estava vaga, o antigo "dono" tinha ido buscar "novos horizontes". Gente, sem brincadeira, tinha um LIVRO debaixo do meu monitor, sendo usado como apoio, pra deixar mais alto, sabe. UM. LIVRO. Mas não era qualquer livro. Era um dos meus livros FAVORITOS. Se fosse Um Dia eu ia morrer ali mesmo, mas era A Batalha do Apocalipse. NA MINHA MESA. ME RECEPCIONANDO. ISSO FOI UM SINAL. TINHA QUE SER.

3) O que nos leva ao 3º fato deslumbrador: Tem uma biblioteca privada na empresa. Alguém que nem trabalha mais lá pegou esse livro e esqueceu de devolver. O livro está há gerações naquela mesa ME ESPERANDO ASKDSJDJFHJFD. Foi uma das primeiras coisas que fiz: procurar essa biblioteca. Tem site e tudo e ela é cheia dos best-sellers. NÃO É SONHO. Eu me belisquei uma meia dúzia de vezes.

4) Pedi a Deus colegas de trabalho que conversassem sobre reality shows ao invés de futebol e fui atendido prontamente. Achei que era piada quando ouvi uma cdt comentando The Voice Brasil e eu pude dar minha opinião. Um fato curioso sobre meus cdts e até sobre a própria biblioteca é que ninguém sabe onde ela fica. Risos. Me mandaram, inclusive, pra uma sala errada.

- Aqui é a biblioteca?
- Não oO

Mas ELA EXISTE. Eu tenho a prova. Tenho o livro, a biblioteca tem site. Minha missão naquela empresa é fazer o exemplar abandonado de um dos melhores livros que já li voltar pra sua estante. Chega dessa vida de apoio de monitor (Olha, francamente...). Dog Days Are Over.

***

Eu tenho mil coisas pra falar além de ASADWHIOUFHEOEIRERJ, mas vamos deixar pra depois. Eu meio que vou aparecer pouco no Facebook, no Twitter, até por aqui (Trabalhando 8h pela primeira vez na vida. Já sou adulto?), mas saibam que estou bem. Me mandem e-mails <3 (Sério, mandem).

***

Minha trilha sonora: 
The dog days are over, the dog days are done!


Posted on segunda-feira, dezembro 16, 2013 by Felipe Fagundes

22 comments

***

terça-feira, dezembro 03, 2013



Novembro foi uma experiência! Só não digo que foi o melhor mês, porque minha memória é ridícula, e não me lembro de mais nada que fiz durante o ano, então eu poderia estar sendo injusto. Eu contei pra vocês, estava participando do NanoWrimo, projeto que incentiva as pessoas a escreverem uma história de 50 mil palavras durante 30 dias. 50 MIL! Não é fácil, não é trivial, mas não é impossível. Eu finalmente tinha uma boa oportunidade pra por em prática meu plano de dominar o mundo escrever um livro.

Recuperei meus rascunhos incompletos dos mortos, reli a trama pra entrar no espírito da história, fiz um planejamento pra não ficar perdido, entrei num grupo com as pessoas mais lindas do Facebook e separei um horário para escrever diariamente.

E O RESULTADO??? ULTRAPASSEI AS 50 MIL PALAVRAS JÁ NA METADE DO MÊS!

Mentira. Falhei miseravelmente. Risos.




Vocês podem verificar que eu comecei super bem, batendo a meta diária, empolgado, até o fatídico dia 10. Meu TCC ficou em chamas e eu fui obrigado a dar mais atenção a ele. E deu uma canseira, viu? No meio do mês, eu já vi que NÃO IA DAR PRA VENCER. Mas em minha defesa quero dizer que não desisti, fui até o fim e montei meu próprio gráfico, com uma meta menor (30 mil).

E O RESULTADO???



Também não alcancei as 30 mil. RISOS.

No mês, escrevi 26766 palavras. Entrei no Nano pra escrever uma história já pela metade, fui pra escrever a segunda metade dela. Acredito que eu tenha no total umas 40 mil palavras, por aí. Sabem o que isso significa? NADA, se eu não terminar.

Mesmo perdendo vergonhosamente, foi incrível pra mim. Vi a história crescer, conheci gente legal e li os conselhos úteis da galera já publicada (Pep Talks <3). Não vou desistir. Quero MUITO terminar essa história. Pelo menos essa. Decidi que vou continuar, num ritmo menos frenético, mas vou. Preciso de pouco texto pra terminar um primeiro rascunho, mas ainda falta MUITO pra sair uma história engraçadinha, legalzinha e gostosinha de ler (Essa frase cheia de inhas é a minha pretensão, pra não dizer que a história é despretensiosa).

Com certeza, pretendo participar das próximas edições do Nano E VENCER. Recomendo a todo mundo que tem esse sonho de escrever um livro. Aproveito pra compartilhar a melhor dica que recebi nesse mês: SENTE A BUNDA NA CADEIRA E ESCREVA. A segunda melhor foi que "A pior história escrita ainda é melhor do que a ideia mais incrível na sua cabeça". O que te leva de volta à melhor dica.

Posted on terça-feira, dezembro 03, 2013 by Felipe Fagundes

4 comments

***
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...