Atenção: Texto sem spoilers de Guerra dos Tronos! POR FAVOR, deixe assim, não apareça aqui com um spoiler.

O inverno está para chegar...

Nem está, né, porque acabou de acabar, mas eu comecei a ler A Guerra dos Tronos esses dias e queria usar o lema dos Starks em algum lugar. Nem é meu tipo de livro favorito nem nada, mas estou gostando muito, recomendo a todos (Eu só quero alguém mais atrasado do que eu, pra poder surtar comigo).

Tem como não amar a Arya mesmo sabendo que ela pode morrer tragicamente no capítulo seguinte? Filha do Rei do Norte, Arya foi educada pra ser uma dama, uma futura esposa de um nobre, assim como sua irmã e 100% das meninas filhas da nobreza. Mas Arya quer isso? Nada, a menina gosta de aventura, gosta de correr com os lobos, lutas de espadas, descobrir lugares novos.

Morro de rir da forma que ela simplesmente caga e anda pra essas coisas de realeza. Ela foi criada pra ser uma coisa que, risos, ela despreza, ela não quer ser. Acho que todo mundo se identifica com a Arya de alguma forma. Sabe quando querem que você aja de uma forma que você não quer agir ou quando esperam algo de você sem nem te consultar se aquilo condiz com sua personalidade? Eu sei, acontece todo dia.

Eu queria seguir o exemplo da Arya mais vezes e dizer: Não sou obrigado. Vai desagradar um ou dois, mas a vida é de quem, afinal? Como disse um grande filósofo grego: Se não tá mais à vontade, sai por onde entrei.

Só que a Arya tem menos de 10 anos. As pessoas acham que ela ainda tem alguma salvação. Que é só uma fase, que ela vai crescer e entender como as coisas devem funcionar. Arya é rica. A gente tem 16, 22, 30, 40+ e querer ser diferente nos tacha como caso perdido para o resto da vida. E nem na fantasia isso dá certo sempre.