Não consigo conceber o vazio que uma pessoa que tira sua própria vida sente dentro de si mesma. Suicídio é meio que um desapego quase total. Você está indo embora porque viver está inviável, nada nem ninguém te prende aqui, a vida pode simplesmente continuar sem você. Veja bem, estou só supondo. Como eu disse, não consigo conceber. Conheci três pessoas que suicidaram. A última delas mais profundamente. O que vi foi uma série de sonhos frustrados. Em questão de qualidade de vida (emprego, casa, renda...), a pessoa estava muito melhor que eu, mas a mente muito cauterizada.

Estou tocando nesse assunto por causa de um livro que li faz pouco tempo, Os 13 Porquês (Jay Asher). O livro trata de suicídio, mostrando o passo a passo de uma menina que caminhou de uma vida feliz para esse fim trágico (não é spoiler, é a premissa do livro). Eu achei o livro um tantinho exagerado, apelativo, como me disseram, mas chamou a minha atenção o fato de que os motivos da menina são, humn, comuns. Corriqueiros. Nem todos, verdade, mas a maioria não chega perto de ser um estupro ou algo assim. Não estou dizendo que os motivos sejam menos significativos, mas não é o que passava pela minha cabeça quando peguei o livro nas mãos.

Uma palavra mal dita (ou maldita), um erro de julgamento, a falta de elogios e acusações constantes, boatos... Esse tipo de coisa que levou a menina a tirar a própria vida. É um livro, eu sei, mas eu fico pensando nas tantas pessoas planejando suicidar que toparam comigo e se sentiram com um pouquinho mais de vontade de morrer.