segunda-feira, junho 27, 2016

Gente, acredita que ainda não consegui desapegar da discussão sobre beleza? Eu tinha chegado à conclusão de que beleza é um conceito altamente subjetivo e que algumas pessoas possuem mais potencial para serem consideradas bonitas do que outras. Também estava acreditando que, quando alguém emite uma opinião sobre a sua aparência, negativa ou positiva, ela não quer dizer muita coisa. "Você é muito bonito" quer dizer "Eu te acho bonito", e por que a gente agradece isso? Quer dizer, não é como se a pessoa estivesse fazendo algo pela gente. É só uma opinião.

Depois de ter publicado o texto, eu fiquei pensando: Mas 90% dos elogios não são assim também? Dizer que uma pessoa é inteligente, engraçada, legal ou divertida cai na mesma categoria da beleza. É um monte de opinião própria que a gente emite sobre uma pessoa e que pode ser falsa para muitas outras pessoas. O mesmo vale para críticas.

ENTÃO POR QUE A GENTE VIVE AGRADECENDO? Não tem lógica.

Mas daí eu acho que tive uma >>>EPIFANIA<<< e percebi que elogios não são apenas opinião. Quer dizer, até são, mas as pessoas fazem elogios por algum motivo. E esse motivo é: te fazer bem.

Fonte (que site legal pra cafonices <3)

Quando a gente sente que o elogio é sincero, a gente tende a acreditar nele. Faz bem. Deixa a gente meio besta, meio sem graça, às vezes vale o dia. É só a opinião da pessoa, verdade, mas é algo que ela usa para nos agradar.

Então acho que o "Obrigado" que a gente responde aos elogios é isso. Não é "Obrigado por me achar bonito/inteligente/legal/etc". É "Obrigado por ter me dito isso". Penso que todo elogio sem segundas intenções vale o agradecimento. Chegam a ser raras as vezes em que a gente diz algo de bom gratuitamente sobre uma pessoa, seja por vergonha, seja por achar que a pessoa já sabe, seja por esquecer ou não ter mesmo esse costume... Daí, quando uma pessoa consegue ultrapassar essas barreiras todas e dizer que você está bonito, eu acho que cabe uma gratidão.

Bom, agora eu enxergo assim. "Obrigado por ter me dito isso", vou dizer sempre.

Posted on segunda-feira, junho 27, 2016 by Felipe Fagundes

No comments

***

segunda-feira, junho 20, 2016

Os textos do "No fundo, eu sou otimista" geralmente me fazem gargalhar (inclusive é uma JÓIA RARA para quem curte blogs pessoais, recomendo), mas um em específico me fez pensar pra caramba, montar uma teoria, criar uma apresentação de slides (mentira) e vir até aqui jogar minhoca na cabeça de vocês também.

Esse aqui. Vou resumir pra vocês, seus preguiçosos, mas nele a Beatriz conta que tem o costume de dizer "Obrigada, eu sei" quando comentam que ela está/é bonita. Meio que a acusaram de ser arrogante, ela ficou matutando e chegou à conclusão de que não é arrogância, é amor próprio.

Porque é um fato. Quer dizer, quando alguém diz "Nossa, você é tão alto", você não responde "Que isso, imagina rsrsr". É um fato, você é alto, pronto e acabou. Quando você é muito bom numa coisa e alguém te elogia, por que a modéstia é necessária? Por que soa esquisito responder "Verdade, sou mesmo"? Segundo a Beatriz, é a mesma lógica da beleza. Se você é bonito, você é, ué. Quando uma pessoa te elogia, ela está apenas constatando um fato.

***

Mesmo antes do texto dela, há anos que venho pensando nesse conceito de beleza. ANOS. Eu compreendi o que a Beatriz quis dizer sobre o amor próprio e eu sou fã de carteirinha dele (You are the sun, etc), mas eu não consigo considerar a beleza como um fato. Muito pelo contrário, acho um conceito altamente subjetivo.



A Angelina Jolie sempre foi pra mim um modelo de MULHER BONITA. Sabe, de olhar e ficar pensando COMO PODE SER TÃO LINDA? A minha escala de beleza sempre foi de 0 a Angelina Jolie. Daí um dia eu estava conversando com o Luiz e disse:

- Imagina se a Angelina Jolie aparece aqui e-
- Eu nem acho a Angelina bonita
- WHAT
- Ela tem um bocão
- MAS É EXATAMENTE IS-
- E um olhão, sei lá, acho desproporcional
- SAI DAQUI

Tipo, como assim, gente? Passado o choque, eu comecei a notar outras coisas que fogem da minha escala de beleza. O exemplo mais flagrante talvez seja esse homem:


Menina Cíntia e menina Annie acham Mark Ruffalo um ser fofo. OLHEM PRA ESSA CARA AMASSADA. Outro exemplo de pessoa esquisita:

(Billy Brown, ~galã~ de How to get away with murder)

A internet também não ajuda, porque, gente, vamos acompanhar os galãs do Twitter:





OU SEJA. Talvez vocês estejam ah, mas você só está citando homens na feiúra porque também é homem. Juro que não é o caso. Quer dizer, eu sou homem, mas não tenho nenhum problema em reconhecer que outro homem é bonito. Eu só acho esses aí feios mesmo. Vamos acompanhar pessoas bonitas:



(Essa talvez seja a foto mais bonita de toda internet)

Mas, ok, eu não estou ditando quem é bonito e quem não é. Fica evidente que estou dando a MINHA opinião sobre a aparência das pessoas. E você pode discordar e achar Scarlett Johansson e Chris Evans pessoas horrorosas (SAI DAQUI). O ponto é que até a internet que acha o Benedict Cumberbatch o rei da beleza ESTÁ CERTA. Ele é bonito para essas pessoas. O fato de eu achar uma pessoa feia não a torna feia. Só significa exatamente isso, que EU acho essa pessoa feia. Se ela quiser usar essa informação para alguma coisa, ok, mas duvido.

Por conta dessa subjetividade que o conceito de beleza sempre confunde minha cabeça. Não tem como dizer que uma pessoa é/está bonita. Porque isso não é um fato. Quando alguém diz "Nossa, você está tão bonita hoje", o que a pessoa está de fato informando é que "Eu estou te achando muito bonita hoje". E o que a gente faz com isso? Por que a opinião, essa coisa subjetiva, de uma pessoa diz algo sobre você?

Porque alguém dizer que você está bonito não significa que você está. Você pode dar uma volta na rua e, depois desse um que te elogiou, cinquenta outros te acharem esquisito. O mesmo vale para quando alguém critica sua aparência. No fim das contas, a opinião de 1 pessoa não vale de muita coisa, a menos que seja importante para você que essa pessoa te ache bonito, seja lá qual for o motivo.

***

O que eu acho que existe é uma especie de potencial de beleza, digamos assim. Algumas pessoas tendem a ser ditas bonitas por mais pessoas do que outras. E esse potencial varia muito dependendo do padrão de beleza vigente, da época, do lugar em que você está... Se você coloca, sei lá, o Marcius Melhem ao lado do Idris Elba, a maioria das pessoas hoje no Brasil vai dizer que o Idris é mais bonito. O potencial dele é maior. Mas outras vão achar o Marcius Melhem. E ele pode até ser considerado o mais bonito se mudarmos o país, a época etc.

Até a sua própria opinião entra nessa teoria sobre sua aparência. Você pode estar se achando horroroso, mas um monte de gente te acha bonito. Ou você pode estar se achando lindão, e a galera ficando toda "mas gente". No fim das contas, como eu disse, não importa muito. 

Se é importante para você se achar bonito, corra atrás (sem enlouquecer) de olhar no espelho e se sentir satisfeito. Se o objetivo é agradar o maior número de pessoas possível (e às vezes isso é mesmo necessário, pergunta para os modelos), eu até entendo, mas é arriscado. Só não considere como definitivo o veredito de uma, duas ou de todas as pessoas que você conhece, porque, se você se acha bonito, mas te acham feio, juro que EM ALGUM LUGAR vai ter gente fascinado pela sua aparência. Sempre tem.

Claro que eu sei que existe toda uma pressão da sociedade para nos encaixarmos no padrão de beleza vigente, mas, se a gente para realmente para pensar, a gente não deveria se importar tanto.

***

Voltando ao caso da Beatriz, acho que a resposta mais lógica para "Nossa, tá bonita hoje" seria concordar ou discordar da pessoa, de acordo com a sua opinião sobre sua própria aparência. "Também estou me achando bonita", "Jura? Estou me sentindo feia hoje", algo assim.

Vamos terminar esse post aleatório de uma forma aleatória, com essa imagem novamente porque sim.

Posted on segunda-feira, junho 20, 2016 by Felipe Fagundes

No comments

***

quarta-feira, junho 15, 2016

Primeiramente, minha mãe não é burra. Segundamente, eu amo a trajetória dela na educação. Ela fez a 4ª série umas 3 vezes porque a escola perto da casa dela só ia mesmo até a 4ª série. Só as crianças que tinham bicicleta e podiam ir pra longe passavam de ano. REFLITAM. Tem uma cena que minha mãe conta rindo, mas eu acho tristíssima, que é ela criança correndo atrás das bicicletas dos amigos indo pra escola, toda bestinha. Depois ela cansava, eles iam embora e ela ficava sozinha. Daí fazia a 4ª série de novo. Mas ela depois de um tempo superou isso e fez até a 8ª. Teve que parar porque tinha que trabalhar e, depois, sustentar filhos ao mesmo. Ela acabou largando os estudos por anos, até que minha irmã mais velha começou a cagar para o Ensino Médio, só tirava nota baixa etc e minha mãe decidiu ajudar a filha da melhor maneira: VOLTANDO A ESTUDAR COM ELA Hahahah Aí, gente, minha mãe voltou para o Ensino Médio, terminou junto com a minha irmã, fez um curso técnico na Cruz Vermelha e hoje tá aí se dando melhor que a maioria dos jovens da nossa geração.

Ou seja, minha mãe é maravilhosa, não há discussão sobre isso, é uma verdade universal.

Mas que ela me fez rir muito chegando no whatsapp, isso ela fez. Eu já contei tudo no Twitter, mas quis deixar os momentos registrados em algo menos efêmero.

A minha mãe foi super rápida em dominar a coisa quase toda, sendo que nunca mexeu num computador. Digitando certinho, usando os emojis, fez até áudio (coisa que eu mesmo nunca fiz, nem sei fazer, nem quero saber).

Ter minha mãe no whatsapp é legal porque a gente pode ser fascinante juntos.



E ela cobra que eu a ame de uma forma decente.



Além de cometer uns erros hilários.

(era internado, que é menos pior)

E mandar mensagens enigmáticas quando briga com o corretor.

(assaltada no BRT)

Os emojis combinam.



***

Mas nada supera o dia em que uma colega de trabalho dela ligou pelo whatsapp pra pedir pra minha mãe trocar um fim de semana com ela, coisa que minha mãe não queria fazer, mas disse que ia pensar. Assim que a mulher desligou, minha mãe virou pra mim e "MAS A FULANA É MUITO ESPERTA. ACHA QUE EU SOU BESTA? A LINDONA FAZ ISSO SEMPRE! SÓ EU QUE LEVO FUMO NESSES FINS DE SEMANA, NÃO VOU TROCAR MESMO".

Gente, PRA QUÊ.

Chega um áudio da mulher dizendo que "Olha... Eu ouvi tudo... Não sei se você estava falando com o Felipe [socorro], mas ouvi você me chamando de besta. Foi bem desagradável". Porque, isso mesmo, MINHA MÃE NÃO TINHA ENCERRADO A LIGAÇÃO HAHAHAHAHAH Gente, minha cara NO CHÃO. Até hoje minha família se reúne em volta de uma fogueira para ouvir esse áudio e dar gostosas risadas (mentira, mas a gente deveria, pois é muito digno). Virou meme lá em casa. A gente diz que "foi bem desagradável" pra qualquer coisa ruim que acontece.

***

Eu temi um pouco por causa do que o senso comum tem a dizer sobre mães na internet no dia que a minha disse que queria usar o whatsapp, mas foi bobagem minha. A gente aqui costuma ser tudo ponto fora da curva. Que bom.

Posted on quarta-feira, junho 15, 2016 by Felipe Fagundes

No comments

***

segunda-feira, junho 13, 2016

Eu tinha escrito um texto comentando o assassinato da Christina Grimmie, mas desisti de postá-lo. Nem sei dizer se era um texto de luto, não tenho muita vivência no assunto, mas eu estava um tanto confuso e sem saber me expressar bem. Logo depois de escrever o texto, eu fiquei sabendo do atentado na boate gay em Orlando que colocou um fim na vida de 50 pessoas, o maior tiroteio da história dos Estados Unidos, e, gente, COMO VIVER?

Quer dizer, como viver correndo atrás dos seus próprios sonhos se vem uma pessoa aleatória e acaba com tudo? Ou qual o sentido de ser você mesmo se alguém vai te odiar e tirar sua vida justamente por isso?



Estava eu descambando por esse caminho, essa espiral que só desce, e acho que não é exatamente minha linha de pensamento favorita. Porque, na verdade, o que eu penso é: como NÃO viver correndo atrás dos seus próprios sonhos? E, se você não luta para ser você mesmo, que tipo de vida você leva?

Capaz de eu ser a pessoa mais poliana que você vai encontrar hoje, mas até eu sei que o mundo pode ser cruel e assustador. O ódio está sempre aí e ele se espalha rápido. Eu gosto de cafonices do bem, de empatia, de confiar nas pessoas, de autoestima alta, e aqui vai mais uma: amor se espalha também. Tenho que admitir que não tão rápido quanto o ódio, pessoas ainda olham muito desconfiadas e constrangidas para o amor, mas, quando ele vence, ele REALMENTE vence.

Daí que tem muita gente exigindo medidas contra o porte de armas, a violência contra a mulher, homofobia, terrorismo, etc, etc, aquela revolta. E longe de mim tirar a razão dessas pessoas! Estão certíssimas. Mas já são muitas vozes e eu quero falar de outra coisa:

AME MAIS.

Sim, mais do que você já considera que ama. Seja mais gentil, enxergue TODOS como pessoas, ajude nas horas de necessidade da forma que você puder. Deixe as pessoas saberem que vocês as ama. O amor realmente tem o poder de transformar. Eu sei que isso é super cafona e mensagem de filme da Disney, mas é a verdade. AME MAIS. O tempo todo. O amor precisa se espalhar e, um dia, quem sabe, isso impeça que outra menina talentosa ou pessoas que apenas queiram ser elas mesmas tenham um fim trágico.

Vamos acompanhar.

Posted on segunda-feira, junho 13, 2016 by Felipe Fagundes

No comments

***

sexta-feira, junho 03, 2016

Eu catei a ideia deste post no blog da Cíntia e não me arrependi. Quando eu vi a lista de 5 personagens cujas vidas ela gostaria de viver por 1 dia, a minha própria lista foi logo surgindo involuntariamente, então eu soube que teria que fazer a minha versão. Eu vasculhei todas as séries e livros que já passaram pela minha vida para não correr o risco de fazer uma escolha equivocada e perder essa oportunidade para semprEU TÔ ACHANDO QUE É REAL. Nossa, que semana maravilhosa seria essa em que cada dia eu estivesse na pele de um desses personagens. Até rolou um choque de realidade agora, porque isso nunca vai acontecer de fato. Mas não custa mesmo sonhar.

Eu gostaria de por 1 dia ser...


#1 - Kilgrave (Jessica Jones): CALMA QUE EU EXPLICO. Ok que deve ser uma porcaria acordar no corpo do vilão mais ARGH das séries atuais, ainda mais com a Jessica Jones atrás de você, mas eu ia adorar ter por 24h o poder de fazer as pessoas me obedecerem cegamente, só de falar. Capaz de eu descambar para o lado negro da força, mas ia tentar forçar coisas boas acontecerem, tipo fazer chegar no ISIS a mensagem DEIXE A GENTE EM PAZ ou, nos criadores do The Voice, UMA TEMPORADA POR ANO É SUFICIENTE.



#2 - Oliver (Eu sou um gênio de maldade inenarrável e quero ser o seu presidente de turma) (sério): O Oliver não apenas é rico como também é PODRE DE RICO. E literalmente um gênio. Gente, o livro todo é hilário, mas chega a ser surreal o nível de poder que essa criança gênia conseguiu. Ele praticamente é dono da cidade, ele manda e desmanda no emprego dos pais de todos os colegas de escola dele e é protegido por ninjas contra qualquer forma de bullying. E isso secretamente! O tanto de coisa que eu poderia fazer... percebam uma leve tendência à dominação mundial com os itens #1 e #2



#3 - Mack (aquele da cabana): Não num dia chato qualquer da vida dele, pelo amor de Deus, mas NAQUELE DIA. Se eu fosse o cara com a incrível oportunidade de passar 1 dia com Deus, Jesus e o Espírito Santo ao vivo e a cores, não haveria livro para ser vendido, pois a história seria só eu fazendo um monte de perguntas.

- Oi, Felipe, bem vindo à cabana. Eu sou Papai. Agora é a hora da gente conversar sobre
- O SENHOR LIBERA OU NÃO LIBERA AS GAY???
- Oi? Mas é claro que
- E AS PESSOAS TRANS?
- Gente
- COMO ENTRAR NUMA GUERRA SEM MATAR PESSOAS?
- Faz o favor de calar a
- O QUE EXATAMENTE É BLASFÊMIA CONTRA O ESPÍRITO SANTO?
- Alguém desliga esse
- CAPITU TRAIU OU NÃO BENTINHO?


#4 - Rachel O'Malley (série O'Malley): Confesso que o que eu queria de verdade era apenas passar 1 dia inteiro sendo um irmão O'Malley. Melhor família, gente. Eles não são irmãos de sangue, se conheceram num orfanato e desde então um protege o outro, mesmo depois de adultos. É uma família feita só de amor mesmo. Eu poderia escolher qualquer um dos irmãos, mas essa família é toda louca e os empregos deles são super perigosos (negociadora de reféns, policial, bombeiro, investigadora criminal etc). A Rachel é a mais fora da zona de risco, digamos assim, pois é psicóloga (especializada em grandes traumas, porque nenhum O'Malley gosta de moleza). Provavelmente seria um dos melhores dias da minha vida, com a família toda reunida, pregando peças uns nos outros, zoando, rindo e todas as cafonices do bem possíveis.

#5 - E o quinto? Honestamente, vocês poderiam colocar qualquer um dos X-Men aqui que eu concordaria, então imaginem o favorito de vocês.

Posted on sexta-feira, junho 03, 2016 by Felipe Fagundes

No comments

***
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...